INTERNACIONAL

Rússia vê produção de veículos cair 96% após início da guerra na Ucrânia

Sanções econômicas castigaram duramente a indústria automobilística local

Publicidade
Linha de produção de veículos dentro da fábrica da AutoVaz em Togliatti, na Rússia
Só empresas locais, como a AutoVaz, mantiveram a produção, ainda assim com limitações Foto: Denis Sinyakov/Reuters

As retaliações econômicas impostas à Rússia após a invasão da Ucrânia, que resultou em uma guerra que já dura mais de cinco meses, estão causando sérias consequências para a indústria automobilística. A produção de veículos no país já teria caído nada menos que 96%, de acordo com a Rosstat, a Agência Federal de Estatísticas da Rússia, que é uma espécie de IBGE local.

No último mês de maio, apenas 3.700 veículos foram fabricados no país: trata-se de uma fração dos números obtidos antes do início do conflito, quando o país era um dos gigantes mundiais do setor. Nos cinco primeiros meses de 2022, a produção somou 268 mil unidades, o que corresponde a 56% do mesmo período do ano anterior.

A queda na produção de veículos é uma consequência direta das dificuldades que a Rússia vem enfrentando para importar componentes e matérias-primas. Cabe esclarecer que nenhum país é totalmente autossuficiente no que diz respeito à produção de veículos: parte significativa das autopeças sempre vem do exterior.

Além do mais, desde o início da guerra na Ucrânia, várias multinacionais encerraram a produção na Rússia. Entre as marcas que deixaram de fabricar automóveis por lá, estão Volkswagen, Toyota, Honda, Nissan, Hyundai, Mercedes-Benz e Volvo. A Renault chegou a manter as operações durante algum tempo, mas também acabou abandonando o país.

Os poucos veículos produzidos na Rússia têm baixa tecnologia

Atualmente, a produção de veículos na Rússia está concentrada em empresas locais, como a AutoVaz. Mesmo assim, esses fabricantes também enfrentam escassez de componentes: por isso, vêm recorrendo a insumos que já estavam em estoque. Além do mais, a indústria local só consegue fornecer produtos simplificados ao máximo, sem qualquer dispositivo eletrônico ou tecnológico.

Caso que ilustra muito bem essa estratégia é o da marca Lada, controlada pela AutoVaz, que retomou a produção do Niva. O projeto desse jipe data de 1977, sendo que o modelo em produção atualmente tem tecnologia similar à daquela época: não há equipamentos como airbags, freios ABS e sequer sistema de som.

Como tudo indica que ainda não solução à vista para o fim do conflito, a tendência é que o setor automotivo na Rússia siga encolhendo. Isso porque, além de países ocidentais, entre os quais os europeus, até aliados históricos, como o Cazaquistão, aderiam ao bloqueio econômico em retaliação à guerra na Ucrânia.

Assista ao vídeo de lançamento do Lada Niva, em 1977: