Camuflagem

Justiça cobra Toyota por escapamento pintado em Corolla Cross

Ministério da Justiça pediu esclarecimentos a respeito de um possível baixo padrão de qualidade das peças e suposta camuflagem do escapamento

Escapamento do Toyota Corolla Cross volta a ser motivo de polêmica; na foto, versão GR-Sport 2023 branco de frente
Escapamento do Toyota Corolla Cross volta a ser motivo de polêmica Toyota/Divulgação

O escapamento do Corolla Cross continua rendendo polêmica e críticas à Toyota. Desta vez, foi a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que pediu esclarecimentos a respeito de um possível baixo padrão de qualidade das peças e suposta camuflagem do escapamento da linha 2023 do SUV.

Para quem não está lembrado, uma da muitas críticas que o Corolla Cross recebeu desde o lançamento foi o abafador, posicionado na ponta do escapamento. O componente acabou comprometendo a estética traseira do modelo. Para piorar a situação, na linha 2023 do SUV, a “engenharia” da Toyota tentou maquiar esse defeito com uma demão de tinta preta.

E a ponta do escapamento do Corolla Cross pode ser apenas a ponta do iceberg. A partir de publicações na internet e reclamações de consumidores nas redes sociais, a Senacon quer entender se existe diferenciação entre a qualidade, a performance e a estética dos itens dos veículos comercializados no Brasil em comparação com os vendidos em países da Europa e América do Norte.

Muito além do escapamento do Corolla Cross…

E, para provar isso, não faltarão argumentos ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. Além do escapamento, o Corolla Cross tem uma extensa lista que o diferencia, por exemplo, do veículo vendido no Estados Unidos. Uma delas é a sofisticada suspensão multilink, que no Brasil foi substituída por um eixo de torção.

Outro ponto que rende críticas ao Corolla Cross brasileiro é o freio e estacionamento acionado por pedal. Um SUV médio deveria ter esse acionamento por botão, como é o SUV médio da Toyota no mercado americano. A marca japonesa também não oferece por aqui tração integral.

De acordo com o ministro da Justiça, Anderson Torres, se ficar comprovado que a montadora agiu de má-fé, tanto no caso do escapamento do Corolla Cross, quanto nesses demais quesitos, a Toyota poderá sofrer sanções administrativas. “Estamos atentos para as práticas que violem a transparência na relação entre as empresas e os consumidores”, afirmou.

A Toyota foi notificada na última segunda-feira (20/6), e tem dez dias para encaminhar os esclarecimentos. A Senacon ainda vai apurar se os consumidores são informados sobre a pintura parcial realizada no escapamento do Corolla Cross, e sobre a qualidade da medida adotada pela montadora para tentar adequar a peça.

O que a Toyota diz sobre o assunto?

“A Toyota do Brasil informa que recebeu a notificação da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e que prestará os esclarecimentos conforme solicitado pela entidade. A empresa reforça que trabalha pautada no respeito aos clientes oferecendo produtos de alta qualidade, durabilidade e confiabilidade, características essas reconhecidas em todos os veículos da marca, o que inclui o Corolla Cross”.