Não é prioridade!

Maioria dos compradores de carros elétricos não leva em conta questões ambientais

Segundo pesquisa da Polestar nos Estados Unidos, principal apelo comercial desses veículos é a tecnologia embarcada

Carro elétrico branco em estrada com duas bicicletas apoiadas em suporte no teto.
Os EVs, apesar de muito tecnológicos, se destacam também pela neutralidade de carbono que oferecem ao meio ambiente Fotos: Polestar/Divulgação

Uma pesquisa encomendada pela fabricante de veículos elétricos Polestar mostrou que 55% dos motoristas norte-americanos comprariam carros elétricos, principalmente, por razões que nada têm a ver com o meio ambiente. 

Ao invés disso, o aspecto que mais tem influenciado a compra desses modelos entre o público dos EUA é “a tecnologia no veículo, a conectividade perfeita e as ofertas dos sistemas de infroentretenimento”. 

Sendo assim, não se trata de valores coletivos de sustentabilidade, nem da aceleração instantânea dos EVs; são as telas gigantes que seduzem os consumidores. 

Segundo Gregor Hembrough, chefe da Polestar North America, a ideia de luxo sendo definida pelo o que está “sob o capô” foi substituída na era elétrica com a priorização da tecnologia. 

 “As pessoas estão mudando para carros elétricos mais do que por apenas razões ambientais, e o foco da Polestar na tecnologia veicular significa que eles podem ter tudo o que desejam em um pacote ecologicamente correto.” 

Gregor Hembrough, chefe da Polestar North America

Entre os carros da marca, o sedã Polestar 2, por exemplo, foi o primeiro a obter um sistema de infoentretenimento totalmente desenvolvido pelo Google. Ele inclui comandos de voz integrados do Google Assistant e Google Maps.

Tela digital de um carro com serviços de Smartphone.
Telas com conectividade avançada e variados serviços de infoentretenimento atraem mais os clientes na hora da compra dos EVs

Pesquisa sobre compra de carros elétricos

A pesquisa registrou variações de preferência e percepções entre as diferentes faixas etárias. Nada menos que 57% dos millennials, com idades 25 a 40 anos, por exemplo, responderam como “confiantes em novas marcas de carros elétricos”, como a Polestar, contra apenas 28% dos baby boomers de 57 a 75 anos e 46% de todas as pessoas pesquisadas.

Os mais jovens mostraram-se mais inclinados a citar o meio ambiente quando questionados sobre o porquê de eles terem ou quererem carros elétricos. Isso porque a geração Z (de 18 a 24 anos) diz que a sustentabilidade é um grande fator, com 12% deles afirmando que é o maior fator.

Sendo assim, os jovens Z são duas vezes mais propensos que os millennials e três vezes mais propensos que os boomers a considerar a questão ambiental. Um total de 5.086 motoristas aleatórios dos EUA em todos os 50 estados foram pesquisados.

Já testamos o icar, o carro elétrico mais barato do Brasil; assista o vídeo!