Honda traz de volta conceito do passado lançando a moderna ST 125 Dax

Apelidado de salcicha, o novo modelo, com pernas curtas e corpo alongado, já freqüentou o Brasil décadas atrás, porém, com motor 70cm³ e guidão dobrável

Honda traz de volta conceito do passado lançando a moderna ST 125 Dax Apelidado de salcicha, o novo modelo, com pernas curtas e corpo alongado, já freqüentou o Brasil décadas atrás, porém, com motor 70cm³ e guidão dobrável
O modelo é comparado ao cão da raça Dachshund, o salsicha, com pernas curtas e corpo longo

 

A Honda ressuscitou o conceito do modelo ST 70, repaginado como ST 125 Dax. A pequena moto, voltada para o lazer, fez sucesso no Brasil décadas atrás, equipada com câmbio semiautomático e guidão dobrável, que permitia um malabarismo para ser transportada no porta-malas dos carros. Fácil de ser pilotada, circulava pelas praias e outros locais, conduzindo a geração “paz e amor” a partir dos anos 1970. O novo modelo tem linhas semelhantes, mas o motor passou para 125cm³, incorporando outras modernidades. Porém, o guidão deixou de ser dobrável.

O quadro alongado em forma de T inspirou o apelido do modelo como “salsicha”. Exatamente o nome do cachorro da raça Dachshund, o salsicha com pernas curtas e corpo longo, ou simplesmente Dax. O quadro em aço estampado abriga também o tanque de combustível de 3,8 litros e um banco mais alongado, que permite acomodar piloto e passageiro. Já como modelo 2023 (inicialmente na Europa), continua com a pegada divertida, incorporando também o escape de saída alta para melhorar as estripulias longe do asfalto.

O novo ST 125 tem câmbio semiautomático de quatro marchas

MODERNIDADES Toda a iluminação é em LED, com farol redondo, como nas motos da década de 1970. A suspensão dianteira, entretanto, é invertida, como nas motos atuais. Com tubos de 31mm de diâmetro e 100mm de curso, faz conjunto com duplo amortecedor traseiro com 120mm de curso. Os freios são a disco nas duas rodas. Na dianteira, 220mm de diâmetro, e na traseira, 190mm. Contudo, o sistema ABS só está presente na roda dianteira. As rodas são em liga leve, com aros de 12 polegadas na dianteira e 13 na traseira.

A iluminação é em LED e a suspensão dianteira invertida

O conjunto tem o reforço de pneus mais largos, estilo balão, para encarar melhor as pequenas aventuras e suportar as irregularidades do piso. Na dianteira, medida 120/70, e na traseira, 130/70. O motor de um cilindro refrigerado a ar, de 124cm³, duas válvulas, é o mesmo que equipa o modelo Super Cub 125, considerado a moto mais vendida do mundo. A potência atinge 9,4cv a 7.000rpm e o torque 1,1kgfm a apenas 5.000rpm. O câmbio, ao contrário do antigo modelo, tem quatro marchas, em vez de apenas três.

O banco fica a apenas 775mm do chão,facilitando a pilotagem, e o peso é de apenas de 107kg, com o tanque cheio

FACILIDADES A embreagem centrífuga funciona de forma automática, sem a necessidade da presença do manete, facilitando a tocada. O pedal de câmbio, porém, permanece. Para trocar de marcha, basta desacelerar e cambiar. Nas paradas, a embreagem entra em funcionamento automaticamente. Como moto predominantemente recreativa, a velocidade máxima não ultrapassa os 90km/h. Outro facilitador é a baixa altura do banco, a 775mm do chão, além do peso (já abastecida) de 107kg, com distância livre em relação ao solo de 180mm.

O painel traz a modernidade da tela em LCD
Os freios são a disco nas duas rodas, mas com ABS só na dianteira

O visual, meio retrô, obedece ao estilo da ST 70. O painel arredondado e destacado reforça o estilo. A tela, entretanto, tem a modernidade digital em LCD. O guidão agora é mais alto e ligeiramente mais alargo. O ST 125 Dax também faz partes dos veículos de recreação da família que usa o mesmo motor (além dos Super Cub 125), Monkey 125 e MSX 125 Grom. Ambos já foram expostos no Salão das Duas Rodas de São Paulo antes da pandemia. Não há confirmação de desembarque no Brasil, mas se foram expostos, fica a interrogação, assim como o novo “salsicha”.

O cachorrinho salsicha está presente em adesivo na lateral da moto