UAI

Baixa demanda por carros elétricos adia lançamentos da Volkswagen

Com baixa demanda por carros elétricos no mercado europeu, Volkswagen adia lançamentos. Confira os modelos que vão demorar mais a chegar

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
O ID.7 deverá ser lançado até o fim do ano
O ID.7 deverá ser lançado até o fim do ano Foto: O ID.7 deverá ser lançado até o fim do ano

A situação dos carros elétricos na Europa não está muito boa. Mesmo sendo um dos principais mercados de veículos eletrificados, as marcas já tem sentido uma queda na demanda. Recentemente, a Volkswagen anunciou que vai reduzir a fabricação desses carros e alguns veículos sofrerão consequências devido à baixa demanda.

Essa redução na procura afeta diretamente a fábrica da Volkswagen em Emden, na Alemanha. Na unidade são produzidos os ID.4, com lançamento previsto para o segundo semestre deste ano no Brasil. Já o lançamento do sedã elétrico ID.7 na Europa, que estava previsto para julho, foi adiado. A produção do novo sedã será iniciada mais para frente, por causa da pouca demanda. No entanto, a produção dos carros a combustão na fábrica continua.

O que a baixa demanda causará para a Volkswagen?

Com essa redução na demanda, 20% dos funcionários temporários de Emden terão seus contratos encerrados. De acordo com chefe do conselho de trabalhadores da fábrica de Emden, Manfred Wulff, de um total de 1,5 mil, 300 trabalhadores serão demitidos. Além disso, nas próximas duas semanas a fábrica funcionará com menos um turno e os empregados terão uma semana extra de férias entre julho e agosto, além das quatro semanas já planejadas.

Se a demanda baixa continuar, as metas da Volkswagen podem ser afetadas. A empresa tinha como objetivo que metade das vendas até 2030 fossem de carros elétricos. No ano passado, o grupo vendeu um total de 572 mil unidades elétricas, sendo a Volkswagen a marca líder com 325 mil unidades vendidas, seguida por Audi e Skoda com 118,2 mil e 53,7 mil carros vendidos, respectivamente.

Wulff diz que a demanda atual está cerca de 30% abaixo do esperado pela Volkswagen e, aparentemente, esse problema não é exclusivo da empresa. O ministro da economia do Estado da Baixa Saxônia, Olaf Lies, confirmou o fato em uma entrevista, comentando sobre a diminuição da produção na fábrica. Ele também pediu por novos incentivos na compra de carros elétricos para impulsionar novamente o mercado.