Suspenso nos últimos 2 anos, Salão de Milão volta a ser vitrine do futuro

Mostra italiana é considerada a mais importante do mundo. Marcas reservam a exposição para lançamentos globais que também interessam ao mercado brasileiro

Suspenso nos últimos 2 anos, Salão de Milão volta a ser vitrine do futuro Mostra italiana é considerada a mais importante do mundo. Marcas reservam a exposição para lançamentos globais que também interessam ao mercado brasileiro

O Salão de Milão 2021, entre 23 e 28 de novembro, é considerado o mais importante do mundo. Porém, ficou dois anos sem ser realizado em função da pandemia. Voltou este ano, ainda sob os efeitos das restrições. Tradicionalmente, as principais marcas de motocicletas, acessórios e equipamentos, reservam a exposição para lançamentos globais que também interessam ao mercado nacional em uma espécie de antecipação, também verificada no avanço dos modelos elétricos e de origem asiática. Entretanto, os modelos tradicionais e em vias de desembarcar no Brasil também foram destaque.

HONDA O fabricante japonês mostrou a CBR 1000 RR-R Fireblade edição comemorativa e limitada dos 30 anos do modelo com pintura inspirada no primeiro modelo de 1992. A Honda importa oficialmente para o Brasil o modelo Fireblade “SP”, com a mesma ficha técnica do modelo comemorativo 30 Anniversary, mas, sem a decoração de aniversário. As suspensões são eletrônicas Ohlins, freios Brembro, aerodinâmica com asas, escape em titânio, painel em TFT e motor de quatro cilindros em linha com sofisticada eletrônica que atinge 217cv.

Outro modelo que seria bem recebido é o scooter aventureiro ADV 350 na mesma linha dos X-ADV 750 e ADV 150 já em nosso mercado. O novo ADV 350 tem o mesmo motor da Forza 350 (também fora do nosso mercado) com 329cm³ de cilindrada que fornece 29,2cv. A suspensão dianteira é invertida em roda de 15 polegadas e a iluminação em LED, além de painel com espelhamento ao celular. A Honda também mostrou a silhueta da nova Hornet, ainda sem data de lançamento.

YAMAHA Lançada em 2019 desde então, a Ténéré 700 é candidata a desembarcar aqui. Para 2022, a Yamaha mostrou modernizações do modelo e a versão ainda conceito batizada de Raid. Totalmente focada no fora de estrada, A suspensão dianteira tem 270mm e a traseira 260mm. A coroa tem 48 dentes, o escape é em titânio. O freio dianteiro tem disco de 300mm com pinça de competição, além de radiador redimensionado e embreagem Rekluse. O modelo “normal” 2022 tem mesmo motor que equipa a MT-07 (já comercializada aqui), com dois cilindros paralelos CP2 (CrossPlane) com 698cm³ que desenvolve 75cv a 6.500rpm. Suspensão dianteira invertida com 43mm de diâmetro e 210mm de curso. Na traseira sistema mono com 200mm de curso. Iluminação em LED. Também mostrou a super naked MT-10 Storm (derivada da SP lançada um pouquinho antes) equipada com suspensões eletrônicas Ohlins, motor CP4 de quatro cilindros em linha com intervalos irregulares de ignição e quadro Deltabox. Ambos derivados da superesportiva R1.

KAWASAKI O modelo Versys 650 já comercializado no Brasil, ganhou modernizações mostradas no Salão de Milão. O motor com dois cilindros paralelos de 649cm³ e 64cv além do quadro permanecem inalterados. Contudo, conta com controle de tração em dois níveis. O para-brisa foi redesenhado e pode ser regulado em quatro posições. As setas ganharam LED. Para viagens malas podem ser acopladas.

SUZUKI Katana é o nome de uma espada usada pelos samurais japoneses, que a Suzuki também usou para batizar o modelo lançado em 1981. Com desenho ousado, saiu de linha, para voltar em 2017. Agora a Suzuki moderniza o modelo equipado com motor de quatro cilindros em linha, 999cm³ que fornece 152cv, agora equipado com três mapas e quickshifter no câmbio. O quadro permanece o mesmo e a carenagem com farol quadrado que avança pelo tanque mantém o DNA do desenho original que já circulou pelo Brasil.

KTM A marca austríaca com produção em Manaus, Amazonas especializada no fora de estrada, também segue diversificando sua linha. Um destes modelos apresentados em Milão é a Super Duke 1290 GT já como 2022. Com motorzão de dois cilindros em vê com 1.301cm³ entrega 175cv e um torque de 14,4 kg. Também inclui ABS de curvas, mapas de motor, suspensões semi-ativas, sistema de navegação e painel com tela TFT de 7 polegadas colorida. O grupo KTM também é dono da marca de origem sueca Husqvarna igualmente presente no Brasil que mostrou a Norden 901 estilo big trail. O motor é de dois cilindros paralelos, com 899cm³ e 105cv com quatro modos de pilotagem (três padronizados e um customizável), freios ABS de curvas e quick shift.

TRIUMPH A marca inglesa instalada no Brasil, apresentou os modelos Café Racer Speed Triple 1200 RR um pouco antes do Salão. Assim como a Trident 660 já no mercado nacional. A marca que fornece os motores 765cm³ de três cilindros para o mundial de Moto2, também equipa o modelo Street Triple RS comercializado no Brasil. A Speed Triple RR herdou o conjunto mecânico, porém, com uma carenagem e farol redondo clássicos. As suspensões são semi-ativas Ohlins, controle de tração, mapas de motor, iluminação em LED e painel redondo em TFT de 5 polegadas ligado ao celular e freios Brembo Stylema.

ROYAL ENFIELD A marca indiana de origem inglesa tem agressiva tática de preços. Já lançou aqui os modelos Hymalaian 400, Interceptor e Continental GT 650 r a Meteor 350. Agora mostra o protótipo conceito SG650, com mesmo motor de dois cilindros paralelos da Interceptor e Continental GT. Os freios tem duplo disco na roda dianteira, suspensão invertida e banco estilo selim suspenso costurado a mão. As rodas em alumínio são quase maciças. Quando entrar em linha também pode desembarcar aqui.