INVESTIDA VERDE

General Motors estabelece estratégia pautada na sustentabilidade

Eletrificação traz nova perspectiva para a GM na América do Sul, que avalia novas oportunidades de negócio na região

Publicidade
Ilustração com vários veículos da General Motors alinhados lado a lado, mostrando imponência. Há um drone também
GM está trabalhando com governos e parceiros globais para realizar sua visão de um futuro com zero acidente, zero emissão e zero congestionamento Imagem: General Motors/Divulgação

O presidente da General Motors International, Shilpan Amin, revelou nesta semana que a empresa tem como estratégia de crescimento global a construção de um futuro mais sustentável para o planeta, por meio da expansão das tecnologias de zero emissão e das tecnologias autônomas. Segundo o executivo, a General Motors (GM) – que opera no Brasil sob a marca Chevrolet – pretende liderar a transformação da mobilidade e também enfrentar os principais desafios das mudanças climáticas, dos congestionamentos e da segurança viária.

Shilpan Amin também destacou que a GM está trabalhando com governos, parceiros e até mesmo com indústrias de outros setores para acelerar o processo de eletrificação. Aspectos fundamentais estão sendo discutidos, como a expansão da infraestrutura para recarga dos veículos elétricos (EVs), além de regulamentações e políticas públicas apropriadas.

“Os mercados onde a GM atua internacionalmente estão bem encaminhados para gerar escala para nossa estratégia global de crescimento, beneficiando o planeta e toda a sociedade neste processo. Temos o talento, as tecnologias e os recursos para impulsionar esta oportunidade pelo mundo.”, completa.

A General Motors na América do Sul

A América do Sul é uma das regiões onde a GM já anunciou os planos de eletrificação de curto prazo. Por aqui, já foram anunciados o Chevrolet Blazer EV, o Equinox EV e Bolt EUV.

A empresa vem tendo resultados muito positivos no Brasil. De acordo com o jornal Estado de Minas, no segundo trimestre foram emplacados 66 mil carros da marca, o que representa uma alta de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos Estados Unidos, a empresa anunciou uma queda de 13% na mesma base comparativa.

“Por causa da expansão energética, novos investimentos estão no nosso radar. A eletrificação traz outra perspectiva para a GM na América do Sul, principalmente em função dos veículos, tecnologias e serviços que desenvolvemos globalmente. Estamos avaliando novas oportunidades de negócio na região, tendo em vista uma maior diversificação”, diz Santiago Chamorro, presidente da GM América do Sul.

A GM e a Honda também anunciaram recentemente planos que expandem a parceria entre as duas marcas. Em comunicado divulgado em abril, as empresas disseram que tinham o objetivo de compartilhar o que têm de melhor em termos de tecnologia, design e manufatura para oferecer uma linha mais acessível de veículos elétricos em escala global para mercados como a América do Norte, América do Sul e China. Esta nova família global de veículos elétricos deve chegar ao mercado no fim desta década.

Global

A GM vem mudando o seu escopo de negócio, passando de fabricante de automóveis para uma plataforma de inovações em mobilidade, com o fornecimento também de hardware, software e serviços conectados. A GM tem vários investimentos e parcerias globais em andamento, que colocam a empresa na liderança desta transformação da mobilidade elétrica.

Entre essas parcerias está a da GM com a LG. Ambas estão investindo mais de US$ 7 bilhões para construir quatro fábricas para expandir a capacidade instalada de produção das baterias com a tecnologia Ultium.

Shilpan Amin também destaca outros feitos importantes da marca:

Em relação à excelente aceitação do consumidor pela nova linha de EVs – “Acabamos de apresentar em detalhes o design do Chevrolet Blazer EV; mais de 73 mil pessoas já reservaram o GMC Hummer; ampliamos a produção do Chevrolet Bolt EV e do Bolt EUV e estamos prevendo um recorde de vendas do modelo neste ano e no próximo ano”.

O presidente global lista também avanços da empresa em novas áreas de negócio:

“A Cruise se tornou a primeira empresa de carros autônomos a ser autorizada a cobrar tarifa de consumidores que solicitam uma viagem por aplicativo em veículo sem motorista; e a BrightDrop, uma startup incubada pela GM que oferece um portfólio de soluções para entregas, que vai desde vans até carrinhos de empurrar elétricos, passando por software e serviços. Tudo isso já está transformando a forma como empresas de logística administram suas frotas após pouco mais de um ano de existência”.