Custando até R$ 146.990, nova geração do Hyundai Creta quer ser premium

Além das novas linhas que mesclam robustez e tecnologia, SUV compacto ganha motor 1.0 turbo com 120cv de potência. Confira o preço e conteúdo das versões

Custando até R$ 146.990, nova geração do Hyundai Creta quer ser premium Além das novas linhas que mesclam robustez e tecnologia, SUV compacto ganha motor 1.0 turbo com 120cv de potência. Confira o preço e conteúdo das versões

Após adiantar diversas informações, a Hyundai finalmente lançou a segunda geração do Creta no Brasil. Como o visual sugere, o SUV compacto quer figurar agora na porção premium do segmento. A nova faixa de preços, de R$ 107.490 a R$ 146.990, confirma a estratégia da marca coreana para o modelo fabricado em Piracicaba (SP). Talvez para não assustar o antigo cliente, a primeira geração do Creta segue em linha na versão Action 1.6, que custa R$ 96.490.

Muito se tem falado das linhas do novo Hyundai Creta, mas esta é mais uma estratégia para levantar polêmica e gerar discussão. A nova geração tem muita personalidade, imposta principalmente pelo conjunto óptico. Os faróis tipo projetor trazem em seu entorno as luzes de rodagem diurna divididas em três partes, enquanto as setas foram alocadas mais abaixo, junto às luzes de neblina. A grade tem formato de trapézio. O capô e as laterais trazem vincos que marcam uma musculatura no veículo. As dimensões do SUV são 4,30 metros de comprimento, 1,79m de largura e 1,63m de altura.

O encontro entre a coluna A e a linha do teto faz uma alusão à primeira geração do modelo. As caixas de roda trazem molduras, e o tamanho das rodas varia de acordo com a versão, entre 16 e 18 polegadas. Antenas “barbatana” e spoiler de teto adornam a traseira, que também tem linhas musculosas e lanternas divididas em várias peças. O modelo está disponível em seis cores: as pinturas sólidas branco Atlas e preto Onix; as metálicas prata Brisk, prata Sand e cinza Silk; e a perolizada azul Sapphire. A versão de topo Ultimate oferece teto pintado em preto por mais R$ 1.500.

INTERIOR O novo painel é dividido pela tela do sistema multimídia, que pode ser de 8 ou 10,25 polegadas, conforme a versão. Os bancos também têm novo desenho, assim como o volante com base achatada, que traz ajustes de altura e distância de série. O ar-condicionado digital, com saídas para o banco traseiro, é oferecido a partir da versão Limited.

Já o teto solar panorâmico equipa as versões Platinum e Ultimate. O acabamento em couro, assim com o freio de estacionamento acionado por botão, também são exclusivos dessas versões, sendo que as duas de entrada trazem os bancos revestidos em tecido. O entre-eixos aumentou 2 centímetros, totalizando agora 2,61 metros. Já o porta-malas tem volume de 422 litros.

Motorização, desempenho e consumo

A grande novidade é a adoção do motor 1.0 turbo flex, de três cilindros, com 120cv de potência e 17,5kgfm de torque (tanto no etanol, quanto na gasolina). O câmbio é automático de seis marchas. O consumo urbano de combustível é de 11,6km/l (g) e 8,3km/l (e), enquanto na estrada os números são 12km/l (g) e 8,7km/l (e). A velocidade máxima é de 180km/h, e a aceleração até os 100km/h é feita em 11,5 segundos.

Já o motor 2.0 aspirado que equipa a versão de topo foi atualizado, obtendo redução de 8% no consumo. O propulsor flex tem potências de 157cv (g) e 167cv (e), torques de 19,2kgfm (g) e 20,6kgfm (e), e trabalha em conjunto com um câmbio automático de seis marchas. O consumo urbano de combustível é de 10,9km/l (g) e 7,7km/l (e), enquanto na estrada os números são 12,4km/l (g) e 8,7km/l (e). A velocidade máxima é de 190km/h, e a aceleração até os 100km/h é de 9,3 segundos.

Preços e conteúdo por versão

O novo Creta está disponível em quatro versões. A de entrada é a Comfort 1.0 Turbo (R$ 107.490), que traz seis airbags, controle de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, monitoramento da pressão dos pneus, luzes diurnas, sistema multimídia com tela de 8 polegadas, câmera de ré e rodas de liga leve de 16 polegadas.

O pacote seguinte é o Limited 1.0 Turbo (R$ 120.490), que acrescenta o Bluelink (com recursos de segurança e assistência ao motorista, prevenção ao roubo, conveniências, alertas e cuidados com o carro), rodas de 17 polegadas, faróis de neblina, retrovisores com rebatimento elétrico, sensor de estacionamento traseiro, carregador sem fio para celular, ar-condicionado automático digital, chave presencial e saídas de ar para o banco traseiro.

A versão Platinum 1.0 Turbo (R$ 135.490) adiciona teto solar panorâmico, bancos em couro na cor marrom, ventilação no banco do condutor, painel de instrumentos com tela de 7 polegadas, modos de condução, freio de estacionamento acionado por botão, multimídia com tela de 10,25 polegadas, alerta de ocupante traseiro, câmera 360 graus e câmera de monitoramento de ponto cego.

Já o pacote mais equipado é o Ultimate 2.0 (R$ 146.990), que, além de itens como rodas de 18 polegadas, banco em couro nas cores marrom e bege, faróis full-LED, sensores dianteiros de estacionamento e detector de fadiga, traz como destaques sistemas semiautônomos como sistema de frenagem autônomo, assistente de permanência e centralização em faixa, controle de cruzeiro adaptativo e farol alto adaptativo.

Protagonismo no segmento dos SUVs compactos

A primeira geração do modelo foi lançada no Salão do Automóvel, no fim de 2016. Já no ano seguinte, o Creta foi o segundo SUV compacto mais vendido. Em 2018, ele alcançou a primeira colocação no segmento, e, no ano seguinte, caiu para um honroso segundo lugar. Já no ano passado, o compacto foi o quarto do segmento, que sugeria que uma renovação já se fazia necessária. Desde seu lançamento, foram emplacadas mais de 230 mil unidades do modelo. Até julho de 2021, a primeira geração do Creta se manteve firme, entregando à nova geração um segundo lugar.