De novo!

Fiat Mobi aumentou de preço, mas ainda é o mais barato do Brasil

Preço das duas versões do subcompacto teve acréscimo de R$ 700. Apesar do rival Renault Kwid ser mais caro, seu pacote de equipamentos pode compensar a diferença

Publicidade
Fiat Mobi Like 2023 vermelho sobre fundo branco
Preço de entrada do Fiat Mobi aumentou para R$ 63.390 Fiat/Divulgacao

O Fiat Mobi ganhou uma nova remarcação de preços, e agora custa a partir de R$ 63.390 na versão Like. Tanto nesse pacote de entrada, quanto no de topo Trekking (são apenas dois disponíveis), que agora custa R$ 66.390, o aumento foi de R$ 700.

Mesmo com aumento de preço, o Fiat Mobi ainda é o carro mais barato do Brasil. Seu rival, o Renault Kwid, custa a partir de R$ 64.690, ou seja, R$ 1.300 a mais. Lembrando que esse segmento de entrada não oferece mais versões “peladas”.

Comparando o pacote de equipamentos das versões de entrada do Fiat Mobi e do Kwid, o compacto da Renault leva a melhor, adicionando airbags laterais, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, rádio e luzes de rodagem diurna. Com tantos itens a mais, a diferença de preço até se justifica.

Fiat Mobi x Renault Kwid

Principais itens de série do Fiat Mobi 1.0 Like – R$ 63.390

  • Airbags frontais
  • Ar-condicionado
  • Direção hidráulica
  • Vidros elétricos dianteiros
  • Rodas de 14 polegadas com calotas
  • Sensor de pressão dos pneus
  • Retrovisores com ajuste manual
  • Banco traseiro rebatível
  • Computador de bordo

Principais itens de série do Renault Kwid 1.0 Zen – R$ 64.690

  • Airbags frontais e laterais
  • Controle de estabilidade
  • Assistente de partida em rampa
  • Luzes de rodagem diurna
  • Ar-condicionado
  • Direção elétrica
  • Rodas de 14 polegadas com calotas
  • Sensor de pressão dos pneus
  • Retrovisores com ajuste manual
  • Banco traseiro rebatível
  • Sistema start-stop
  • Rádio com Bluetooth

Tanto o Fiat Mobi quanto o Renault Kwid trazem sob o capô motores 1.0 aspirados. O Mobi é equipado com o velho propulsor 1.0 Fire de quatro cilindros, com até 74cv de potência e 9,7kgfm de torque (no fim dessa matéria tem um vídeo com o teste desse modelo). Já o Kwid vem equipado com um motor 1.0 de três cilindros com até 71cv e 10kgfm (aqui tem um vídeo com o teste do modelo).

Confira quem venceu o comparativo entre o Mobi Trekking e o Kwid Outsider

Ninguém quer o título de “carro mais barato”

A verdade sobre esse segmento de entrada é que não existe mais uma grande vantagem para as marcas em ser a detentora do modelo mais barato do país. A decolada do segmento dos SUVs derivados de hatches compactos, contra um segmento de entrada com apenas dois representantes, escancara o que é mais lucrativo para as montadoras.

Ao mesmo tempo, uns carrinhos “tristes” vendidos a partir de R$ 63 mil já são o fundo do poço. Se vender um carro de entrada por esse preço não é um grande negócio para as montadoras, juntar ou financiar esse valor é um grande sacrifício para o trabalhador.

Novo Citroën C3 chega em julho

Na contramão dessa tendência, a Citroën pretende “renascer” aqui no Brasil a partir do lançamento do novo C3. A expectativa é que a versão de entrada desse hatch compacto vá disputar o segmento de entrada. Sob o guarda-chuva da Stellantis, os pacotes mais baratos do modelo serão equipados com o motor 1.0 Firefly, com até 75cv e 10,7kgfm.