O novo Hyundai HB20 ficou melhor ou pior que o anterior?

Visual do novo Hyundai HB20 divide opiniões, mas o motor 1.0 turbo associado ao câmbio automático agrada. Confira nossa primeira impressão sobre a novidade

O novo Hyundai HB20 ficou melhor ou pior do que o anterior? Visual do novo Hyundai HB20 divide opiniões, mas o motor 1.0 turbo associado ao câmbio automático agrada. Confira nossa primeira impressão sobre a novidade

Andam dizendo que a nova grade deixou o carro mais triste, pra braixo, como a boca do Coringa

 

Há muito tempo a reestilização de um modelo não causava tanta polêmica como a do novo Hyundai HB20. Quando foi lançado, em 2012, seu design ousado foi um dos pontos fortes que conquistou uma legião de fãs e fez o hatch e o sedã figurarem entre os mais emplacados do país. A “nova geração” do HB20, como a Hyundai prefere chamar, chega ao mercado junto com também reestilizado Chevrolet Onix, seu principal concorrente, que parece ter tido receptividade melhor. Mas o modelo da marca coreana tem suas qualidades, como o bom conjunto mecânico, e versões com diferentes pacotes de equipamentos.

Diz o ditado popular que gosto não se discute e cada um tem o seu, ou que beleza é subjetiva. Pois bem, mas assim que as imagens do HB20 foram divulgadas pela imprensa especializada, logo vieram as primeiras reações. Entre os comentários, muitos foram enfáticos, dizendo que “conseguiram piorar o carro” em relação ao anterior. O argumento é que o desenho da grade, agora maior, conferiu ao modelo uma expressão triste, lembrando a boca do Coringa, arqui-inimigo do Batman. Alguns chegaram a dizer que, no hatch, não há equilíbrio entre a frente e a traseira, observação que não foi feita em relação ao sedã. O certo é que, no Brasil, o visual conta pontos e pode determinar o sucesso ou o fracasso de um modelo.

O modelo anterior tem a grade mais compactada e um aspecto mais imponente

DIRIGINDO Mas deixando a subjetividade de lado e partindo para as questões práticas do novo HB20, conferimos o conjunto mecânico do hatch e do sedã durante o lançamento na Bahia. A Hyundai disponibilizou modelos apenas com o motor 1.0 Kappa Turbo, três-cilindros, com potência de 120cv (g/e) e 17,5kgfm de torque já a 1.500rpm, associado ao câmbio automático de seis velocidades, com opções de trocas sequenciais também por meio das aletas atrás do volante.

O hatch impressionou pelo bom desempenho, com respostas rápidas ao comando no acelerador. O três-cilindros tem bom torque em baixas rotações e o turbo atua de forma eficiente, sem sustos, mas quando o giro sobe, o ruído de funcionamento do motor se mostra bem áspero, chegando a incomodar. O câmbio automático foi bem calibrado, com mudanças de marchas no tempo certo, e sem trancos. As suspensões são mais duras, transferindo bem as irregularidades do solo para dentro. Mas garantem boa estabilidade, mesmo para o sedã. Os controles de tração e estabilidade ajudam muito.

A traseira ficou mais vincada, com novas lanternas e elementos diferentes no para-choque

No modelo anterior as linhas são mais suaves, sem muito rebuscamento

 

TECNOLOGIA No quesito tecnologia, o novo HB20 traz algumas novidades, como o sistema de alerta e frenagem autônomo, que é opcional. Com uma câmera localizada no para-brisa, o sistema detecta a presença de um veículo ou pessoa na frente do carro, que se estiver a uma velocidade de até 50km/h, consegue pará-lo totalmente. Testamos o sistema em pista fechada e funcionou mesmo. O modelo traz ainda o alerta de mudança de faixa, que avisa o motorista com sinais luminosos e sonoros, quatro airbags (de série a partir da versão Diamond 1.0 turbo), controle de tração e estabilidade, auxílio de partida em rampa (estes dois a partir da versão Evolution 1.0 aspirado), sistema de monitoramento da pressão dos pneus e pontos de fixação de cadeiras infantis Isofix e TopTether.

VERSÕES O hatch tem como versão de entrada a Sense 1.0, que custa R$ 46.490, e traz entre os principais itens de série direção com assistência elétrica, ar-condicionado, volante multifuncional, vidros elétricos dianteiros, painel de instrumentos analógico, rodas de aço 14 polegadas com calotas e banco do motorista com ajuste de altura. O concorrente Chevrolet Onix na versão de entrada 1.0 manual (R$ 48.490) traz de série ar-condicionado, direção elétrica, chave canivete, computador de bordo, controlador de limite de velocidade, volante multifuncional, vidros e travas elétricos, banco traseiro bipartido e rebatível, som com Bluetooth e entrada USB dupla, tomadas USB para o banco traseiro e rodas de aço aro 15 polegadas com calotas.

Já a versão Vision 1.0 (R$ 50.490) acrescenta rodas de aço de 15 polegadas com calotas, retrovisores elétricos, sistema multimídia e USB para carregamento rápido do celular, chave canivete, alarme, vidros elétricos com one touch para o motorista, maçanetas externas e retrovisores na cor da carroceria e porta-objetos com tampa deslizante no console. O Onix LT 1.0 manual (R$ 51.590) acrescenta o sistema multimídia MyLink.

