Nissan 370Z – Aliviando para acelerar

Com menor distância entre-eixos, peso reduzido, motor mais potente e novos câmbios, esportivo é o substituto do badalado 350Z. Não há previsão para venda no Brasil

Frente está mais pronunciada; tomada de ar ficou maior e parece uma “boca sedenta”; faróis ganharam formato de bumerangue, assim como as lanternas traseiras

A saga dos modelos esportivos Z da Nissan é antiga, mas foi relançada em 2003, com o 350Z. A intenção da marca japonesa foi criar um esportivo capaz de desafiar Porsches e Ferraris, mas que tivesse um preço mais acessível, que proporcionasse volume maior de vendas. O resultado foi o 350Z (não é à toa que o carro lembra bastante um Porsche 911). Apresentado ao público norte-americano no Salão de Los Angeles, em outubro de 2008, e para a Europa, no Salão de Genebra, em março, o 370Z substitui o 350Z e representa a primeira alteração radical na linha Z, tanto de carroceria quanto de mecânica.

Veja mais fotos do 370Z!

Traseira ficou parecida com a de um Porsche

Carroceria
O 370Z não é um 350Z reestilizado. Trata-se de um novo carro, com nova plataforma e carroceria mais compacta e com linhas mais arrojadas, sem perder a identificação com a família Z. O esportivo ficou menor, em comprimento (de 4,31m para 4,25m) e entre-eixos (de 2,65m para 2,55m). Por outro lado, a largura aumentou de 181,5m para 184,5m.

Silhueta
De perfil, o 370Z continua com a mesma silhueta que lembra os Porsches 911. Também chamam a atenção as bonitas rodas de liga leve de cinco raios, que podem ser de 18 ou 19 polegadas. As lanternas seguem a mesma filosofia de design dos faróis, com desenho que lembra seta ou bumerangue. Outro detalhe que remete aos Porsches é o aerofólio traseiro, instalado abaixo do vidro. Como em todo esportivo, a saída de escape é dupla.

Fôlego
O motor cresceu em cilindrada (de 3.498 cm³ para 3.696 cm³) e a tropa ganhou mais fôlego (agora são 336 cv, contra os 313 cv do 350Z). Os câmbios também são novos: a caixa manual de seis marchas foi atualizada (novo sincronizador) e a transmissão automática, de sete velocidades, tem sistema (denominado DRM) que possibilita trocas manuais como se fosse um câmbio manual. O 350Z ainda é vendido no Brasil (enquanto durar o estoque), mas o novo 370Z ainda não tem previsão de chegada, pois o iene japonês continua em alta e sua importação, por enquanto, é inviável.