UAI
MEMÓRIA

Ponte Rio-Niterói: história de 50 anos teve até comercial de carro

Estrutura serviu de palco para uma das propagandas de lançamento do Fiat 147, em 1976

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Fiat quis destacar a economia de combustível do 147 em uma travessia da ponte Rio-Niterói
Fiat quis destacar a economia de combustível do 147 em uma travessia da ponte Rio-Niterói Foto: Fiat/Divulgação

A Ponte Rio-Niterói está completando 50 anos nesta segunda-feira (4). Inaugurada com pompa e circunstância no dia 4 de março de 1974, como parte da BR-101, a estrutura logo se tornou uma ligação viária vital para o estado do Rio de Janeiro. Ao longo dessas cinco décadas de história, a obra foi palco de várias cenas memoráveis, que incluem até uma icônica propaganda de carro: no caso, do Fiat 147.

A peça publicitária em questão tinha o objetivo de mostrar que o Fiat 147 era econômico. Assim, o fabricante decidiu fazê-lo atravessar a ponte com apenas 1 litro de gasolina no tanque. O "detalhe" é que esse trajeto tem uma extensão de 14 quilômetros, o que faz com que, até hoje, a Rio-Niterói ocupe a posição de maior ponte da América Latina. Assista ao vídeo do comercial:

o Fiat 147 não apenas cumpriu o desafio, comoainda terminou a travessia com cerca de 250ml de gasolina de sobra no tanque.Ao menos de acordo com apropaganda,que afirma que o carro "cobriu os 14 quilômetros da Rio-Niterói com apenas três quartos de um litro". A peçadestaca ainda que o veículo estava com quatro pessoas a bordo e circulou "a uma velocidade normal de estrada", embora sem informar o valor exato.

Nesse ponto, vale lembrar que o 147 foi o primeiro carro nacional da Fiat, sendo que o lançamento ocorreu justamente em 1976: assim, a propaganda na Ponte Rio-Niterói foi uma das primeiras do modelo no Brasil. O hatch compacto deu origem a uma família completa de veículos, incluindo a perua Panorama, o sedan Oggi e a Pick-up e o Fiorino. O pioneiro da marca italiana saiu de linha em 1986, dando lugar ao Uno.

Mais sobre a história da Ponte Rio-Niterói 

Ponte Rio-Niterói vista a partir do mar: em primeiro plano, há um barco que acaba de passar por baixo da estrutura, composta por centenas de pilares, sendo que vários deles, em perspectiva, são vistos em segundo plano
Atualmente, 400 mil pessoas em 150 mil veículos cruzam a Ponte Rio-Niterói todos os dias Foto: Fábio Motta/Agência Estado/AE

A ideia de erguer uma ponte para ligar os municípios do Rio de Janeiro e de Niterói data de 1875, mas somente em 1963 foi criado um grupo de trabalho para desenvolver o projeto. Em 23 de agosto de 1968, o general Arthur Costa e Silva, então presidente da ditadura militar, assinou decreto autorizando a construção. 

Devido ao contexto histórico no qual ocorreu a construção, a Ponte Rio-Niterói acabou servindo como mote para propagandas do regime militar. Apesar de sucessivas tentativas de mudança, até hoje é o líder do período ditatorial que dá o nome oficial da Rio-Niterói: Ponte Presidente Costa e Silva. Outro ponto sensível é o de óbitos registrados durante as obras: oficialmente, foram 33 trabalhadores mortos, mas estimativas não oficiais da época apontam que o número de vítimas fatais pode chegar a 400.

De qualquer modo, a Ponte Rio-Niterói é uma das mais importantes realizações da engenharia brasileira.  O Vão Central é, ainda hoje, o maior em viga reta do mundo, com 300 metros de comprimento e 72 metros de altura. Outro número que impressiona é o de vigas ao longo da estrutura: são 1.152 no total. Atualmente, 400 mil pessoas, em 150 mil veículos, cruzam a ponte diariamente.

*Com informações da Agência Brasil