UAI

Tabela de consumo do Inmetro tem bizarrices: veja 5 delas

Critérios adotados pelo programa causam determinadas confusões na categorização dos veículos

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
Mas o espaço interno do T-Cross é maior
Mas o espaço interno do T-Cross é maior Foto: Mas o espaço interno do T-Cross é maior

O Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE) classifica os automóveis de acordo com a eficiência energética. Com base em diretrizes estabelecidas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), os próprios fabricantes aferem o consumo de combustível dos carros, e o Ministério da Economia divulga uma tabela com os números.

Essa tabela divide os carros de acordo com categorias: compacto, utilitário esportivo (SUV) médio, picape, etc. E é justamente aí que surgem problemas. Ocorre que, para calcular o porte do veículo, o critério do PBE é calcular a área da sombra que ele projeta no solo.

A classificação de SUV leva em consideração, além dese parâmetro, a altura do solo e os ângulos de ataque, de saída e de rampa. Para ser considerado um utilitário esportivo pelo Inmetro, o veículo precisa ter:

  1. Ângulo de ataque mínimo de 23º, com tolerância de -1º
  2. Ângulo de saída mínimo de 20º, com tolerância de -1º
  3. Ângulo de transposição de rampa mínimo de 10º, com tolerância de -1º
  4. Altura livre do solo, entre os eixos, mínimo de 200mm, com tolerância de -20mm
  5. Altura livre do solo sob os eixos dianteiro e traseiro mínimo de 180mm, com tolerância de -20mm

Na prática, alguns compactos aventureiros conseguem se enquadrar na categoria de SUVs e aparecem em meio a eles na tabela de consumo do Inmetro. Por outro lado, há utilitários que entram na classificação geral, junto com sedans e hatches. E outros segmentos, como o de caminhonetes e de veículos fora-de-estrada, também apresentam distorções.

Bizarrices na tabela de consumo do Inmetro

O VRUM compilou 5 bizarrices que aparecem nas tabelas de consumo de combustível do PBE, com base na metodologia do Inmetro. Confira:

1- Hatches como Renault Kwid e Citroën C3 estão entre os SUVs

Renault Kwid 2022 azul de frente em movimento; para matéria sobre os carros mais baratos de cada marca.
Renault chegou a usar os critérios do Inmetro como justificativa para chamar o Kwid de "SUV dos compactos"

Alguém duvida que Renault Kwid e Citroën C3 são hatches compactos? Pois na tabela de consumo de 2023 do Inmetro, eles figuram entre os SUVs. E não são casos únicos: isso também acontece com o Stepway, modelo aventureiro baseado no extinto Sandero, e a versão Trekking do Fiat Argo.

2- Já Honda HR-V e Toyota Corolla Cross não figuram como SUVs

Honda HR-V EXL 2023 cinza em movimento de frente
Ângulo de ataque de 17,8° impede que o Honda HR-V se encaixe nos critérios de SUV do Inmetro

A recíproca é verdadeira: o PBE também coloca alguns SUVs fora dessa categoria, junto com modelos de propostas distintas. É esse o caso do Honda HR-V, do Toyota Corolla Cross e do Volkswagen T-Cross. Chevrolet Equinox e Ford Territory também não estão entre os utilitários esportivos na tabela.

3- Nissan Sentra e Volkswagen Jetta são carros extra-grandes

Novo Nissan Sentra Exclusive 2023 branco de frente estacionado
Nova geração do Nissan Sentra aparece em categoria distinta do rival Toyota Corolla na tabela do PBE

A categoria de sedans médios já tem poucas opções no mercado brasileiro atualmente, mas quem confere a tabela de consumo do Inmetro pensa que ela está ainda mais esvaziada. Isso, porque dois dos modelos desse segmento aparecem como veículos extra-grandes: eles são o novo Nissan Sentra e o Volkswagen Jetta GLI.

4- Jeep Renegade 4x4 é um veículo fora-de-estrada

Jeep Renegade Trailhawk 2023 vermelho de frente em estrada de terra
SUV compacto? Não para o PBE

A presença do Renegade 4x4 em uma categoria classificada como "Fora de Estrada Compacto" na tabela de consumo do Inmetro chega até a destoar. Isso porque, além dele, há apenas o Wrangler, também da marca Jeep, e o Suzuki Jimny Sierra. Tudo bem que o sistema de tração total dá ao modelo alguma desenvoltura na terra, mas nem por isso ele deixa de ser um SUV compacto.

5- Fiat Toro entre picapes médias, como Toyota Hilux e Chevrolet S10

Fiat Toro branca vista de frente em movimento na estrada.
Fiat Toro tem proposta mais urbana e porte menor, mas figura entre modelos maiores

A Fiat sempre classificou a Toro como uma opção menor - e consequentemente mais prática nos centros urbanos - que caminhonetes médias, como Toyota Hilux e Chevrolet S10. Além do menor porte, há ainda diferenças estruturais, como a carroceria do tipo monobloco, que dispensa o tradicional chassi. Mas nada disso importa para o PBE, que coloca esses modelos todos juntos na categoria "Picape".

Qual consome mais combustível: ar-condicionado ou vidro aberto? Assista ao vídeo!

https://youtu.be/b7ISh4fTNlE