UAI
MOTO

Honda CB 750: a ressurreição da Sete Galo

Marca japonesa apresentou o protótipo de uma versão atualizada da icônica moto, mas projeto ainda é misterioso

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
 CB 750 Four talvez seja a moto mais icônica já produzida pela Honda
CB 750 Four talvez seja a moto mais icônica já produzida pela Honda Foto: Honda/Divulgação

A Honda CB 750 foi projetada para o mercado americano, porém, fez enorme sucesso mundial, incluindo o Brasil, sendo eleita mais tarde a moto do século por um grupo de jornalistas comandados pela revista Motorcyclist. Apresentada no Salão de Tóquio de 1968, chegou ao mercado em 1969, equipada com motor de quatro cilindros em linha de 736 cm³ que rendia 67 cv de potência a 8.000 rpm e um torque de 6,1 kgfm a 7.000 rpm.

Verdadeira revolução para o segmento e indústria, a Honda CB 750 foi considerada a primeira superbike de série da história e teve a primazia de adotar o freio a disco na dianteira. Com apelido de sete galo (numeral sete mais o galo representado pelo número 50), sua produção foi interrompida em 1983, deixando uma legião de fãs e colecionadores pelo mundo.

Não se sabe a intenção, mas a Honda apresentou como protótipo uma CB 750 atualizada em 2016 (sem qualquer dado técnico) que chamou de CB Four Prototype, com visual idêntico. Motor de quatro cilindros em linha arrefecido a ar, escape com quatro saídas, rodas raiadas, sanfonas na suspensão dianteira, duplo amortecedor na traseira, farol e painel com instrumentos redondos. Porém, modernizada com duplo freio a disco na dianteira e freio a disco na traseira em vez do tambor. O projeto permanece ainda hoje misterioso.

Sherco

Na foto, Sherco 300 SEF Hamish Macdonald Réplica: 15 unidades virão para o Brasil
Sherco 300 SEF Hamish Macdonald terá apenas 15 unidades no Brasil Foto: Sherco/Divulgação

A marca é especializada em motos fora de estrada produz modelos para enduro, trial e também bicicletas elétricas.Tem participação no Rally Dakar e é a atual moto vencedora do Enduro da Independência.

A distribuição nacional tem sede em Minas Gerais (Rua Niágara, 351, Nova Lima, [31] 99919-3848), com linha inclui motos de 300 cm³, com motores de dois (SE) e quatro tempos (SEF), além de modelos sob encomenda de trial, de 125 cm³, 250 cm³ 2T e 4T, 450 e 500 cm³. A marca também disputa com equipes próprias os campeonatos brasileiros de Enduro de Regularidade, Enduro FIM e Hard

Enduro

Nascida em 1998, tem fábricas em Nimes, na França, onde produz os modelos de enduro, e em Caldes de Montbui, na Espanha, onde são fabricadas as motos de trial. Os modelos de enduro são conceituados pela tecnologia e a competitividade. Exatamente como o modelo Réplica 300 SEF Hamish Macdonald.

Serão apenas 300 unidades produzidas para o mundo, com 15 reservadas para o Brasil. O nome é uma homenagem ao piloto neozelandês Hamish Macdonald, vencedor do mundial júnior em 2020 com o número 76, e terceiro no mundial Enduro GP, categoria E2 em 2023, por exemplo.

A moto tem decoração race réplica, motor do tipo quatro tempos, DOHC com quatro válvulas e 303,7 cm3, escape Akrapovic, pinças Brembo e disco dianteiro Galfer, suspensão dianteira Kayaba com tubos de 48mm de diâmetro e 300 mm de curso, suspensão traseira mono Kayaba com 300 de curso, aros Excel com cubos anodizados CNC azuis, punhos Progrip, protetores de mão Polisport e quadro em aço cromo molibdênio.

Djebel

Na foto, Suzuki V-Strom 800 Djebel, modelos especial com visual inspirado nos anos 1980
Suzuki V-Strom 800 Djebel tem visual inspirado nos anos 1980 Foto: Suzuki/Divulgação

A japonesa Suzuki, oficialmente no Brasil através da J.Toledo, tem em sua linha as motos do tipo aventureiras (big trail) V-Strom 1050 e V-Strom 650. O modelo intermediário V-Strom 800 ficou fora do catálogo. Entretanto, a filial italiana da marca, apresentou o modelo especial V-Strom 800 Djebel, inspirada na moto DR 650 Djebel.

