USADOS

Ford Ka: 10 pontos que definem se o compacto é boa opção

O pequeno da Ford teve uma de suas melhores fases em sua derradeira e última geração, que tem boa procura no mercado de usados

ford ka 1.0 prata quatro portas frente
Terceira geração do Ford Ka foi muito bem sucedida e chegou a brigar nas primeiras colocações entre os modelos mais emplacados no Brasil Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

O fim das atividades industriais da Ford no Brasil levou a reboque um dos melhores exemplares do segmento de compactos no país. O Ford Ka de última geração era um carro bastante competente e carregava conjuntos mecânicos que se destacavam pelo desempenho e eficiência. Portanto, o Ford Ka não era mais o subcompacto para o qual muita gente torcia (injustamente) o nariz. Tinha espaço condizente com o dos concorrentes e preço competitivo.

Por isso, não é de se estranhar que por anos o Ford Ka disputou a vice-liderança dos carros de passeio mais vendidos do país com o Hyundai HB20. E em seu último ano de vendas, 2020, foi o quinto mais emplacado, com mais de 60 mil unidades entregues.

Ford Ka Freestyle 1.0 quatro portas cobre modelo 2019 frente
Ford Ka Freestyle é a versão de estilo aventureiro que tem as opções de motores 1.0 e 1.5

A força do Ford Ka é comprovada no segmento de usados. Mesmo com a debandada da marca, o hatch compacto tem boa demanda entre os seminovos e valorização que acompanha seus rivais de segmento. Por isso, esta terceira geração do Ford Ka – exclusiva de mercados emergentes – é uma boa opção de carro de segunda mão. Para tal, conheça 10 fatos sobre o compacto.

1 – Os motores do último Ford Ka

Esta terceira e última geração do Ford Ka trouxe o que é considerado um dos melhores motores de três cilindros do mercado brasileiro. O 1.0 de 80cv (gasolina)/85cv (etanol) tem baixa vibração e ainda entrega uma disposição interessante para um “mil”. Na virada de 2018 para 2019, recebeu sistema de partida a frio sem necessidade de tanquinho e correia banhada a óleo.

Já o 1.5 16V da família Sigma abriu os trabalhos nas versões de topo de linha do Ford Ka, lá em 2014, com seus 105cv (g)/110cv (e). Mas o upgrade na parte de cima da gama se deu justamente na remodelação 2018/2019, quando entrou em cena o 1.5 Dragon três canecos, com 128cv (g)/136cv (e), comando de válvulas variável na admissão e no escape e bomba de óleo variável.

Melhor: o motor maior passou a ter a opção de câmbio automático de seis marchas. Automático mesmo, pois naquela época a Ford já tinha, felizmente, abandonado a problemática caixa Powershift.

ford ka 1.0 freestyle cobre quatro portas traseira
Versão aventureira do compacto tem suspensões elevadas e reforçadas, ficando mais robusto para enfrentar os obstáculos do dia a dia

2 – Acerto dinâmico do Ford Ka

Foi nessa fase também que o Ford Ka melhorou muito no quesito estabilidade. A engenharia da Ford deu um trato na rigidez da carroceria, que melhorou em 5% com a adoção de reforços estruturais no teto e nas colunas centrais.

Além disso, se valeu de um defletor para baixar o coeficiente aerodinâmico de Cx 0,34 para Cx 0,33, e promoveu uma calibragem mais firme de molas e amortecedores da suspensão. O Ford Ka ganhou também um acerto mais rígido na direção com assistência elétrica,

O resultado é que o compacto ficou mais equilibrado e menos molenga, especialmente em curvas. A ideia era descolar mesmo do HB20 e do então líder Onix, tanto que a apresentação à imprensa da linha 2019 foi em um autódromo, onde jornalistas também tinham à disposição exemplares dos rivais da Hyundai e da GM.

3 – Eficiência energética, consumo baixo

Segundo dados do Inmetro de 2019, o Ford Ka 1.0 anotava médias de consumo de 13,4km/l (gasolina) e 9,2km/l (etanol) na cidade, e de 15,5km/l (g) e 10,7km/l (e) na estrada. O 1.5 12V anotava médias urbanas de 12,9km/l (g) e 8,4km/l (e), e rodoviárias de 14,8km/l (g) 10,3km/l (e), com câmbio manual. Nas variantes com câmbio automático: 11km/l (g) e 7,8km/l (e) na cidade, e 14,2km/l (g) e 10,1km/l (e) na estrada.

Ford Ka 1.0 Freestyle lateral cobre quatro portas modelo 2019
O Ka Freestyle tem rack de teto, saias laterais e rodas escurecidas para diferenciar o visual das demais versões

4 – Manutenção simples e em conta do Ford Ka

O modelo tem motores com fama de mecânica simples e facilidade em achar peças. Além disso, os componentes não chegam a ter preços exorbitantes, com exceção do jogo completo de amortecedores traseiros:

  • Kit com pastilhas de freio: R$ 70 a R$ 150
  • Bomba de combustível: R$ 180 a R$ 300
  • Jogo de velas: R$ 80 a R$ 130
  • Kit amortecedores traseiros: R$ 1.200 a R$ 1.500

5 – Preços das revisões do Ford Ka

Ao mesmo tempo, a Ford mantém planos de revisões com preço fixo para depois da garantia de 60 mil quilômetros ou três anos. Confira os valores das visitas e o que é feito em cada manutenção do Ford Ka.

