Confira os 10 principais lançamentos do ano no setor automotivo

Nossa lista traz os modelos que se destacaram ao longo do ano, nem todos positivamente. Fiat Strada, Chevrolet Tracker e Caoa Chery Arrizo 6 foram os destaques

Confira os 10 principais lançamentos do ano no setor automotivo Nossa lista traz os modelos que se destacaram ao longo do ano, nem todos positivamente. Fiat Strada, Chevrolet Tracker e Caoa Chery Arrizo 6 foram os destaques

 

A chegada do coronavírus ao Brasil também mudou a dinâmica dos lançamentos de novos modelos no mercado automotivo. O lançamento da terceira geração do Chevrolet Tracker estava marcado para meados de março, quando as restrições para viagens e aglomerações de pessoas começaram a vigorar. A solução encontrada foi o lançamento por videoconferência, seguido por teste drives regionalizados, no lugar do formato tradicional de centralizar presencialmente toda a imprensa especializada para conhecer o novo produto. Confira a seguir os principais destaques de 2020.

NOVA FIAT STRADA Foi o principal lançamento do ano, repleto de pontos positivos (confira o teste completo com o modelo aqui e aqui). Inicialmente, a picape era o “Bezerro”, filhote da Toro, principalmente devido à traseira. Mas, logo seu visual se impôs, com uma dianteira “parruda”. São dois tipos de carroceria, com destaque para a cabine dupla de quatro portas. Já a cabine Plus tem espaço interno ligeiramente maior que a simples. Se o velho motor 1.4 Fire foi mantido nas versões de entrada, o eficiente 1.3 Firefly equipa as mais caras. O pacote de entrada é bem completo – com ar-condicionado, direção hidráulica, computador de bordo, volante com regulagem em altura, iluminação da caçamba, porta-escada, controle de tração (E-Locker), controle de estabilidade, auxílio de partida em rampa, luzes diurnas (DRL), rodas de aço de 15 polegadas e grade de proteção do vidro traseiro –, o que compensa um pouco o preço inicial de R$ 65.990.

Nova Fiat Strada: desenho que lembra a Toro e bom pacote de equipamentos de série

Novo Chevrolet Tracker: terceira geração do modelo trouxe muitas novidades

CHEVROLET TRACKER O SUV compacto que antes vinha do México passou a ser produzido no Brasil. O novo Tracker (confira o teste completo com o modelo aqui e aqui) chegou com um design bem mais interessante que a geração anterior, com opções de motor 1.0 turbo e 1.2 turbo. Na lista de equipamentos de série, destaque para os seis airbags, controle de estabilidade e tração, o que faz o modelo, mesmo vendido a partir de R$ 89.690, ter uma boa relação custo/benefício dentro do segmento. Já a versão de topo traz alerta de colisão frontal com frenagem automática de emergência, alerta de ponto cego, indicador de distância do veículo da frente e sistema de monitoramento da pressão dos pneus. Outro destaque é a nova geração do MyLink, com internet Wi-Fi, tela tátil de oito polegadas, conexão com dois celulares via Bluetooth, além de carregador wireless. Todo o investimento deu certo e o modelo vai ficar na terceira colocação do segmento e deve brigar pela liderança em 2021.

Caoa Chery Arrizo 6: sedã surpreendeu pelo visual e bom desempenho

CAOA CHERY ARRIZO 6 O sedã médio foi uma das maiores surpresas de 2020. Com visual de fastback e uma ótima apresentação do interior, com três telas de comando, além do bom acabamento, o Arrizo 6 (confira o teste completo com o modelo aqui) chegou com muita personalidade. O motor 1.5 turbo proporciona bom desempenho, e, para brilhar, só faltou um pouco mais de torque. Vendido em versão única, por R$ 108.750, a aposta também é no custo/benefício, com itens como chave presencial, teto solar, câmera 360 graus, além de seis airbags e controles de tração e estabilidade.

