Assista nossa volta rápida a bordo do Leaf, o hatch elétrico da Nissan

Modelo tem desempenho empolgante, bom espaço interno e acabamento. Porém, preço elevado promete impedir a popularização dos elétricos no Brasil por muito tempo

Assista nossa volta rápida a bordo do Leaf, o hatch elétrico da Nissan Modelo tem desempenho empolgante, bom espaço interno e acabamento. Porém, preço elevado promete impedir a popularização dos elétricos no Brasil por muito tempo

O automóvel 100% elétrico mais vendido do Brasil em 2021 foi o Nissan Leaf, com 439 unidades emplacadas. A segunda geração do modelo foi lançada no Japão em 2017, mas só chegou ao mercado brasileiro em 2019. Apesar do volume ainda ser pequeno, obviamente por causa do preço altíssimo de um carro elétrico no Brasil, a Nissan quer mostrar que a eletrificação (em suas diferentes modalidades) já faz parte do presente, tendo ampliado a oferta do modelo em sua rede de concessionárias.

O visual do Leaf ainda está atual. O design tem forte compromisso com a aerodinâmica, fator primordial em um veículo elétrico. Os vincos são bastante pronunciados, presente principalmente no capô, para-choques e na parte posterior da carroceria. As rodas em liga-leve são de 17 polegadas. As dimensões do veículo são 4,48 metros de comprimento, 1,79m de largura e 1,56m de altura.

DENTRO Com 2,70 metros de entre-eixos, o interior do Leaf é espaçoso. O acabamento é caprichado, usando materiais convencionais, como o couro nos bancos, apoio de braço central, volante, painel e portas. O volante tem regulagem apenas em altura, enquanto o banco do motorista oferece ajuste em altura. Curioso o freio de estacionamento acionado pelo pé em um veículo com alto grau de tecnologia.

Para quem conhece o cenário, dirigimos o Nissan Leaf de Belo Horizonte até a histórica Ouro Preto (MG)

O quadro de instrumentos traz uma tela configurável de 7 polegadas onde é possível consultar informações com porcentagem de energia nas baterias e autonomia do veículo. Já a tela do sistema multimídia tem 8 polegadas. O Leaf deixa a desejar ao oferecer apenas uma porta USB. O banco traseiro acomoda como conforto até dois passageiros, já que o túnel central do assoalho que dá acesso às baterias é muito alto. O porta-malas é bem espaçoso, com volume de 435 litros, sendo que o estepe fica na parte de fora do veículo.

BATERIAS As baterias do Leaf têm 40 kWh, o que dá autonomia de 272 quilômetros pelo protocolo FTP do Inmetro. De acordo com o fabricante, a recarga completa dura 8 horas em um Wall Box padrão. Já em uma estação de recarga rápida, mais comum em rodovias, bastam 40 minutos para “encher” 80% da bateria. Em último caso, o veículo traz um carregador de emergência, que pode ser ligado em uma tomada convencional doméstica, onde uma carga completa pode demorar até 40 horas.

MOTOR
O motor elétrico do Leaf está localizado na dianteira, com 149cv de potência e 32,6kgfm de torque. Além de se tratarem de números expressivos, o fato de se originar de um propulsor elétrico permite que essa força esteja disponível quase instantaneamente, não dependendo do regime de rotações. A velocidade máxima do veículo foi eletronicamente limitada a 144km/h. Já a aceleração até os 100km/h é feita em 7,9 segundos.

Para gerenciar da melhor forma tanto a entrega quanto a regeneração da energia de frenagem, o Leaf conta com com diversos comandos no console, a começar pelo modo Eco, que regula a entrega de “força” às rodas. A alavanca tipo joystick traz a posição B, usada para potencializar a regeneração da energia da desaceleração, podendo ser usada em um longo declive na estrada. Já com o e-pedal, basta dosar o pedal do acelerador para controlar a velocidade do veículo, praticamente aposentando o pedal de freio, já que ele desacelera intensamente o veículo em busca de regenerar energia.

EQUIPAMENTOS Importado do Reino Unido, o Leaf é vendido a partir de R$ 293.790. No pacote de equipamentos, destaque para tecnologias semiautônomas como o controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão com frenagem de emergência, alertas de ponto cego, mudança de faixa e de tráfego cruzado.