UAI
IMPRESSÕES

Fiat 600e: dirigimos o novo carro elétrico que pode vir ao Brasil

Modelo tem design atraente, interior prático e bom desempenho

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Fiat 600 une visual retrô e porte de crossover
Fiat 600 une visual retrô e porte de crossover Fotos: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press
NOTA DO VRUM:
8 Nota VRUM

O crossover 600 é a última novidade da Fiat para o mercado europeu. Na Itália, inclusive, esse modelo, na variante 100% elétrica, chamada de 600e (há também opção de propulsão híbrida) acaba de ser eleito como lançamento mais importante do ano (La Novità 2024) pela tradicional revista Quattroruote. Caso você tenha se interessado por ele, aqui vão duas boas notícias: a primeira é que, de acordo com o site Autos Segredos, a marca italiana estuda importá-lo para o Brasil, embora ainda não haja confirmação; e a segunda é que o VRUM já o dirigiu. 

A reportagem teve contato com o Fiat 600e, na versão Red, durante uma semana, em uma viagem pelas regiões da Lombardia, do Veneto e de Trentino Alto-Adige, na Itália. E as impressões sobre o modelo propriamente dito foram muito boas, embora a utilização de um carro elétrico para fazer turismo tenha deixado ressalvas

Fiat 600 vermelho de traseira estacionado sobre folhas
Traseira traz lanternas com iluminação em LED Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

Em relação ao Fiat 600e, cabe destacar que ele é um crossover, com carroceria elevada e porte um pouquinho maior que o de um Pulse, com 4,17m de comprimento e 2,56m de distância entre eixos. A plataforma e-CMP, ainda nova no Grupo Stellantis, é a mesma do Jeep Avenger.  No mercado europeu, ele tem um posicionamento intermediário da gama do fabricante, com preço superior ao do 500e, mas ainda com a proposta de ser um carro elétrico acessível. Na Itália, é possível comprar a versão Red por 29.950 Euros (valor que equivale a cerca de R$ 160,6 mil). 

Como é o Fiat 600e?

À primeira vista, o 600e chama a atenção pelo design: trata-se de mais um veículo da Fiat na Itália cujas linhas têm um toque de nostalgia, que remetem ao 500. Os elementos que mais se destacam são os faróis em LED, com um discreto prolongamento lateral que lembra as maquiagens ao estilo "gatinho". O resultado é harmônico. 

Por dentro, o aspecto é menos ousado, mas também interessante. O painel, novamente, lembra o do Fiat 500e: na versão Red, ele vem pintado na cor da carroceria, que é... Vermelha, claro! Os instrumentos são exibidos em uma tela digital configurável de 7 polegadas. Na parte central, vai a central multimídia, que tem tela flutuante de 10,25 polegadas e conectividade sem fio com as plataformas Android Auto e Apple Carplay. Um carregador sem fio para o celular completa o pacote.

Painel de instrumentos do Fiat 600
Painel traz instrumentos digitais e tela multimídia de 10,25 polegadas Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

No console central, há vários porta-objetos, sendo o maior deles com uma prática tampa sanfonada. Ali, também estão localizadas as teclas de operação do câmbio e o freio de mão elétrico. O acabamento, porém, está no mesmo nível encontrado nos crossovers nacionais, com muito plástico duro no painel e nas forrações das portas: as dianteiras têm acolchoamento nos apoios de braço, mas as traseiras, não. Sinal de que a Fiat não incorpora essa economia apenas nos produtos brasileiros...

Os ocupantes contam com bom espaço, inclusive no banco traseiro, onde há vãos confortáveis para as pernas e a cabeça de dois adultos. Já o porta-malas, com 360 litros, não chega a ser grande, mas tem volume coerente em relação ao porte da carroceria. Entre os equipamentos, há, desde a versão básica, ar-condicionado digital, faróis e limpadores com acendimento automático, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro e seis airbags (frontais, laterais e do tipo cortina).  

