UAI

Fiat Idea: 10 pontos importantes para saber antes de comprar

Minivan compacta pode satisfazer saudosistas com boa posição de dirigir e espaço interno interessante, além de opção da versão Adventure

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Misto de minivan e monovolume compacto, o Fiat Idea tem a versão Sporting 1.8, com pegada mais esportiva
Misto de minivan e monovolume compacto, o Fiat Idea tem a versão Sporting 1.8, com pegada mais esportiva Fotos: Misto de minivan e monovolume compacto, o Fiat Idea tem a versão Sporting 1.8, com pegada mais esportiva

Se você voltar 15 anos no tempo vai se assustar com a quantidade de minivans que existiam no mercado. Era quase a mesma quantidade de SUVs compactos que temos hoje. Nessa abundante oferta de monovolumes, é fato que o Fiat Idea tinha um lugar de destaque.

A minivan feita a partir da primeira geração do Palio se destaca nos argumentos do segmento: bom espaço interno e posição elevada de dirigir. Fatos que configuram o Fiat Idea como opção de carro familiar.

O modelo teve variadas versões, motores e fases. Por isso, reunimos 10 fatos sobre o Fiat Idea para você avaliar se ele cabe na sua garagem e no seu orçamento.

fiat idea sporting 1.8 16v vermelho modelo 2010 de lateral estatico no asfalto
Modelo tem menos de 4 metros de comprimento, mas como a cabine é alta, amplia a sensação de bom espaço interno

1 – Como foi a trajetória do Fiat Idea no Brasil

O Fiat Idea nasceu em 2005, ao som de um jingle publicitário com sotaque hispânico “Un belo día, que belo día…”. A minivan compacta da Fiat chegou para fazer frente à Chevrolet Meriva e ser uma opção acessível aos monovolumes maiores (Zafira, Citroën Xsara Picasso, Renault Scénic etc).

Começou com apenas duas versões e motores 1.4 e 1.8, e depois trocou por propulsores da família E.torQ. Teve inúmeras séries limitadas e configurações. Inclusive o Fiat Idea Adventure, com direito a bloqueio do diferencial dianteiro. Também recebeu opções com câmbio automatizado Dualogic.

O Fiat Idea ainda passou por uma reestilização em 2010 e, quatro anos depois, mudou a grade frontal. Último suspiro antes de sair de linha em 2016, quase que simultaneamente com Bravo, Linea, Palio Fire e Freemont, numa leva da marca italiana para renovar sua gama.

fiat idea sporting 1.8 16v vermelho modelo 2010 de traseira estatico no asfalto
Traseira retilínea com lanternas verticais completam o estilo equilibrado do Fiat Idea

2 – Modelo teve vários motores, inclusive um da GM

A minivan compacta feita em Betim (MG) foi lançada com duas opções de motores oito válvulas. O 1.4 Fire equipava as versões mais baratas, enquanto as mais caras se valiam do 1.8 Família I da General Motors – a montadora tinha um contrato com a Fiat e fornecia propulsores para vários modelos da italiana.

Em 2010, dois anos depois de comprar a fábrica da Tritec, a Fiat trocou os conjuntos da GM pelos E.torQ 1.6 16V e 1.8 16V no Fiat Idea. Junto com o resistente 1.4, foram os motores que acompanharam o monovolume até o fim dos seus dias.

3 – E como é o desempenho do modelo?

As motorizações iniciais do Fiat Idea são bem distintas em suas propostas. O 1.4 Fire com 81cv (g)/84cv (e) é indicado para quem quer rodar com calma pela cidade. Mesmo com o torque máximo de 12,2kgfm (g)/12,4kgfm ((e) a 2.250rpm, é preciso paciência para encarar ladeiras, ainda mais se o carro estiver cheio.

Para quem faz questão de desempenho, os primeiros 1.8 com motor GM são bem mais espertos. Com 112cv (g)/114cv (e), propiciam arrancadas convincentes e retomadas seguras na estrada, beneficiadas pelos 17,8kgfm (g)18,5kgfm (e) a 2.800rpm.

Não espere essa boa força em baixas rotações nos E.torQ, que passaram a equipar o Fiat Idea a partir de 2010, inclusive na versão topo de linha Adventure. Apesar de ser um motor mais moderno – e do que o nome possa sugerir –, tanto o 1.6 16V de 115cv (g)/117cv (e) como o 1.8 16V de 130cv (g)/132cv (e) devem nas retomadas.

fiat idea sporting 1.8 16v vermelho modelo 2010 cofre do motor estatico
O motor 1.8 16V desenvolve 130cv (g)/132cv (e), mas não é dos mais espertos nas retomadas

De qualquer forma, os novos propulsores deram um novo ânimo à linha Fiat Idea a partir de 2010. Principalmente o 1.8, que equipa as versões mais caras e a Adventure, com arrancadas bastante interessantes e comportamento em velocidades mais altas na estrada.

Se você souber trabalhar bem o câmbio manual de cinco marchas, conseguirá usufruir melhor. É esticar as primeiras marchas e, na hora da ultrapassagem, reduzir bem para ganhar força. Claro que tudo isso cobra a conta no tanque: seja 1.4, motor GM ou E.torQ, não espere por uma minivan econômica.

4 – Nem pensar nas versões com câmbio Dualogic

Por falar em câmbio, é quase um mantra esse tópico em carros usados da fabricante italiana. O Fiat Idea ganhou versões Dualogic na linha 2010 e é bom evitar. Não só por alguns relatos de problemas mecânicos, mas especialmente no comportamento da transmissão automatizada, que prejudica muito o desempenho da minivan.

Em 2012, a Fiat lançou o Idea com o Dualogic Plus. Prometeu um grip melhor e menos trancos da caixa de embreagem simples. Na real, a evolução foi bastante tímida.

fiat idea essence e torq dualogic prata modelo 2012 de frente estatico no estudio
Algumas versões do Fiat Idea são equipadas com o câmbio automatizado Dualogic: melhor evitá-las

5 - Conforto e estabilidade

O Fiat Idea é um carro compacto por fora – menos de 4 metros (com exceção da Adventure) –, mas com espaço bem aproveitado por dentro. A altura já ajuda a se ter uma percepção de cabine mais ampla, mas o jeito monovolume colabora para o carro receber bem os passageiros, com dois adultos e uma criança tranquilos no assento traseiro.

Na frente, o motorista tem aquela posição elevada de dirigir que sempre se espera em uma minivan, e tem ao seu dispor ajustes de altura do banco e do volante. A ergonomia do Fiat Idea também é um dos pontos fortes, mas o acabamento deixa a desejar com muitas peças plásticas e encaixes ruins. O isolamento acústico é apenas regular.

A suspensão tem calibragem interessante. O Fiat Idea não é de quicar muito em buracos. Porém, não é um carro para se abusar na estrada. Alto e estreito, o monovolume torce bastante a carroceria em curvas e mergulha além do recomendável em freadas mais bruscas.

6 – Fique ligado nas séries especiais

Depois da remodelação de 2010, o Fiat Idea teve direito a três edições limitadas. A primeira foi a Italia, em 2011, em homenagem ao “Momento da Itália no Brasil”, uma série de atividades culturais e comerciais feita pelos dois países naquele ano.

Baseada na versão Essence 1.6, o Fiat Idea Italia teve 580 unidades com airbag duplo e freios ABS (ainda não eram obrigatórios), rodas de liga leve aro 16 polegadas exclusivas, faróis e lanternas com lentes escurecidas, cromados nas laterais e traseira e spoiler preto integrado à tampa do porta-malas.

Em 2014, nova série especial em cima da versão Essence 1.6. Desta vez, a Sublime, “copiada” da edição de mesmo nome feita para o Grand Siena. No monovolume, frisos cromados, colunas com adesivos preto fosco, lentes escurecidas e o nome da tiragem nas laterais e nas soleiras das portas, além de rodas aro 16 polegadas diferenciadas.

Na cabine, couro marrom no revestimento dos bancos. Além disso, o Fiat Idea Sublime tem painel frontal em dois tons e portas com acabamento em couro e tecido. Entre os itens da série limitada, rádio Connect com entrada USB e Bluetooth, e comandos no volante, descansa-braço dianteiro e vidros elétricos atrás.

A série quase que de despedida do Fiat Idea foi a Adventure Extreme, apresentada em 2016. Um dos destaques em termos de equipamento é a central multimídia com tela de 6,2 polegadas e câmera de ré. Sensor de estacionamento traseiro, rede de porta-objetos no porta-malas, rodas exclusivas e vidros elétricos atrás também faziam parte do pacote

fiat idea adventure locker 1.8 16v vermelho modelo 2010 de frente estatico no estudio
A versão Adventure traz o tradicional estilo aventureiro, que fez sucesso com o Idea também

7 – Uma boa versão é o Fiat Idea Adventure 2010

O Fiat Idea Adventure 2010, modelo 2011, é a nossa pedida. Neste ano, o monovolume já havia adotado a reestilização de meia-vida. Além disso, a opção aventureira tem aqueles apliques estéticos diferenciados, é a mais completa da gama e usa o motor 1.8 já da linha E.torQ.