Volkswagen Nivus: a mesma plataforma e conjunto mecânico do Polo

VOLKSWAGEN NIVUS Outro lançamento muito celebrado (confira o teste completo com o modelo aqui), só não ficou nas cabeças pela falta de novidades, já que herdou plataforma e conjunto mecânico do Polo. Versão aventureira do hatch, o modelo é apresentado como SUV compacto. Com preços de R$ 89.150 e R$ 102.050, ficou muito salgado. Mas o design é muito bonito, ameaçando os desempenhos do Polo e do T-Cross.

Ford Territory: SUV médio com bons predicados, mas com preço salgado

FORD TERRITORY O SUV médio importado da China também nos surpreendeu (confira o teste completo com o modelo aqui), a começar pelo porte e belas linhas. O Ford Territory também agradou pelo espaço interno, acabamento e conteúdo. O motor 1.5 turbo ficou pouco para puxar os mais de 1.600 quilos do modelo. Vendido a partir de R$ 179.900, o SUV não tem preço convidativo, mas agrada.

Honda Civic SI: ganhou novo motor 1.5 turbo de 208cv de potência

HONDA CIVIC SI Reestilizado, o cupê de duas portas chegou com mudanças discretas, mas muito bem acertadas (confira o teste completo com o modelo aqui). O conjunto mecânico também foi aprimorado, com o mesmo motor 1.5 turbo de 208cv, mas agora acoplado ao câmbio manual de seis marchas. Vendido em versão única, o pacote de equipamentos também ficou maior. Importado do Canadá, o modelo não é nenhuma barbada: R$ 209.900. Mas a diversão é garantida!

Novo Peugeot 208: atrai pelo belo visual, mas traz conjunto mecânico velho

NOVO PEUGEOT 208 Sem dúvida, foi a maior decepção do ano. Pelo visual, o novo Peugeot 208 (confira o teste completo com o modelo aqui e aqui) deveria ter sido o lançamento do ano, mas a marca pecou em todo o resto. Além dos preços nada convidativos, o compacto é oferecido apenas com o velho motor 1.6 aspirado, enquanto todos esperavam o propulsor 1.2 turbo. O espaço interno é restrito e o acabamento é simples demais, principalmente nas versões de entrada. A nova geração deixou de ser brasileira e passou a ser fabricada na Argentina.

Novo Nissan Versa: melhorou no design, mas não evoluiu na motorização

NOVO NISSAN VERSA O sedã compacto fabricado no México entrou para o time dos premium, mas com poucos atrativos para fazer volume em um segmento com adversários casca-grossa (confira o teste completo com o modelo aqui), a começar pela manutenção do antigo motor 1.6 aspirado e a falta de preços competitivos. O design melhorou muito. O interior tem bom espaço e, de quebra, o sedã herdou o painel do Kicks. Vendida a partir de R$ 74.490, a versão de entrada oferece airbags frontais, laterais e de cortina, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, além de chave presencial, ar-condicionado e rodas de aço de 15 polegadas.

Kia Rio: não conseguiu convencer o consumidor brasileiro

KIA RIO O hatch compacto premium fabricado no México também chegou sem grandes atrativos para disputar no segmento (confira o teste completo com o modelo aqui e aqui). Seu design não é o mais atraente, o pacote de equipamentos não oferece o melhor custo/benefício e nem tem motor turbo. Uma grande escorregada é a telinha do quadro de instrumentos não fornecer velocímetro digital e nem computador de bordo, em um modelo que custa a partir de R$ 69.990. Em um ano complicado, até novembro foram vendidas apenas 321 unidades.

Renault Duster: SUV compacto passou apenas por discreta reestilização

RENAULT DUSTER Foi só no início do ano que o modelo ganhou o visual que a Europa já tinha desde 2017. Com a manutenção da antiga plataforma e motorização, o SUV compacto não teve qualquer evolução tecnologia ou de segurança (confira o teste completo com o modelo aqui). Por isso, o mercado não recebeu o novo Duster como uma nova geração, mas apenas uma reestilização. O visual externo foi apenas atualizado, mas o painel melhorou demais. Se em seus primórdios o modelo era interessante pelo custo/benefício, atualmente não passa nem perto disso.