UAI
DUAS RODAS

Mundo das motos: Kymco anuncia a chegada de scooters

Marca taiwanesa revela que vai trazer oficialmente os modelos Downtown 350 e AK500 em sua versão Premium; confira ainda os preços da nova BMW R 1300 GS

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Scooter Kimco Downtown 350 vai desembarcar no Brasil em 2024
Scooter Kimco Downtown 350 vai desembarcar no Brasil em 2024 Foto: Kymco/Divulgação

A taiwanesa Kymco (Kwang Yang Motor Company), fundada em 1964, há exatos 60 anos, produzindo motos e scooters (de 1982 a 2003 foi uma joint venture com a Honda), tem uma rede mundial de distribuição. No Brasil desde 2017, a Kimco é comercializada pela JTZ Motors, que também representa as marcas Suzuki, Haojue, Zontes e Hisun. A JTZ havia mostrado o scooter Downtown 350 durante o Festival Interlagos, em julho de 2023, apenas como teste de aceitação e mercado.

Agora, a marca anuncia que vai trazer oficialmente os scooters Downtown 350 e AK500 em sua versão Premium.. O modelo AK 550 já é comercializado no Brasil desde 2020. A JTZ, porém, não informou as datas de lançamento e se as duas versões do scooter vão conviver no mercado. O Downtown 350 tem motor de um cilindro, 321cm³, que rende 29cv a 7.500rpm e torque de 3,1kgfm a 6.000rpm. Um dos grandes atrativos do Downtown 350 é o espaço sob o banco, que comporta até dois capacetes.

O anunciado AK500 Premium, embora já tenha em sua linha o AK 550, deve seguir a mesma direção. Motor com dois cilindros arrefecido a líquido, cerca de 50cv, dois modos de pilotagem, controle de tração, painel com conectividade e indicador de pressão dos pneus. Entre as mordomias, traz aquecimento de manoplas em três níveis, tomada USB, banco com ajuste lombar, espaço sob o banco com iluminação, chave inteligente e farol em LED. Os freios são Brembo com ABS Bosch. A suspensão dianteira é invertida com 41mm de diâmetro e 120mm de curso em roda de liga leve com aro 15 polegadas. Atrás, sistema mono com dupla câmara.

Honda nas competições

Pelo 46º ano consecutivo, a Honda Brasil apresenta seu time de competições. As equipes de motocross, Rally, Enduro e Motovelocidade, porém, também contam com pilotos estrangeiros que vieram para cá e pilotos brasileiros que disputaram temporadas no exterior e voltaram, estabelecendo o intercâmbio de dois sentidos. Este é o caso do time de motocross, que conta com o francês Stephen Rubini e o equatoriano Jetro Salazar. Os brasileiros são Gustavo Pessoa, Bernardo Tibúrcio e Vitor Borba, além do chefe de equipe Reinaldo Almeida. Na motovelocidade, Eric Granado, que disputou o mundial de superbike, foi repatriado. Guilherme Brito e João Carneiro com o chefe de equipe Reinaldo Campos completam o time.

Equipe Honda de competições pilotos de diferentes provas reunidos no palco
Equipe Honda Racing Brasil 2024 reúne pilotos brasileiros e estrangeiros Foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação

Na equipe de enduro, Bruno Crivilin, que disputou o mundial de enduro, também foi repatriado. Os pilotos Vinicius Calafati, Alexandre Valadares e Bárbara Neves fecham o time com o chefe de equipe Fernando Silvestre. A equipe de rally tem o americano Mason Klein e o argentino Martin Duplessis ao lado dos brasileiros Gabriel Soares e Tiago Wernersbach e o chefe de equipe Dário Júlio. A Honda tem ainda a equipe satélite JP Motocross, com o chefe de equipe João Paulo Camargo e os pilotos Hector Assunção, Franco Lavecchia e Tatá Castro. Além das equipes oficiais, a Honda também patrocina campeonatos como o Rally dos Sertões e o Enduro da Independência, por exemplo.

Chinesa Kove

Fundada em 2017, a marca de motos chinesa Kove priorizou o mercado interno. Os planos de internacionalização incluíram participação no Salão de Milão de 2022 e 2023, além de disputar o Rally Dakar de 2024 com o modelo Kove 450 Rally. Um dos pilotos da marca, o californiano Mason Klein (atualmente piloto oficial Rally Honda Brasil), chegou em terceiro na etapa 2. A primeira participação no Dakar foi uma meta traçada por Xue Zhang, fundador da marca, ampliando a visibilidade mundial e robustez do modelo. A Kove também produz motos de 1, 2 e 4 cilindros entre 125cm³ e 800cm³, para os segmentos superesport, cross, enduro, adventure, scrambler, além de scooter e motos elétricas. O modelo 450 Rally veio para o Brasil com o propósito de obter homologação e possíveis acordos de importação e montagem.

Kove 450 Rally branca e vermelha de lateral em movimento na areia
Moto Kove 450 Rally foi homologada no Brasil Foto: Kove Divulgação

São duas versões. A versão High, com banco a 960mm, e a Low, com banco a 910mm do solo. O motor é DOHC com um cilindro, 449cm³ e arrefecimento líquido, com radiador de óleo. A potência é de 51,7cv a 9.500rpm e o torque 4,1kgfm a 7.000rpm. A suspensão dianteira tem tubos de 49mm e 260mm de curso na versão Low e 305mm na versão High. Na traseira, sistema mono com 250mm para a Low e 300mm para a High. Ambas são ajustáveis.

Os freios das motos têm disco de 290mm na dianteira e 240mm na traseira com ABS, que pode ser desligado na roda de trás. O peso com a moto abastecida é de 145 kg. Os equipamentos de série são: painel em TFT de cinco polegadas com conectividade, iluminação em LED, tomada USB e protetor em carbono. O preço na Itália é de 8.990 euros. Tem ainda a versão Pro, que acrescenta a torre para o road-book, escape em titânio, amortecedor de direção, faróis auxiliares e reservatório de água. Porém, não tem chave, ABS e retrovisores. A versão EX é ainda mais preparada para competições.

A elétrica FSD 59

O estúdio de design Frank Stephenson Design (FSD) apresenta no Salão de Genebra, na Suíça – 26 de fevereiro e 3 de março –, o futurista protótipo de moto elétrica FSD 59. O modelo tem banco, pedaleira e guidão ajustáveis. A suspensão, com amortecedor horizontal, liga os sistemas dianteiro e traseiro. A aerodinâmica foi estudada, com carenagem envolvente e um curioso para-brisa escamoteável, como uma espécie de capô que abre e fecha, conforme a velocidade, sobre o que seria o tanque de combustível. A FSD 59 utiliza materiais nobres na composição, porém, é egoísta. Só tem lugar para o piloto.

FSD 59 moto de estilo esportivo cinza com detalhes em vermelho no cavalete estática no estúdio
A FSD 59 tem estilo esportivo Foto: FSD/Divulgação

Vazaram os preços

A nova BMW R 1300 GS, carro-chefe da marca alemã, lançada mundialmente no fim de 2023, também está sendo produzida no Brasil, em Manaus, Amazonas. A fábrica brasileira é a única fora da Alemanha, exclusivamente de motos. O lançamento nacional será no início de abril. Porém, os preços, até então mantidos em segredo, vazaram. São cinco versões. A BMW R 1300 GS vai ter preço sugerido de R$ 99.900. A versão R1300 GS Plus custa R$ 118.900. A BMW R 1300 GS Trophy, R$ 118.900, e a versão R 1500 GS Triple Black, também R$ 118.900. A versão topo de linha, R1300 GS Option 719 Tramuntana, R$ 126.900.

BMW R 1300 GS 2024 verde e cinza de frente estática no estúdio
Preços da nova BMW R 1300 GS foram revelados Foto: BMW/Divulgação

Socorro

O Centro Cultural Movimento (CCM), localizado na cidade de Socorro (SP), abriga a história do motociclismo no Brasil. Exibe em sua exposição permanente, a linha do tempo da implantação da cultura motociclística nacional. O acervo reúne motos históricas, de competição do passado, motos nacionais, scooters, troféus de importantes pilotos, vestuário, capacetes, depoimentos, fotos, documentos, literatura etc.

Mulher de moto na beira da estrada estática
Centro Cultural Movimento em Socorro (SP) faz homenagem para as mulheres que curtem motos Foto: VGC/Divulgação

Também promove encontros, passeios, palestras e shows. Tudo isso na antiga estação ferroviária de Socorro (Praça Rachid José Maluf, 83), que tem inclusive restaurante anexo. Em homenagem à semana da mulher, de 6 a 10 de março, o Centro Cultural Movimento abre as portas gratuitamente para as mulheres que também poderão conhecer as histórias das pioneiras do motociclismo brasileiro.

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas