Jipes da década de 1940 embarcam para viagem na Itália

De Minas partem sete dos 28 colecionadores que vão percorrer 600 quilômetros em veículos históricos para homenagear os 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial

Jipes da década de 40 embarcam para viagem na Itália De Minas partem sete dos 28 colecionadores que vão percorrer 600 quilômetros em veículos históricos para homenagear os 70 anos da vitória na Segunda Guerra Mundial

Jipes seguem de carreta até o porto de Santos (SP)

Um grupo de colecionadores brasileiros inicia no próximo mês uma expedição na Itália para homenagear os 70 anos da vitória das Forças Aliadas na Segunda Guerra Mundial. No comboio, 28 veículos históricos vão percorrer quase 600 quilômetros, passando por locais onde lutaram os pracinhas brasileiros no conflito. Nesta quinta-feira, sete jipes partiram de Belo Horizonte rumo ao porto de Santos (SP), onde embarcam para a Itália.

VEJA FOTOS DOS JEEPS!

A “Coluna da Vitória” começa 21 de abril da cidade toscana de Camaiore e termina dia 28 em Parma. O comboio vai integrar a “Coluna da Liberdade”, já realizada por seis edições e que pela primeira vez vai contar a participação de veículos brasileiros. Os modelos são originais da década de 40 e muitos foram utilizados em combate. Além disso, os participantes vão utilizar fardamento idêntico ao da Força Expedicionária Brasileira (FEB).

“É uma iniciativa inédita e nós vamos integrar um grande comboio com veículos italianos, ingleses, franceses, alemães e de vários países europeus. Mais que um encontro de carros antigos, vamos homenagear nossos heróis e resgatar a história dos pracinhas, que lutaram contra as forças nazi-facistas”, afirma Marcos Renault, presidente da Associação Brasileira de Preservadores de Viaturas Militares, que participa da expedição com um jipe Ford GPW 1942.

Jipes têm caixa seca e três marchas

No trajeto, está prevista a parada em locais importantes para a história militar brasileira, como o monumento aos pracinhas no cemitério de Pistoia. A Coluna passa também aos pés do Monte Castello e na cidade de Montese, que foi libertada pelos soldados brasileiros em abril de 1945.

Para cumprir a missão, os modelos passaram por revisão e devem seguir trechos entre 50 e 100 km por dia, com velocidade média entre 40 e 50 km por hora. Apesar do patrocínio para o transporte dos veículos até a Itália, boa parte dos gastos ficam por conta e empolgação dos colecionadores. “Acredito que o custo de todas as despesas para cada participante fique em cerca de R$ 20 mil, mas vale a pena. Será uma experiência única e histórica”, diz o policial militar Vítor Martins, proprietário de um Willys MB 1942.

Modelos são pintados nas cores originais utilizadas pela FEB

Outro carro histórico que embarcou nesta quinta-feira é o Ford GPW 1942, do arquiteto Allen Roscoe da Cunha. O veículo foi comprado em 1976 e totalmente restaurado. agora c por Roscoe. Tanto que ganhou placas pretas, inclusive com as mesmas iniciais e ano do modelo. Colecionador de viaturas militares, será a primeira vez que o arquiteto embarca numa missão. “Encontrei o jipe totalmente descaracterizado em Juiz de Fora e restaurei nos mínimos detalhes. Agora vou poder levá-lo de volta à Itália”, brinca Allen.

Os jipes serão escoltados pela polícia italiana e a associação de colecionadores contratou caminhões reboque para emergências. Os veículos deverão trafegar com temperatura entre 5 e 18º C. “Acredito que seremos bem recebidos, tanto pela distância que percorremos para participar, como pelo valor do soldado brasileiro, que é reconhecido pela atuação na Itália”, diz Marcos Renault.

Veículos preservam alto grau de originalidade