UAI

Chevrolet Astra 2011: 10 fatos que você precisa saber antes de comprar um usado

Hatch médio atravessou gerações no Brasil e se tornou opção mais acessível no segmento

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
O Chevrolet Astra 2.0 flex, modelo 2011, é uma boa opção no mercado de usados
O Chevrolet Astra 2.0 flex, modelo 2011, é uma boa opção no mercado de usados Fotos: O Chevrolet Astra 2.0 flex, modelo 2011, é uma boa opção no mercado de usados

Bons tempos aqueles onde o consumidor tinha uma penca de hatches médios para escolher. Mas, atualmente, modelos como o Chevrolet Astra são uma saudosa e carinhosa lembrança. Pelo menos, é possível saciar essa ausência com boas opções do modelo da General Motors no mercado de carros usados.

O importante é que o carro mantém a boa relação custo/benefício que marcou a segunda metade de sua vida no Brasil. Verdade que muito pelo fato de o Chevrolet Astra ter se perpetuado no nosso país sob uma mesma geração, a segunda, que perdurou por quase 13 anos, de 1998 a 2011. Veja agora 10 fatos sobre o Chevrolet Astra.

chevrolet astra hatch 2.0 flex modelo 2010 branco de lateral estatico no asfalto
O hatch médio tem estilo esportivo, com balanço traseiro curto

1 – Relembrando um pouco da trajetória do Astra

A segunda geração do Chevrolet Astra foi lançada por aqui em 1998 e sucedeu a primeira leva do modelo médio, que foi importada da Bélgica em variantes hatchback e station-wagon. O exemplar brasileiro, por sua vez, foi produzido em carrocerias hatch e sedan (a partir de 1999), inicialmente em variantes duas portas.

O Chevrolet Astra começou sua vida no Brasil com motores 1.8, de 110cv, e 2.0, de 112cv, que no ano seguinte ao lançamento teve a potência aumentada para 128cv. Em 2002, surgiram as versões com câmbio automático de quatro marchas.

Em 2003, o Chevrolet Astra passou por sua primeira reestilização. O motor 1.8 saiu de cena, a gama estreou a versão esportiva GSI e também passou a ter opções quatro portas. O propulsor virou flex no ano seguinte e ainda houve tempo para uma inusitada versão com kit gás, sobre a qual falaremos abaixo.

chevrolet astra hatch gls primeira geracao azul escuro de traseira estatico no asfalto
A primeira geração do Chevrolet Astra chegou ao Brasil em meados da década de 1990, importado da Bélgica

No restante de sua trajetória no Brasil, o Chevrolet Astra hatch passou a conviver com sua geração mais moderna no país, vendida como Vectra GT. Contabilizou algumas séries limitadas, uma versão SS e perdeu as configurações duas portas.

No fim de vida, passou a ser vendido em versão única no mercado brasileiro e a potência do motor 2.0 foi aumentada mais uma vez: na ocasião, para até 140cv. O Chevrolet Astra deixou de ser fabricado no país em 2011.

2 – Uma boa relação custo/benefício

O Chevrolet Astra chegou para comprar briga especialmente com o Volkswagen Golf e o Fiat Brava – e, posteriormente, com o Ford Focus. Na primeira metade da década de 2000, no auge dos hatches médios, foi por vezes o mais vendido da categoria.

Em 2004, por exemplo, teve quase 20 mil unidades emplacadas. Superou em muito o Golf (14 mil), o Focus (11 mil) e o Fiat Stilo (10 mil).

Com a chegada de outros rivais e o passar do tempo, GM passou a evidenciar a relação custo/benefício do Chevrolet Astra. O hatch se tornou opção aos compactos premium. Ou seja, oferecia espaço de médio pelo preço dos pequenos mais completos, como VW Polo e Fiat Punto.

Mesmo assim, se manteve bem nas vendas. Em 2010, já como linha 2011 e em configuração única, o Chevrolet Astra anotou mais de 30 mil unidades vendidas. Ficou atrás no segmento de hatches médios apenas do Hyundai i30, que teve 36 mil unidades negociadas naquele ano.

chevrolet astra hatch 2.0 flex modelo 2010 branco de traseira estatico no asfalto
Aerofólio na tampa do porta-malas reforça o visual esportivo do hatch

3 – O que dizer do desempenho do Chevrolet Astra?

Desde seus primórdios, este Chevrolet Astra, de 1998 a 2011, usou motor Família II da GM. Como dito, começou com o 1.8 e 2.0, ambos oito válvulas. Mas o desempenho começou a ficar mais legal perto do fim de vida.

Dois anos antes de sair de linha, o Chevrolet Astra teve seu motor flex recalibrado para 140cv (etanol)/133cv (gasolina). O grande trunfo do propulsor sempre foi a arrancada. Com boa força em rotações baixas, o Astra logo atinge boas velocidades.

As primeiras relações do câmbio manual são um pouco longas e o 0 a 100km/h fica abaixo dos 11 segundos. Sabendo trabalhar a transmissão, é possível obter retomadas espertas.

chevrolet astra hatch 2.0 flex modelo 2010 branco cofre do motor estatico no asfalto
Motor 2.0 flex gera 140cv de potência máxima

4 - Comportamento dinâmico do hatch médio

Para encarar Golf e Focus não basta ter um desenho arrojado e motor bem disposto. A dinâmica era fator preponderante nesta categoria, e a GM fez um trabalho eficiente com o Chevrolet Astra.