40 mil quilômetros

Ford Ka 1.0: R$ 898 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de combustível, elemento filtro de pólen da caixa de ventilação e elemento do filtro de ar.

Ford Ka 1.5: R$ 1.070 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de combustível, elemento do filtro de ar, elemento filtro de pólen da caixa de ventilação e vela de ignição.

50 mil quilômetros

Ford Ka 1.0: R$ 685 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor e filtro de combustível.

Ford Ka 1.5: R$ 644 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor e filtro de combustível.

Você já conferiu o vídeo do teste do Chevrolet Onix RS? Não perca!

60 mil quilômetros

Ford Ka 1.0: R$ 1.396 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de combustível, elemento do filtro de pólen da caixa de ventilação e velas de ignição.

Ford Ka 1.5: R$ 765 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de combustível e elemento do filtro de pólen da caixa de ventilação.

70 mil quilômetros

Ford Ka 1.0: R$ 685 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor e filtro de combustível.

Ford Ka 1.5: R$ 644 – Óleo do motor, filtro de óleo do motor e filtro de combustível.

Ford Ka Freestyle modelo 2019 cobre quatro portas interior painel
As versões de topo de linha do compacto são bem equipadas e trazem ar-condicionado, bancos revestidos em couro e multimídia Sync

6 – O que dizer do espaço e conforto do Ford Ka?

O Ford Ka feito em Camaçari (BA) está longe de ser um carro espaçoso, mas segue a cartilha do segmento. Motorista tem boa posição de dirigir e vão suficiente para pernas e joelhos – peca pela falta de ajuste de distância do volante. Só tem regulagem em altura.

O banco traseiro do Ford Ka tem espaço justo para dois passageiros adultos, sem grandes ousadias para pessoas com 1,80m de altura. Já o porta-malas estava entre os piores da categoria, com 257 litros. Perde em volume para o do HB20 (300 l) e do Onix (275 l), mas a capacidade de carga do hatch da Ford é melhor que o da GM: 427kg contra 375kg.

7 – Como é a desvalorização do Ford Ka?

Levantamento recente feito pela Mobiauto mostra que o Ford Ka, na versão SE 1.0, foi um dos modelos que mais valorizaram nos últimos anos. Na comparação do preço da versão vendida como zero quilômetro, em maio de 2020, com o valor médio cobrado no mercado de seminovos em maio de 2022, o modelo passou de R$ 41.725,71 para R$ 55.907,86 em dois anos, alta de quase 34%.

Já a versão topo de linha e pseudo aventureira Freestyle, com motor 1.5 e câmbio automático de seis marchas, teve valorização bem menor no mesmo período. Segundo o levantamento da Mobiauto, o Ford Ka Freestyle 1.5 custava, em média, R$ 70.527,78 em maio passado, valorização de cerca de 10% na comparação com o mesmo mês de 2020.

Ford Ka Freestyle modelo 2019 cobre quatro portas porta-malas
O porta-malas do Ford Ka é um dos menores do segmento, com apenas 257 litros

8 – Ford Ka com pinta de aventureiro

Pois é, mas para quem gosta de hatches aventureiros, a Ford aproveitou o sobrenome famoso do EcoSport para batizar o Ka Freestyle metido a fora de estrada em 2018. Inicialmente, equipado apenas com motor 1.5, o carro seguia o padrão para os “off-road” light.

Além das molduras nos para-lamas e para-choques, grade diferenciada, rodas escurecidas exclusivas, saias laterais e rack no teto, o modelo ganhou suspensão elevada e reforçada. Dentro, acabamento diferenciado e uso de tecido misturado à imitação de couro. Nos equipamentos, vinha com o mesmo recheio da topo de linha Titanium.

Como representava menos de 10% das vendas na linha, a Ford tentou dar um ânimo no aventureiro e, em 2020, lançou a versão Freestyle com motor 1.0. A receita estética era a mesma.

9 – Uma versão legal do compacto

A versão Titanium do Ford Ka pós-2019 é a opção mais equipada da linha, sem as firulas da versão Freestyle. Entre os equipamentos de segurança, seis airbags, controles de estabilidade, tração e subidas, sensor e câmera de ré. Ar-condicionado, trio elétrico (vidros, retrovisores e portas), bancos revestidos em couro, chave presencial, rodas de liga-leve e central multimídia Sync com tela de 6,5 polegadas completam o pacote.

Só prepare o bolso. O Ford Ka Titanium 1.5 AT 2019 tem preços médios entre R$ 68 mil e R$ 75 mil nos principais sites de compra e venda de seminovos do país.

ford ka linha 2019 frente hatch sedan
A linha 2019 foi a última do Ford Ka antes de a montadora do oval azul interromper sua produção no Brasil

10 – Os defeitos mais comuns do Ford

Queixas coletadas em fóruns com donos de Ford Ka e no site do Reclame Aqui apontam alguns problemas comuns em relação ao modelo. Um dos mais frequentes diz respeito à embreagem, que apresenta ruídos ao acionar a ré e também dificuldade nos engates do câmbio.

Dificuldades ao dar a partida e infiltração de água na cabine são outras reclamações constantes. Sem falar nos ruídos internos, resultado do acabamento bem fraco do hatch compacto da Ford.

Fique atento que este Ford Ka de terceira geração teve recalls envolvendo o cilindro da ignição, fechaduras das portas e até chaves em modelos produzidos em 2014. Também houve chamados para troca dos cintos de segurança de unidades feitas em 2016, e para substituição do volante e da estrutura dos bancos em modelos 2018 e 2019.