Futuro elétrico

Carro elétrico é 10 vezes mais eficiente energeticamente do que o a gasolina

Cálculo considera a eficiência energética dos veículos participantes do programa de etiquetagem veicular do Inmetro

Publicidade
Parte traseira do Bolt EV vermelho da Chevrolet.
Bolt EV é o modelo 100% elétrico da Chevrolet Fotos: Chevrolet/Divulgação

Para cada país e seu mercado e matriz energética, existem opções de carros diferentes quando o assunto é sustentabilidade e eficiência.

Segundo especialistas, a melhor maneira de se calcular o impacto do uso de determinado automóvel em relação ao aquecimento global é somando os gases que ele emite pelo escapamento mais o impacto que a produção do seu combustível gera. Trata-se da famosa equação “do poço à roda”. Através dela, pode-se medir a emissão total (ou próxima disso) de um veículo.

Sendo assim, um mesmo modelo de carro pode apresentar resultados diferentes a depender das condições locais de produção da energia por meio da qual ele opera.

No Brasil, por exemplo, 84% da energia elétrica vem de fontes renováveis, como a hídrica, a solar e a eólica. Isso, portanto, sugere que o veículo elétrico, aqui, seja mais sustentável do que em outros lugares, onde a energia elétrica provém de fontes mais danosas ao meio ambiente e ao aquecimento global.

Brasil tem matriz favorável ao carro elétrico

Dessa forma, o carro elétrico se torna mais interessante que o carro híbrido e o flex no país. É isso o que mostra a tabela abaixo, a qual considera o percentual médio de emissão de CO2 equivalente por tipo de propulsão em comparação com automóveis movidos puramente a gasolina.

Gasolina100%
Flex79%
Híbrido Flex57%
Elétrico 10%

A conta leva em consideração a média da eficiência energética dos carros comercializados no país e participantes do programa de etiquetagem veicular do Inmetro.

Os cálculos foram feitos de acordo com uma metodologia desenvolvida pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA).

Segundo Luiz Gustavo Moraes, gerente de regulamentações da GM América do Sul, tanto os veículos flex quanto os híbridos trazem ganhos ambientais relevantes quando comparados com os movido por gasolina apenas. Porém, os elétricos se destacam ainda mais nesse quesito no Brasil.

“Um carro elétrico é cerca de 10 vezes mais eficiente, em média, até porque é o único que consegue conciliar a eficiência do motor elétrico com a matriz energética predominantemente limpa do Brasil” explica o gerente.

Tudo isso se deve, também, ao fato de o EV rodar em tempo integral no modo zero emissão, não tendo nem escapamento.

Os carros elétricos no mercado hoje

Diante da eficiência e dos benefícios dos carros elétricos, eles são os que mais crescem no mundo hoje. Só em 2021, eles representaram mais de 7% das vendas de automóveis e comerciais leves. 

Esse maior interesse pelos EVS está atrelado às políticas voltadas à redução de emissões, ao maior conhecimento dos benefícios dos carros zero emissão e ao aumento dos preços dos combustíveis. A maior oferta de modelos e a redução da diferença de preço em relação aos demais tipos de automóveis, também, vem sendo fatores relevantes.

A tendência é que esse crescimento continue. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), a previsão é que dois terços dos veículos vendidos no país serão eletrificados até 2035
A GM, por sua vez, finca o seu compromisso de se tornar neutra em carbono até 2040. Para isso, a fabricante já está investindo cerca de U$ 35 bilhões para o desenvolvimento de 30 modelos elétricos e autônomos até 2025.

O VRUM já testou um elétrico; assista o vídeo!