Mesmo para os padrões atuais, a plataforma T-Body, de origem Opel e do fim dos anos 1990, resulta em um carro com construção sólida. O Astra tem boa estabilidade nas curvas e pede poucas correções na direção quando em altas velocidades.

5 - Nossa dica sobre a melhor versão

Indicamos o derradeiro ano do Chevrolet Astra, 2011. Vendido em versão solitária Advantage, o hatch tem preços médios entre R$ 31 mil e R$ 38 mil (valores coletados na última semana de agosto de 2023).

Aqui, o modelo já está com o motor 2.0 em sua maior potência. Além disso, com tanto tempo de estrada, o Chevrolet Astra 2011 é daquela safra onde todos os ajustes possíveis no projeto já foram feitos pela montadora.

Entre os equipamentos, não espere muito em relação a itens de segurança – de importante mesmo só o retrovisor eletrocrômico. Ar-condicionado automático, direção hidráulica, trio elétrico, volante com ajustes de altura e de distância, faróis com regulagem em altura e banco traseiro bipartido fazem do Chevrolet Astra 2011 um carro relativamente completo.

6 – Teve opção com kit de gás natural veicular

Quem lembra do Chevrolet Astra Multipower? Era a denominação da linha do hatchback médio para a configuração vendida com GNV. A opção foi lançada em 2004 como o primeiro carro nacional a sair de fábrica com gás natural veicular e capacidade para rodar com três combustíveis (etanol, gasolina e GNV).

O sistema era fornecido pela Redegás na época e o Astra Multipower logo fez a cabeça dos taxistas. São poucas as versões sobreviventes atualmente e é preciso atenção ao histórico de manutenção do kit.

7 – As séries bacanas do Chevrolet Astra

Foram muitas as edições especiais do Chevrolet Astra. A primeira foi em 2000, a série 500, limitada ao mesmo número de unidades do nome e em homenagem à chegada dos portugueses ao Brasil. Naquele mesmo ano, o carro ainda teve outra tiragem especial, chamada Millenium.

Em 2002, mais edições: Expression e Sunny. Cinco anos mais tarde, surgiram as séries Advantage e Advantage Plus, que depois viraram versões normais de acabamento dentro do portfólio. O Chevrolet Astra, inclusive, deu adeus em 2011 com a única opção disponível: Advantage.

chevrolet astra hatch 2.0 advantage flex modelo 2008 vermelho de traseira estatico no asfalto
Chevrolet Astra 2.0 Advantage modelo 2008

8 – Hatch ganhou também 'traje esporte'

A sigla GSI remete a carros emblemáticos da General Motors dos anos 1990 e 2000. Corsa, Vectra e Astra experimentaram as três letras para embalar suas versões esportivas – ou “esportivadas”.

No caso do Chevrolet Astra GSI, ele foi apresentado junto com a remodelação da linha 2002. No lugar do motor oito válvulas, o 2.0 16V da minivan Zafira, capaz de gerar 136cv de potência.

O acerto esportivo no Astra, porém, era bem mais discreto que nos GSI antecessores. Tinha freios a disco nas quatro rodas e calibragem mais firme da suspensão dianteira – mais para aguentar o peso extra do motor multiválvulas.

O traje chamava mais a atenção, obviamente. Saias dianteiras e laterais, spoiler traseiro, rodas de liga leve aro 16” exclusivas, revestimento estampado no interior e quadro de instrumentos com fundo branco integravam o pacote visual do Chevrolet Astra GSi.

chevrolet astra hatch ss 2.0 modelo 2006 preto de frente estatico no asfalto
Chevrolet Astra SS, modelo 2006

9 – E como são os preços de manutenção do Astra?

Mecanicamente, o Chevrolet Astra é um carro de manutenção relativamente simples e com peças fáceis de achar. No caso dos 2.0 16V e das versões com câmbio automático, as despesas costumam ser um pouco maiores.

Já os componentes têm preços razoáveis no mercado. Confira o preço de algumas peças do Chevrolet Astra 2.0 8V 2011.

  • Jogo com quatro pastilhas do freio dianteiro: de R$ 80 a R$ 120
  • Jogo com quatro velas de ignição: de R$ 70 a R$ 100
  • Bomba de combustível: de R$ 160 a R$ 310
  • Kit troca de óleo (4 litros 5w30 + filtro): de R$ 270 a R$ 340
  • Amortecedor traseiro: de R$ 500 a R$ 850 (par)
  • Para-choque traseiro: de R$ 480 a R$ 640
  • Farol direito: de R$ 440 a R$ 590

chevrolet astra hatch 2.0 flex modelo 2010 branco interior cambio manual de cinco marchas estatico no asfalto
Câmbio manual de cinco marchas contribui para o bom desempenho do hatch

10 – Confira os principais problemas do hatch médio

A tampa do comando de válvulas do motor do Chevrolet Astra é feita de plástico e perde o poder de vedação com o calor. Por isso, fique atento, porque, com o tempo, ela pode deixar vazar óleo lubrificante.

Outras queixas recorrentes de donos de Chevrolet Astra dizem respeito à suspensão dianteira, que apresenta ruídos excessivos e desgaste precoce das buchas. Para modelos 2003 e 2004, atenção ao motor. Os primeiros Astra flex apresentavam falhas na hora da partida e perda de potência.

chevrolet astra hatch 2.0 flex modelo 2010 branco roda liga leve estatico no asfalto
Roda de liga leve de 16 polegadas era item de série nas versões de topo

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas