UAI
BOM NEGÓCIO

Peugeot 2008: 10 fatos a saber antes da compra do usado

Apesar de esquecido pela marca, crossover compacto é um carro bem acertado e boa opção no mercado de usados

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Peugeot 2008 recebeu discreta reestilização em 2019, já como linha 2020
Peugeot 2008 recebeu discreta reestilização em 2019, já como linha 2020 Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

Tem gente que não aceita que ele seja classificado como SUV. Implicâncias à parte, é fato que o Peugeot 2008 é um crossover interessante. Com jeito de station wagon parruda e boa altura do solo, chegou para competir no segmento em que o Ford EcoSport dominava.

Pena que a Peugeot largou o 2008 nos últimos anos, tadinho. Mesmo assim, o modelo é boa opção de carro usado ou seminovo. Oferece boa dirigibilidade, tem desempenho acima da média do segmento e, ao contrário do que se diz, não é bomba. Veja agora 10 fatos sobre o Peugeot 2008.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata de lateral estático no asfalto
O SUV tem dimensões compactas e estilo discreto Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

1 – Trajetória do SUV compacto

O Peugeot 2008 deu o ar da graça mundialmente no Salão de Genebra de 2013 e, naquela época, já foi revelado que o carro ganharia cidadania brasileira. Feito em Porto Real (RJ), na fábrica da então PSA, e sobre a plataforma do primeiro 208, o SUV compacto foi lançado por aqui em abril de 2015.

Começou com os motores 1.6 aspirado ou turbo. O que mudou foi o câmbio automático. Em 2017, a transmissão de quatro marchas deu lugar à caixa Aisin de seis velocidades. As versões turbinadas só foram ganhar opção de câmbio automático em 2019.

Antes disso, naquele mesmo 2019, o Peugeot 2008 passou por sua primeira e única reestilização. Em dezembro de 2023, a Stellantis encerrou a produção da primeira geração do 2008, que ainda é encontrado em estoque e à venda nas versões THP, por R$ 129.990. Uma nova geração do crossover da Peugeot já está no forno para o Mercosul.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata de traseira estático no asfalto
O Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 é boa opção no mercado de usados Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

2 - No embalo do mercado

O Peugeot 2008 foi lançado no Brasil em meio a uma avalanche de SUVs compactos para perturbar a vida de Ford EcoSport e Renault Duster. No espaço de dois meses daquele 2015, surgiram também o Honda HR-V e o Jeep Renegade. No ano seguinte, foi a vez de Hyundai Creta e Nissan Kicks chegarem.

3 – Desempenho do Peugeot 2008

Como dito, o Peugeot 2008 foi vendido a vida inteira só com motor 1.6. Em relação ao aspirado, o manjado EC5 de 118cv com etanol e 115cv, com gasolina, tem aquele desempenho mais que conhecido. Boas acelerações, mas retomadas meio confusas, ainda mais nas versões com o câmbio AL4.

A transmissão de seis marchas, adotada depois de 2017, melhora muito a performance do Peugeot 2008. Mas não espere um 0 a 100km/h em menos de 12 segundos. Nem um consumo moderado. As médias em ciclo urbano com etanol ficam na casa dos 7km/l, e com gasolina, na faixa dos 9km/l.

As variantes turbo são bem mais divertidas. Os 173cv (etanol) e 165cv (gasolina) emprestam força suficiente em baixas e médias rotações. A transmissão de seis velocidades não é um primor no entrosamento com o motor THP, mas garante o 0 a 100km/h em menos de 9 segundos.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata interior painel volante e bancos dianteiros estático no asfalto
Interior com acabamento de boa qualidade, honesto para o segmento Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

4 - Dirigibilidade e conforto

Apesar da altura e do porte parrudo, o Peugeot 2008 tem uma dinâmica até mais interessante que seu companheiro de plataforma, o primeiro 208. O SUV aponta bem nas curvas, a carroceria torce dentro do esperado e a suspensão por eixo de torção na traseira tem um acerto eficiente na estrada – apesar de não lidar bem com a buraqueira da cidade.

O espaço interno é o de sempre quando falamos de um compacto, ideal para quatro adultos e uma criança ali no meio do banco traseiro. A posição de dirigir elevada garante boa visibilidade do que se passa lá fora, além de ergonomia versátil, mas o conceito de i-Cockpit com o volante destacado para a frente faz com que o aro da direção cubra as informações do quadro de instrumentos.

O acabamento interno também merece elogios e o isolamento acústico funciona em boa parte do tempo. Já o porta-malas de 355 litros não permite extravagâncias na quantidade de bagagens na hora de viajar.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata interior banco traseiro estático no asfalto
Banco traseiro comporta dois adultos e uma criança Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

5 - Esqueceram de mim

O Peugeot 2008 chegou junto com outras novidades e nunca teve vida fácil no segmento. Para se ter ideia, no primeiro ano cheio de vendas, em 2016, foram apenas 10.692 unidades licenciadas, apenas a quinta colocação entre os SUVs compactos e atrás até de modelos mais caros, como Toyota SW4 e Hyundai Tucson.

A verdade é que o modelo jamais empolgou em termos comerciais. E a Peugeot meio que o largou de lado. Se não fossem as séries especiais, o carro nem seria lembrado nos últimos quatro anos.

Para se ter ideia, só na linha 2023 é que a fabricante francesa resolveu dar uma mexida na prateleira do Peugeot 2008. O crossover ganhou faróis com DRL de LEDs, controle de cruzeiro e central multimídia com conectividade com Apple CarPlay e Android Auto, além de estrear uma versão de entrada Style.

Mesmo assim, em 2023, o Peugeot 2008 vendeu pífias 1.728 unidades. Foi o 30º SUV mais licenciado do mercado brasileiro em seu último ano de vida.

6 - Vem nova geração por aí

A boa notícia é que um novíssimo Peugeot 2008 já está sendo preparado. Ele usa a plataforma modular CMP, da segunda geração do 208, e será feito na mesma fábrica da Stellantis em El Palomar, na Argentina.

O crossover deve ser equipado com o motor turbo 1.0 GSE de origem FCA, que já é usado em carros da Fiat, da Citroën e no próprio 208. Nestes modelos, são 130cv com etanol e 125cv, com gasolina.

O Brasil, contudo, já conhece esta nova geração do Peugeot 2008 de uma forma diferente. Há dois anos a Peugeot começou a importar da França o e-2008, a variante puramente elétrica do crossover compacto.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata interior porta-malas estático no asfalto
Porta-malas com 355 litros de capacidade tem espaço limitado Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

7 - Boa safra do Peugeot 2008

Indicamos o Peugeot 2008 Griffe, ano 2020, com motor THP e câmbio automático. Nos principais sites de compra e venda de veículos tem preços entre R$ 79 mil e R$ 86 mil. Essa versão era a topo de linha à época.

Na parte de segurança, tem seis airbags, controles de estabilidade, tração e subidas, câmera e sensores de ré e Isofix. No conforto, itens mais triviais, como ar-condicionado automático de duas zonas, central multimídia com espelhamento de celular, sensores de luminosidade e de chuva e trio elétrico. Completam a lista o teto panorâmico e as rodas de liga leve aro 16 polegadas.

8 - Muitas séries do compacto

O crossover da Peugeot experimentou muitas edições especiais ao longo dos anos no mercado brasileiro. Começou com a aventureira Crossway, em 2016, com motor 1.6 aspirado e caixa automática. Depois, essa série passou a ser versão de acabamento fixa, em 2017.

Também em 2017 surgiu a Style, baseada na configuração Allure. Em 2020, foi a vez da edição In Concert e, no ano seguinte, da Skywalker, com 310 unidades e vários elementos em referência à saga “Guerra nas Estrelas”. Em 2021, ainda teve a tiragem limitada Roadtrip.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata cofre do motor estático no asfalto
Motor 1.6 aspirado gera 118cv com etanol e 115cv com gasolina Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

9 – Uma ideia sobre manutenção

As versões turbinadas do Peugeot 2008 são as mais divertidas, mas também as mais dispendiosas na manutenção. O motor requer revisões periódicas e vários componentes são, em média, 40% mais caros do que nas opções aspiradas.

Veja agora os preços de algumas peças do Peugeot 2008 THP AT:

  • Jogo com quatro pastilhas do freio dianteiro: de R$ 280 a R$ 400
  • Jogo com quatro velas de ignição: de R$ 180 a R$ 310
  • Bomba de combustível: de R$ 600 a R$ 1.000
  • Kit troca de óleo (5 litros 5w30 + filtro): de R$ 380 a R$ 490
  • Amortecedor traseiro: de R$ 300 a R$ 500 (par)
  • Para-choque traseiro: de R$ 800 a R$ 1.200
  • Farol direito: de R$ 1.000 a R$ 1.500

10 - Principais problemas do Peugeot 2008

Os relatos mais comuns de donos do Peugeot 2008 apontam para falhas no sistema de injeção e de barulhos na suspensão traseira. Também observe se o ar-condicionado e a tela da central multimídia – principalmente dos modelos pré-2022 – funcionam corretamente.

Se o usado em questão for equipado com caixa automática AL4, redobre a atenção. São numerosas as queixas de câmbios que travam e até param de funcionar.

Peugeot 2008 1.6 Griffe modelo 2020 prata roda de liga leve estático no asfalto
Modelo é equipado com rodas de liga leve de 16 polegadas Foto: Pedro Cerqueira/EM/D.A Press

É importante saber que o Peugeot 2008 foi submetido a campanhas de recall para conserto do chicote elétrico do limpador de para-brisa em unidades feitas em 2015; e para troca da rampa da injeção para unidades produzidas em 2019 e 2020.

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas