Adeus!

Hyundai Veloster vai sair de linha globalmente no mês que vem

Fora do mercado brasileiro há quase uma década, modelo prosseguiu em outros países, mas tem apenas mais um mês de vida

Foto: Hyundai/Divulgação
Atualmente, Hyundai vende o Veloster apenas a versão esportiva N nos Estados Unidos Hyundai Veloster N azul de frente fazendo curva

Lembra-se do Hyundai Veloster? O modelo, que teve uma passagem relâmpago no mercado brasileiro, não é mais importado há quase uma década, mas seguiu à venda em outros mercados. Inclusive, em 2018, surgiu uma geração inteiramente nova, que nunca existiu por aqui. Porém, a produção em âmbito global deve durar apenas até o mês que vem.

É o que revela o site The Drive: segundo a publicação, a Hyundai encerrará a produção do Veloster, na Coreia do Sul, em julho próximo. Como o fabricante não planeja lançar uma nova geração, o modelo simplesmente sairá de linha em âmbito global.

A decisão do fabricante é puramente mercadológica: no mundo inteiro, a demanda por hatches médios está em queda. No lugar deles, os consumidores têm optados pelos SUVs. Nos Estados Unidos, por exemplo, a Hyundai enxugou a gama do Veloster no ano passado. Desde então, vende apenas a versão esportiva N, equipada com motor 2.0 turbo de 275 cv.

Isso se deve a uma queda gradativa nos números de vendas do modelo por lá. No último mês de janeiro, janeiro, ele somou apenas 86 emplacamentos no mercado estadunidense. Para substituí-lo, a marca asiática apostará nas configurações N do sedan Elantra e do SUV Kona.

Hyundai Veloster no Brasil

No Brasil, Hyundai Veloster teve a imagem prejudicada devido ao fraco desempenho

No Brasil, a carreira do Hyundai Veloster foi polêmica e, consequentemente, efêmera. O lançamento ocorreu em 2011, mas a Caoa, importadora da marca sul-coreana no país, deixou de trazê-lo cerca de dois anos depois. O problema era o motor 1.6 de aspiração natural, incompatível tanto com o design esportivo quanto com o preço cobrado pelo modelo.

No material de publicidade, a Hyundai-Caoa chegou a afirmar que o Veloster desenvolvia 140 cv. Isso, graças a um sistema de injeção direta de combustível. Porém, quando as primeiras unidades chegaram ao país, ficou claro que o motor 1.6 tinha um sistema de alimentação convencional, do tipo indireto. Naturalmente, a potência era menor que a informada.

No fim das contas, o Veloster importado para o Brasil dispunha do mesmíssimo motor 1.6 que a Hyundai utilizava na linha HB20. Assim, a potência, na verdade, ficava na casa dos 128 cv. Vários consumidores que adquiriram o modelo em esquema de pré-venda entraram na justiça. Por fim, o veículo virou alvo de piadinhas devido ao fraco desempenho.

 Em 2014, durante o Salão do Automóvel de São Paulo, a Hyundai-Caoa chegou a confirmar o lançamento de uma versão turbo do Veloster no Brasil. Sobrealimentado, o motor 1.6 passou a render potência digna para um esportivo, atingindo 204 cv. Porém, o modelo não veio, e o importador nunca mais tocou nesse assunto.

Potência do Hyundai Veloster foi uma de várias “mentirinhas” que os fabricantes de veículos já contaram no Brasil: assista ao vídeo e conheça 10 delas!