A Suzuki DR, lançada em 1984 com 600 cm3, logo apresentou a versão DR 650 Djebel com elementos em referência ao Rally Paris-Dakar dos anos 1980. O nome Djebel é uma alusão em árabe às cadeias montanhosas e deserto da Tunísia, rota da competição. A pintura e os gráficos da V-Strom 800 Djebel reproduzem a época da DR 650 Djebel monocilíndrica.

A nova V-Strom 800 Djebel, porém, tem motor de dois cilindros paralelos, com 776 cm3 que rende 84,3 a 8.500 rpm e um torque de 8,0 Kgfm a 6.800 rpm. Todo o conjunto mecânico e a eletrônica são compartilhadas com a V-Strom 800 “normal”. Exceto o escape que é Akrapovic em titânio com acabamento em fibra de carbono e os pneus Dunlop Trail Max Raid.

A eletrônica tem três mapas de motor, quatro níveis de controle de tração que pode ser desligado, assim como o ABS da roda traseira. O quick shift é de duas direções e as suspensões ajustáveis. A pré-carga é regulada por um botão.O pára-brisas também é ajustável e o painel em tela TFT e LCD.

Hard

 Equipe PowerHusqyI Itaminas de Hard Enduro com a moto Husqvarna TE 300 com motor dois tempos e injeção eletrônica
Husqvarna TE 300 tem motor dois tempos e injeção eletrônica Foto: Husqvarna/Divulgação

A modalidade Hard Enduro - Enduro Pesado, em tradução livre - resumidamente, tem percurso com dificuldades extremas. Por isso mesmo, é bem desafiador. Para disputar o Campeonato Brasileiro de Hard Enduro 2024, a equipe Husqvarna PowerHusqy/Itaminas tem seis pilotos: os mineiros Rigor Rico, heptacampeão brasileiro, Eduardo Furtado, vice-campeão brasileiro e Guilherme Costa, além dos paulistas Maurício Fernandes, Benê Coser e Bruno Gonzales.

A abertura do campeonato será entre os dias 8 e 10 de março em Morungaba (SP). Os pilotos utilizarão as motos Husqvarna TE 300, com motor do tipo dois tempos de um cilindro, equipadas com injeção eletrônica.

Kawasaki

O piloto campeão de motocross  Jorge Negretti vai fazer exibições de freestyle com as motos Kawasaki
O piloto campeão de motocross Jorge Negretti vai fazer exibições de freestyle com as motos Kawasaki Foto: Kawasaki/Divulgação

A marca japonesa, instalada oficialmente no Brasil, estabeleceu uma parceria estratégica com o multi-campeão de motocross Jorge Negretti. O piloto de Bragança Paulista (SP) tem no currículo 10 títulos de Campeão Brasileiro, Latino-Americano e Sul-Americano de Motocross.

Negreti vai utilizar as motos KX 450 e KX 450X e participar dos eventos da marca, como o programa Kawasaki Off-Road Xperience, transmitindo seu conhecimento no fora de estrada. Jorge Negretti também vai fazer apresentações e exibições da modalidade motocross freestyle por todo o Brasil.

Harley-Davidson

 Harley Davidson Pan America 1250 CVO preta de lado estacionada
Moto tem logotipo com o selo em comemoração aos 25 anos da criação da divisão CVO Foto: Harley Davidson/Divulgação
Pela primeira vez, uma motocicleta do tipo fora de estrada da Harley-Davidson recebe o selo e a preparação de fábrica CVO (Custom Vehicle Operation). A big trail Pan America 1250 CVO, ano 2024, tem a mesma base do modelo Pan America Special, que já está oficialmente no mercado brasileiro.

A Harley-Davidson Pan America CVO tem como itens de série, três malas em alumínio, duas laterais e uma central, pintura e gráficos exclusivos, barras de proteção do motor e partes do quadro pintadas em laranja, cor da marca. A moto também tem logotipo com o selo em comemoração aos 25 anos da criação da divisão CVO. Motos com equipamentos e componentes premium, pintura feita a mão e detalhes exclusivos em uma customização de fábrica.

A Pan America CVO está equipada com o motor Revolution Max de 1252 cm3, com arrefecimento líquido, que rende potência de 150 cv a 8.740 rpm e torque de 13,1 kgfm a 6.750 rpm. São cinco modos de pilotagem, suspensões semi ativas, com função que baixa o banco nas paradas, luzes em LED com farol adaptativo e painel em TFT com 17,3 cm de diâmetro com conectividade. O Brasil já tem modelos da linha CVO, como a Road Glide, por exemplo. Porém, ainda não há indicação que a Pan America CVO virá.