Banco traseiro do Fiat 600
Modelo tem bom espaço interno em relação ao porte da carroceria Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

Ao volante

O posto de comando do Fiat 600e é ergonômico e prático. Os bancos, que na unidade avaliada eram forrados em tecido de boa qualidade, são confortáveis e apoiam bem a coluna e as coxas. O volante tem boa pegada e conta com duplo ajuste, em altura e distância. Como é comum em carros elétricos, o painel configurável exibe uma série de informações sobre o sistema de propulsão, incluindo um monitoramento preciso da carga da bateria e da consequente autonomia.

Outra característica comum que o Fiat 600e compartilha com a maioria dos carros elétricos é o bom desempenho. Isso, porque nesses modelos o torque é imediato: no caso, são nada menos que 26kgfm. Essa característica, aliada à potência de 156cv, faz o veículo acelerar e retomar velocidade muito rapidamente, apesar do elevado peso de 1.520 kg, em função das baterias de íons de lítio. Tudo com enorme silêncio, sem o ronco característico dos automóveis a combustão.

Fiat 600 vermelho de frente estacionado
Fiat 600 está à venda na Europa, mas vinda ao Brasil é incerta Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

Além de rápido, o Fiat 600e se mostrou estável, graças ao acerto firme da suspensão e ao baixo centro de gravidade, já que as baterias ficam posicionadas no assoalho, como é de praxe nos carros elétricos. A direção elétrica, direta e com bom efeito regressivo, também contribui para deixar o modelo afiado em curvas. E, na hora de parar, os freios a disco nas quatro rodas asseguram performance igualmente satisfatória. 

O motorista pode optar por três modos de condução: Eco, Normal e Sport. Além das respostas ao acelerador, muda também a intensidade de atuação do sistema de regeneração da bateria, que é maior no primeiro, intermediária no segundo e menor no terceiro. 

Recarga do Fiat 600e

Motor elétrico do Fiat 600
Propulsão é 100% elétrica Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

A Fiat informa que a autonomia do 600e varia entre 460km, na condição mais favorável (em trajeto urbano, onde é possível usar bastante o sistema de frenagem regenerativa, e com temperatura amena), e 215 km, no tipo de utilização mais severa (trajetos rodoviários em baixa temperatura, justamente a maioria das situações que VRUM vivenciou). 

Já o tempo de recarga também pode variar bastante: entre 5h45, de 0 a 100%, caso o motorista utilize um carregador comum, de corrente AC, com 11kW de potência, ou apenas 27 minutos, de 20% a 80%, em um equipamento ultrarrápido, DC, de 100kW.

Cairia bem no Brasil

Fiat 600 de lateral, estacionado
Rodas são de 16 polegadas, mas, ao contrário do que parece, são de aço estampado com calotas Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press

Passado o período de convivência intensa, a conclusão é que o 600e cairia bem na linha brasileira da Fiat, que, atualmente, tem somente o 500e, menor e com apenas duas portas, como carro elétrico. Afinal, ainda que o mercado nacional esteja bem atrás do europeu quando o assunto é eletrificação, tal segmento vem crescendo a passos largos: entrar nele agora significa garantir presença no futuro. Só não pode ter preço muito elevado, já que existem opções do gênero com valores de compra bastante agressivos. 

Ficha técnica do Fiat 600e

Ficha Técnica Fiat 600e Red
MOTOR Dianteiro, elétrico, com potência máxima de 156cv e torque máximo de 26kgfm
TRANSMISSÃO Tração dianteira e câmbio automático de uma marcha
BATERIA De íon-lítio com capacidade de 60kWh e autonomia de 337 quilômetros (PBEV)
SUSPENSÃO Dianteira, independente, McPherson; traseira, semi-independente, barra de torção
RODAS/PNEUS De aço estampado com calotas, de 16 polegadas / 215/65 R16
FREIOS Discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira, com ABS, EBD e sistema regenerativo
DIREÇÃO Pinhão e cremalheira, com assistência elétrica variável
PORTA-MALAS 360 litros
DIMENSÕES Comprimento, 4,17m; largura, 1,78m; altura, 1,58m; distância entre-eixos, 2,56m; altura em relação ao solo, 20cm
DESEMPENHO Velocidade máxima de 150km/h
Aceleração até 100km/h em 9 segundos

Porta-malas do Fiat 600
orta-malas do Fiat 600 tem 360 litros de capacidade Foto: Foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press