Usados – A hora e a vez do consumidor

Carros entre R$ 20 mil e R$ 40 mil são boas oportunidades para quem não pode ter um zero e quer mais segurança e conforto. Mercado pouco aquecido favorece a compra

Com R$ 20 mil, já é possível comprar um carro zero, mas com motor 1.0 e sem qualquer item de conforto ou segurança. Conforme a marca e os equipamentos desejados, o preço vai subindo e um compacto 1.0 acaba chegando aos R$ 30 mil. Se o objetivo for mais potência e um automóvel um pouco maior, o preço sobe para R$ 40 mil. Mas, pelo mesmo preço de um zero, em quaisquer dessas faixas de preço, não é difícil encontrar um usado mais potente, equipado e de segmento superior. A opção depende do perfil de cada consumidor, e lojistas afirmam que há oportunidades para todos.

Um Fiesta hatch 1.0 básico é anunciado pela Ford por R$ 27.990. Pelo mesmo preço, é possível comprar um Focus hatch 1.8 2003, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas. De acordo com o gerente de vendas da concessionária BHFor, Aloisio Campos Moreira Júnior, a escolha vai depender do tipo de consumidor. “Você tem que identificar o perfil do cliente e apresentar as opções para ele decidir. Para alguns, pesa o status de ter um Focus; enquanto outros preferem o charme do carro zero”, pondera. Enquanto quem compra o carro zero pensa no tempo de garantia, o consumidor que opta pelo usado leva em conta que o veículo não terá a depreciação do novo. “A pessoa pensa que não vai perder dinheiro. Está buscando um ganho real”, acrescenta o gerente.

Potência
“O cliente que compra um carro com pouco tempo de uso e com mais opcionais é um outro tipo de consumidor, que não quer motor 1.0 de jeito nenhum. Quer conforto, desempenho, e não está preocupado com consumo”, explica o gerente de vendas da Chevrolet LiderBH, Dalcio Amorim Carneiro. Ele lembra que é um tipo de consumidor que procura se apresentar melhor, e que não muda de idéia, do usado para um novo com propulsor 1.0, assim como o contrário também não é comum.

De mesma opinião é Liliana Diniz, da agência de veículos Garage Amazonas. Segundo ela, o cliente já chega à loja sabendo se quer um usado mais equipado, ou um carro zero sem opcionais. “Claro que há exceções. Às vezes, a pessoa chega aqui querendo um Fiat Uno ou Palio zero, vê um Peugeot 206 ou mesmo um Palio usado, mais equipado, e acaba mudando de idéia. Acho que existe cliente para os dois tipos de carro. O universo de consumidores é grande”, continua. Lembrando boas opções de compra entre usados, Liliana cita um VW Polo Sedan 1.6 2006, com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos, que custa R$ 35 mil: “É um carro confortável e, se estiver pouco rodado, uma compra interessante”.

Segurança
Outras opções, de acordo com Liliana, na faixa dos R$ 40 mil, são automóveis que, além dos itens de conforto já citados, reúnem equipamentos de segurança, como airbags e freios ABS: um Honda Civic 1.7 2005, com câmbio manual, custa R$ 42 mil; enquanto um Toyota Corolla 1.8 2005, com o mesmo tipo de transmissão, tem preço de R$ 45 mil. “São carros famosos pela pouca manutenção e por serem bem equipados. Se tiverem boa procedência, são excelente compra. O que você consegue de zero nesse preço e com essas opções?”, finaliza.

DECISÃO

Veja no quadro abaixo, comparação entre compactos zero quilômetro e automóveis usados, do segmento médio e da mesma marca. Os veículos compactos considerados têm quatro portas e são básicos, enquanto os dos segmento médio são equipados com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricas.

Chevrolet

Corsa hatch 1.0 – R$ 25.900
Astra hatch 2.0 2002 – R$ 25.900

Ford

Fiesta hatch 1.0 – R$ 27.990
Focus hatch 1.8 2003 – R$ 27.990

Fiat

Palio ELX 1.0 – R$ 28.950

Palio ELX 1.4 – R$ 31 mil
Stilo 1.8 02/03 – R$ 33 mil

VW

Gol City 1.0 – R$ 25.990
Fox City 1.0 – R$ 31.200
Golf 1.6 02/03 – R$ 31 mil

Obs.: Os preços são referentes ao valor médio das revendas de Belo Horizonte.