UAI
LISTÃO

Para além do Carnaval: veja 5 carros nacionais fantasiados

No passado, em especial, quando o mercado brasileiro era fechado às importações, transformar veículos era prática comum

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
É um Mercedes? Não exatamente...
É um Mercedes? Não exatamente... Fotos: Divulgação

Usar fantasias não é algo que ocorre apenas no Carnaval, ao menos no que diz respeito aos automóveis. No passado, em especial nas décadas de 1970 e 1980, quando o mercado brasileiro era fechado às importações, era comum transformar os carros nacionais para deixá-los parecidos com modelos de marcas premium, como BMW e Mercedes-Benz. 

Carros nacionais fantasiados

A febre por esse tipo de adaptação era tamanha que algumas empresas de acessórios, como Souza Ramos e Envemo, chegavam a produzir kits específicos: era só montá-los e tirar onda com um automóvel, aparentemente, de classe superior. Uma verdadeira fantasia, tanto para o proprietário quanto para o veículo. O VRUM aproveitou o clima de Carnaval para relembrar 5 desses carros nacionais "mascarados". Confira o listão!

1- Monza-Benz

Chevrolet Monza transformado para se parecer com o Mercedes-Benz 190.
Monza-Benz é uma das transformações mais famosas da década de 1980 Foto: Divulgação

Talvez a mais famosa transformação de automóvel nacional para importado de luxo tenha sido a do Chevrolet Monza em Mercedes-Benz 190 E. As alterações incluíam grade dianteira, para-choques e rodas, sendo que as mais fiéis traziam até as lanternas e os emblemas do sedan premium. Diferentes empresas ofereceram kits desse tipo, incluindo Agromotor e Le Car. 

2- Monza Pontiac

Chevrolet Monza adaptado com dianteira similar à do Pontiac J2000
Empresa Envemo deu ao Monza uma dianteira inspirada no Pontiac J2000 Foto: Divulgação

Eis uma modificação que até faz algum sentido. Afinal, o estadunidense Pontiac J2000 compartilhava a plataforma com o Chevrolet Monza, já que ambas as fabricantes integravam a General Motors (GM). A fantasia de carnaval, ou melhor, kit de acessórios, era da Envemo, especialista nos carros nacionais da marca: trazia grades e para-choque dianteiro em fibra e podia até incluir o corte da capota para transformar o modelo em conversível.

3- Monza Le Baron

Chevrolet Monza adaptado com dianteira de Chrysler Le Baron pela Adamo
Dianteira similar à do Chrysler Le Baron incluía faróis escamoteáveis Foto: Divulgação

Pelo visto, o Monza é um dos carros nacionais mais adeptos às fantasias de Carnaval. Só que, em vez de deixá-lo com aparência de Mercedes-Benz ou de Pontiac, a empresa paulistana Adamo "vestiu" o sedan da Chevrolet de Chrysler Le Baron. A dianteira trazia grade cromada, para-choques exclusivos e até abas escamoteáveis sobre os faróis, feitas (claro) em fibra de vidro. 

4- Verona BMW

Ford Verona adaptado pela Souza Ramos para se parecer com um BMW M3
Kit da Souza Ramos dava ao Ford Verona ou ao Volkswagen Apollo elementos do BMW M3 Foto: Divulgação

Uma das últimas empresas a modificar carros nacionais foi a Souza Ramos, ou simplesmente SR, especialista na marca Ford. Em 1990, quando o país começava a se abrir às importações, chegou ao mercado um kit para transformar o Verona (ou o clone Volkswagen Apollo) em... BMW M3. Além de uma mudança drástica na dianteira, que recebia faróis duplos, grade bipartida e para-choques em fibra, a adaptação podia incluir também aumento de potência do motor 1.8, de 92cv para 105cv.

5- Fusca Rolls Royce

Volkswagen Fusca com capô que imita um Rolls Royce
Transformação de Fusca em Rolls Royce não enganava, mas dava ar divertido ao carrinho Foto: Ediouro/Reprodução

O Volkswagen Fusca, simples e acessível por natureza, e um Rolls Royce, luxuoso e aristocrático, são modelos completamente antagônicos, certo? É verdade, porém, apesar disso, existiram kits para deixar o primeiro com a aparência do segundo, que traziam um capô com grade falsa e novos faróis. O resultado não chegava a enganar, mas o caso é que diferentes empresas de acessórios ofereceram esses componentes, sendo que a paulistana Edmorba foi uma das mais famosas. Transformações do gênero também ocorreram em outros países.