Yamaha Ténéré 700 Rally Edition traz o deserto em seu DNA

Versão Rally Edition da Ténéré 700 incorpora o estilo raiz do fora de estrada, com equipamentos especiais e decoração em homenagem às pioneiras da estirpe

Yamaha Ténéré 700 Rally Edition traz o deserto em seu DNA Versão Rally Edition da Ténéré 700 incorpora o estilo raiz do fora de estrada, com equipamentos especiais e decoração em homenagem às pioneiras da estirpe

O nome Ténéré batiza a nova 700 Rally, mas já estava presente na linha XT desde 1983

 

Entre a aparição do modelo aventureiro Ténéré 700, ainda como protótipo em 2016, e seu lançamento em 2019, o mundo girou muitas vezes. A moto passou por um processo tão longo de desenvolvimento que até parece veterana. E como tal, ganhou uma versão batizada de Ténéré 700 Rally Edition, apresentada no dia 24 de junho. O modelo tem decoração e visual inspirados na XT 600Z, que competiu no Rally Paris-Dakar nos anos de 1983 e 1984. Além disso, a nova Ténéré 700 Rally Edition tem uma série de equipamentos que a tornam ainda mais off road que a versão original.

 

A Yamaha vai comercializar a Ténéré 700 original no Brasil, embora ainda sem data e preços confirmados. O modelo Rally Edition, portanto, também pode desembarcar, para satisfazer uma parcela de entusiastas ainda mais tarimbados. A união do nome Ténéré e Rally é inevitável e remonta ao ano de 1976, com o lançamento da XT 500, que faria história, inaugurando o segmento das big trail. Em 1979, venceu a primeira edição do Rally Paris-Dakar com o francês Cyril Neuveu, repetindo a dose em 1980, em um percurso que atravessava o deserto de Ténéré.

O modelo 700 Rally Edition traz em seu DNA a aptidão para enfrentar terrenos áridos

O painel tem tela digital, disposta como nas motos de rally

NOME Localizado ao sul do deserto do Sahara, na África, a região do Ténéré sempre foi um desafio, inclusive para os povos nômades Tuaregs, além de ser um nome que ficaria ligado ao fora de estrada, batizando a linha das novas XT (já como XT 600Z), a partir de 1983. A Ténéré 700 Rally Edition tem este DNA bem presente. O motor é o mesmo que equipa o modelo MT-07 (Master of Torque, já comercializado aqui), equipado com dois cilindros paralelos, com 689cm³, chamado de CP2 em função de sua tecnologia “cross plane”, com defasagem de ignição em 270 graus e retomadas mais vigorosas.

A roda dianteira, com aro de 21 polegadas, tem duplo disco de freio

A potência atinge 74cv a 9.000rpm e o torque 6,0kgfm a 6.500rpm. O quadro é em tubos de aço, com berço duplo, e dimensões compactas para permitir maior agilidade. A roda dianteira tem aro de 21 polegadas e a traseira, 18 polegadas. A versão Rally Edition ganhou um banco com 20mm a mais na altura, atingindo 895mm. Também conta com protetor de motor envolvente, protetor de radiador e de corrente, ambos em alumínio.  O tanque, com capacidade para 16 litros, tem desenho estreito para facilitar manobras, e na junção com o banco ganhou proteções antiderrapantes.

O banco é 20mm mais alto que o modelo convencional

A iluminação é em LED, com quatro faróis na dianteira

VISUAL O escapamento também é especial Akrapovic, mais leve e com ronco mais encorpado. Os punhos foram alterados para proporcionar maior aderência na pegada. A suspensão dianteira é invertida, com 210mm de curso. Na traseira, sistema mono, com 200mm de curso, ambos reguláveis. Os freios contam com duplo disco ondulado de 282mm de diâmetro na dianteira e disco simples de 245mm na traseira. Ambos equipados com pinças Brembo e sistema ABS, que pode ser desligado para compatibilizar a performance no fora de estrada.

Motor, radiador e o cobre corrente contam com protetores

O escape Akrapovic é mais leve e produz som mais encorpado

O painel em tela digital tem formato retangular, disposto verticalmente como nas motos de rally. O visual do bloco óptico também lembra as motos de competição, com quatro faróis em LED, assim como piscas e lanterna. A decoração é inspirada e faz homenagem aos modelos que competiram no Ralli Paris-Dakar dos anos 1980. A pintura azul é semelhante à da Yamaha francesa Sonauto (que desenvolvia e preparava os modelos XT para competições), com faixa em blocos (também usada nas motos de velocidade), detalhes em amarelo nas laterais e rodas de liga leve douradas.

As dimensões compactas favorecem a agilidade, e o motor com dois cilindros paralelos conta com intervalo de ignição de 270 graus