O HB20 Evolution 1.0 custa R$ 53.790 e acrescenta rodas de liga leve de 15 polegadas, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, fechamento e abertura dos vidros pela chave canivete, sensor de estacionamento traseiro, ajuste de altura e distância do volante, ar-condicionado digital e painel de instrumentos digital. Os HB20 Vision 1.6 com câmbio manual tem preço de R$ 57.990 e traz os itens da versão Vision 1.0%2b, grade dianteira cromada e multimídia BlueMedia com entrada USB para carregamento rápido de celular. A mesma versão, porém com câmbio automático de seis velocidades, custa R$ 62.790, e acrescenta controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, controlador e limitador de velocidade e apoia braço para o motorista.

A primeira versão do hatch equipada com o motor 1.0 turbo e câmbio automático é a Evolution, custa R$ 67.190, e traz quatro vidros elétricos com one touch, fechamento e abertura dos vidros pela chave canivete, sensor de estacionamento traseiro, painel de instrumentos digital, rodas de liga leve diamantadas e antena tipo barbatana de tubarão. Já a Diamond 1.0 turbo automática, mais completa, chega a R$ 73.590 e acrescenta airbags laterais, smart key com partida do motor por botão, acendimento automático dos faróis, paddle shifts para mudanças de marcha atrás do volante, câmera de ré, faróis com luz de posição em LED, volante revestido em couro, apoio de braço deslizante, sistema stop&go, banco traseiro bipartido, alarme com sensor de presença e retrovisor externo rebatível eletricamente.

A versão Diamond Plus 1.0 turbo automática sobe para R$ 77.990 e traz ainda bancos revestidos em couro, sistema de alerta e frenagem autônomo, alerta de mudança de faixa e sistema de monitoramento da pressão dos pneus. A Hyundai oferece ainda a versão Launch Edition 1.6 automático, por R$ 69.990, equipada com airbags laterais, faróis com luz de posição em LED e acendimento automático, banco traseiro bipartido, câmera de ré, alarme com sensor de presençaretrovisor rebatível eletricamente, smart key com partida do motor por botão e apoia braço central deslizante.

O novo Hyundai HB20S tem a silhueta mais esguia, com descaída do teto emendando com a traseira

SEDÃ O HB20S Vision 1.0, com câmbio manual, tem preço de R$ 55.390, e traz na lista de equipamentos direção com assistência elétrica, ar-condicionado, sistema multimídia BlueMedia, painel de instrumentos analógico, alarme, quatro vidros elétricos com one touch para o motorista, banco do motorista com ajuste de altura, porta-objetos com tampa deslizante no console, chave canivete, rodas de aço de 15 polegadas com calota e retrovisores elétricos. O HB20S Evolution 1.0 com câmbio manual, de R$ 58.390, vem equipado com rodas de liga leve de 15 polegadas, volante com ajuste de altura e distância, ar-condicionado digital, quatro vidros elétricos com one touch, controles de tração e estabilidade, grade dianteira cromada, abertura e fechamento dos vidros pela chave canivete, assistente de partido em rampa, painel de instrumentos digital, sensor de estacionamento traseiro e faróis de neblina.

As lanternas traseiras são mais horizontalizadas, condizentes com a proposta do conjunto

O HB20S Vision 1.6 manual, de R$ 62.590, tem os equipamentos da versão Vision 1.0 mais grade cromada, controle de tração e estabilidade e assistente de partida em rampa. Com o câmbio automático, a mesma versão sobe para R$ 67.390 e acrescenta controlador e limitador de velocidade e apoio de braço para o motorista. O HB20 Evolution 1.0 turbo automático tem preço de R$ 71.790 e traz ar-condicionado digital, volante com ajuste de altura e distância, quatro vidros elétricos com one touch, controle de tração e estabilidade, abertura e fechamento dos vidros pela chave canivete, assistente de partida em rampa, rodas de liga leve de 15 polegadas, faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, painel de instrumentos digital e antena tipo barbatana.

O HB20S Diamond 1.0 turbo automático, por R$ 76.890, tem tudo isso mais airbags laterais, câmera de ré, retrovisor rebatível eletricamente, smart key com partida do motor por botão, faróis com luz de posição em LED e acendimento automático, alarme com sensor de presença, volante revestido em couro, paddle shift e sistema stop&go. Já o HB20S Diamond Plus 1.0 turbo automático, por R$ 81.290, acrescenta bancos revestidos em couro, sistema de alerta e frenagem autônomo, alerta de mudança de faixa e sistema de monitoramento da pressão dos pneus.

O aventureiro HB20X manteve a proposta, mas com molduras das caixas de rodas desconectadas dos frisos inferiores das portas

Defletor de ar superior e skis cinza no para-choque caracterizam o HB20X

O HB20X começa de R$ 62.990 e vai a R$ 79.590. O HB20 hatch será o primeiro a chegar no mercado, em outubro, e os demais virão em seguida. O modelo continua com cinco anos de garantia e preços de revisão bem competitivos. A Hyundai não esconde sua intenção de brigar pela liderança do mercado com a linha 2020 do HB20. É esperar pra ver.