Por preços entre R$ 28 mil e R$ 33 mil no mercado de usados, o Idea Adventure 2010 tem aquela receita de bolo da Fiat para seus “off-road light”. Faróis de longo alcance, suspensão elevada com amortecedores reforçados, pneus de uso misto, molduras plásticas nas caixas de rodas, rack no teto e o indefectível estepe pendurado na traseira.

Entre os equipamentos, o Fiat Idea Adventure oferece, na segurança, airbag duplo e freios com ABS, enquanto sensor de ré e airbags laterais dianteiros eram opcionais. Ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, banco traseiro bipartido e computador de bordo.

O som era simples, mas era oferecido como opcional o rádio Connect, com Bluetooth e tomada USB. A propósito, a lista de opcionais era farta e é possível encontrar unidades recheadas do Fiat Idea Adventure 2010, com retrovisor eletrocrômico, sensores crepuscular e de chuva, bancos revestidos em couro e até teto solar.

8 - Só fica ligado no porta-malas…

Prestou atenção que o Fiat Idea Adventure 2010 tem o crachá off-road né, o estepe pendurado na tampa do porta-malas? Isso agrega mais reforços e peso ao carro, o que se reflete em maior consumo obviamente. Mas não é só isso.

O estepe ali acrescenta uns 30cm a mais ao comprimento da minivan. Só que o seu sistema de fixação no porta-malas não é simples, já que ele não “sobe” junto com a tampa traseira quando esta é aberta.

É preciso destravar o suporte do estepe em uma alavanca ao lado direito da roda sobressalente. Depois, na base do suporte inferior, que vem do lado esquerdo do para-choque, apertar outra alavanca para, aí sim, puxar toda a peça, que se “abre” para a esquerda.

Com isso, lembre-se, quando você precisar abrir o porta-malas em um estacionamento, de deixar ainda mais 50cm de margem para poder abrir a tampa do compartimento de bagagem do Fiat Idea Adventure.

fiat idea sporting 1.8 16v vermelho modelo 2010 porta malas estatico
O porta-malas tem volume satisfatório, compatível com as dimensões do carro

9 – Detalhes sobre a manutenção do monovolume

Por ter motores conhecidos, a manutenção do Fiat Idea não tem grandes mistérios. As peças são fáceis de encontrar e não costumam ser muito caras. Obviamente, os motores E.torQ tendem a ter o custo de conservação mais dispendioso.

Levantamos também os preços de componentes do Fiat Idea Adventure 1.8:

  • Jogo com quatro pastilhas do freio dianteiro: de R$ 90 a R$ 130
  • Jogo com quatro velas de ignição: de R$ 60 a R$ 80
  • Bomba de combustível: de R$ 310 a R$ 460
  • Kit troca de óleo (4 litros 5W30 + filtro): de R$ 290 a R$ 340
  • Amortecedor traseiro: de R$ 440 a R$ 530
  • Para-choque traseiro: de R$ 450 a R$ 1.100 (os mais caros com pré-disposição para sensor de ré)
  • Farol direito: de R$ 400 a R$ 770

10 – Por fim, os principais problemas do Fiat Idea

Há muitos relatos de donos do Fiat Idea que indicam desgaste prematuro das correias dentadas e infiltração de água na cabine e nos conjuntos ópticos. Fique atento ao estado do acabamento interno, em especial aos comandos dos vidros elétricos e retrovisores.

Outras ocorrências mais severas apontam para problemas no eixo traseiro, que se deforma. Então, observe se há ruídos quando o carro está em movimento, como se as rodas traseiras estivessem encostando em alguma peça interna.

E lembra que a gente falou da complexidade em abrir a tampa do porta-malas? São comuns os casos em que o sistema de liberação do suporte do estepe simplesmente trava. Portanto, teste para ver se a abertura está normal.

O Fiat Idea passou por algumas campanhas de recall:

  • Substituição de engrenagens do câmbio e do fluido da transmissão em modelos produzidos entre 2012 e 2014
  • Troca do atuador da embreagem em unidades feitas em 2014
  • Troca do alternador de carros fabricados em 2016 e 2017

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas