UAI
Duas Rodas

10 tipos de motos: saiba a diferença entre elas na hora de escolher

Pensando em comprar uma moto, mas não sabe qual modelo escolher? O VRUM preparou esse guia para te ajudar a tomar a melhor decisão

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Com tantos modelos disponíveis, qual moto é a ideal para você?
Com tantos modelos disponíveis, qual moto é a ideal para você? Fotos: Internet/ Divulgação

Você acabou de tirar a CNH para pilotar moto e já está louco para comprar seu primeiro modelo de duas rodas. Ou então está querendo trocar a sua moto velhinha por outro modelo mais novo ou mais potente. Abre uma guia na internet e se depara com uma infinidade de motos, nomes e modelos. É naked pra cá, Touring pra lá, moto de asfalto com cara de off-road, moto parecendo um Transformer.

 

Para você não se perder, preparamos um guia com os principais tipos de motos e as características de cada uma.

Street

São as mais comuns de serem vistas no dia a dia. As streets são aquelas motos que não têm carenagem, geralmente de baixa cilindrada, ideais para o trânsito urbano de grandes cidades, pois são pequenas e ágeis. Usualmente têm motor monocilindro, chegando a até 250cm³.

Os preços das motos Street são mais acessíveis e esse modelo é comumente usado por quem vai trabalhar com entregas, por exemplo.

Entre os modelos mais comuns de streets temos a Honda CG, Yamaha Factor 150 ou a Yamaha Fazer FZ25

 

Honda CG 160 Titan, na cor preta, estacionada em frente a um centro histórico
Honda CG 160 Titan: uma das motos street mais conhecidas do mercado Foto: Honda/ Divulgação

Naked

Se subirmos a cilindrada das Streets temos as motos Naked, pelada, em inglês. Essas motos são caracterizadas por não terem carenagem e deixarem o motor exposto, assim como a irmã menor, porém, bem mais potentes e ariscas. A posição de pilotar é parecida e a agilidade da moto também.

Em geral, as motos naked são aquelas acima de 300cm³, podendo passar de 1.200cm³, como a Suzuki Bandit GSF 1200 de 1996 ou a famosa Honda CB 600 F Hornet.

Entre as mais novas, podemos destacar a sucessora da Hornet Honda CB 650R ou a Yamaha MT-09.

Zero Street TS modelo 2024 preto de lateral estática no estúdio
Modelo elétrico Street TS 2024 da marca Zero Foto: Zero/Divulgação

Scooter

Ganhando destaque nas ruas do Brasil, os scooters (sim, se diz "o scooter”) têm características bem definidas visualmente. Diferente dos outros modelos, nos scooters o piloto vai sentado na moto e não montado, como é comum nos veículos de duas rodas. Essa posição de pilotar não permite ser arriscado, como em uma naked, mas proporciona conforto nas grandes cidades.

Outra característica marcante de um scooter é o câmbio, normalmente automático do tipo CVT, que não exige trocas manuais, o que facilita para o piloto que utilizará somente as mãos para pilotar o R2D2.

As cilindradas não são fatores de corte para se definir um scooter. Existem modelos a partir de 125cm³, como a Yamaha Neo 125, e passam dos 700cm³, como a Honda X-ADV .

Mas uma coisa que pesa ao escolher um scooter é o preço. Os scooters, em geral, são bem mais caros do que as motos de mesma cilindrada. Porém, um scooter ganha muito no quesito comodidade, principalmente no arranca e para das grandes metrópoles.

Yamaha Neo 125, estacionada de frente em fundo preto
Yamaha Neo 125: um scooter prático e ágil para cidade Foto: Yamaha/ Divulgação

Motonetas

Pra quem passa na rua e olha para uma motoneta acha que está vendo um scooter. Visualmente, elas são primas e se parecem muito, porém, a motoneta tem características bem distintas do scooter.

Nas motonetas, o piloto vai montado e não sentado, como nos scooters. Nelas, o piloto ainda tem que trocar as marchas, pois, em sua grande maioria as motonetas têm câmbio semiautomático, isto é, não existe a manete da embreagem, mas o piloto deve acionar as mudanças pelo pedal.

Modelos famosos de motonetas são as consagradas Vespas e as Honda Biz 125.

Vespa 946 Dragon bege e verde de frente estática no estúdio
Vespa 946 Dragon: feita em homenagem ao Ano do Dragão Foto: Piaggio/Divulgação

Trail

As tão saudosas motos de trilha ganharam uns upgrades, gourmetizaram um pouco e hoje chamam Trail, (trilha em inglês). A gama é bem extensa para as motos trail. Um fator que define essa categoria é a posição de pilotar bem reta, com pedaleiras mais centralizadas e guidão mais alto.

As cilindradas aqui também não são fatores determinantes para definição, mas as suspensões de longos cursos, com garfos mais reforçados, se fazem presentes na grande maioria das trails.

A usabilidade de uma trail chama a atenção dos possíveis compradores, pois, normalmente, são motos com torque alto, confortável, tanto no asfalto quanto no off-road, com pneus de uso misto transpõem obstáculos de maneira mais fácil e são relativamente leves.

Entre os modelos mais comuns encontramos a Honda Sahara 300, Yamaha Lander 250 e a tão saudosa Yamaha DT 180, com motor dois tempos, que fazia um barulho inconfundível.

Honda XRE 190 modelo 2024 preta e vermelha ambas de frente estáticas no asfalto
Honda XRE 190 modelo 2024: mudança nas cores Foto: Honda/Divulgação

Motard

Para esta categoria vamos pensar nas motos trail e colocar pneu de asfalto. Tá aí a receita para as motards.

As Motard (motocicleta em francês) são motos com todas as características das trail, posição de pilotar, curso de suspensão, torque, facilidade de manobra, porém, com rodas menores e pneus de uso exclusivo em asfalto.

Essa categoria ganha pelo visual, já que as motos são muito bonitas, e pela praticidade da condução.

Uma das mais conhecidas no Brasil foi a Yamaha XTZ 250X, de 2008, e a Ducati Hypermotard, de 2006

 

Ducati Hypermotard 698,  parada em uma curva de um autódramo
Ducati Hypermotard 698: moto com torque alto e voltada para pistas Foto: Ducati/Divulgação

Big Trail

Continuando nossa saga comparando as Trails, a Big trail mantém as mesmas características da irmã menor, porém, com o porte maior e motorização mais nervosa, com motor muito mais potente, normalmente acima dos 700cm³.

Os “Robozões”, como ficaram popularmente conhecidas, ganharam fama com os aventureiros e também com artistas do funk. Elas até se saem bem no off-road, mas são melhores utilizadas quando estão sobre o asfalto, de preferência cortando o continente de Leste a Oeste.

Modelos comuns das Big Trails são, BMW R 1250 GS Adventure, a Triumph Tiger 1200 Rally Explorer ou a Honda CRF 1100L Africa Twin Adventure Sports.

 

BMW R 1250 GS de lado no alto de uma montanha
BMW R 1250 GS é uma das big trails mais vendidas no mercado brasileiro Foto: BMW/ Divulgação

Touring

É bem provável que você já tenha visto algumas motos grandes que tem até rádio embutido. Pois bem, essas motos grandes e confortáveis são as Tourings. Ideias para viagens de longas distâncias, as motos Touring oferecem alto nível de conforto para o piloto e garupa.

São motos com cilindradas altas e em alguns casos, como a Suzuki Hayabusa, com motores de Super Sport de mais de 1.300cm³.

Nessa categoria temos a famosa Harley-Davidson Road Glide, a Honda GL 1800 Gold Wing Tour ou a Harley-Davidson Pan American 1250 Special.

Harley-Davidson Glide Special, estacionada, de frente, em uma rodovia
Harley-Davidson Glide Special: touring muito indicada para viagens longas Foto: Harley-Davidson/ Divulgação

Chopper ou Custom

As motos Chopper (do inglês to chop, ou cortar), são motos customizadas, ou originais de fábrica, com garfos alongados, pedaleiras mais avançadas e o guidão mais recuado, priorizando o conforto ao pilotar. O piloto normalmente viaja com as pernas mais esticadas e o corpo mais reto.

São motos normalmente de alta cilindrada com motores em linha ou em V, com tanques alongados e pneus traseiros de tala larga. Outra coisa que chama muito a atenção é o som do motor, muito bonito e inconfundível.

As Custom mais famosas do mercado brasileiro são as Harley-Davidson nos seus diversos modelos, desde a Iron 883, passando pelas Fat Boy e Heritage.

Outra marca muito famosa por fazer motos custom lendárias é a Indian com suas Scout ou Chief e Springfield.

Harley-Davidson Fat Boy 114, estacionada, de frente, em uma fazenda
Harley-Davidson Fat Boy 114: modelo clássico da marca muito procurado pelo público Foto: Harley-Davidson/ Divulgação

Super Sport

E, por fim, temos um dos modelos mais queridos pelos amantes de velocidade: o Super Sport. Motos desenvolvidas para pistas de corridas e adaptadas para as ruas, com velocidades acima dos 300km/h, com dinâmicas de curvas e pilotagem nível pró.

Como característica, as Super Sport têm carenagens laterais e dianteiras, além de bolha (ou para-brisa) para facilitar a visualização do piloto em altas velocidades. Essas motos prezam pela redução do arrasto aerodinâmico, portanto, o piloto anda nessa moto carenado. Isto é, corpo avançado sobre o tanque, pernas recuadas e capacete dentro da bolha.

No clube das 299, podemos citar a Ducati Panigale V4R, Honda CBR 1000 RR-R Fireblade e BMW S1000 RR.

 

Ducati Corse Panigali V4 R vermelha de frente estática no cavalete
Ducati Panigale V4 R: moto de corrida e também para as ruas Foto: Ducati/Divulgação

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas