Honda CB 600F Hornet – Qual é a mágica?

Modelo 2012 chega com novidades na frente, rabeta, banco, painel, peso e também com preço atualizado, mas conserva o motor com quatro cilindros em linha e 102cv

Publicidade
O conjunto óptico dianteiro triangular ficou mais afilado

A Honda apresentou ao mercado nacional, já como versão 2012, a atualização da Hornet 600, com mesmo visual do modelo europeu, lançado no fim de 2010, durante o Salão de Millão. A nova motocicleta, líder em vendas do segmento classificado como naked, ou pelada, de média cilindrada, chega com novo conjunto óptico dianteiro triangular, mais afilado e integrado a uma microcarenagem. Traz ainda novo painel, agora totalmente digital, em peça única e dotado de computador de bordo e conta-giros em escala de barras, novo banco e nova rabeta, mais fina e ligeiramente direcionada para cima, com alças e farolete integrados, além de suporte de placa destacado.

No coração, nenhuma alteração. O modelo segue com o mesmo motor de quatro cilindros em linha de 599,3cm³, equipado com injeção eletrônica e refrigeração líquida, que fornece 102cv a 12.000rpm e um torque de 6.5kgfm a 10.500rpm. O interessante é que o propulsor foi herdado do modelo superesportivo CBR 600 600 RR, com os devidos ajustes para rodar de forma mais civilizada também no dia a dia das cidades. Já as formas foram idealizadas pela consagrada escola italiana de design, através da filial européia, com aprovação da matriz nipônica. Versátil, a motocicleta, lançada em 1998, ganhou adeptos em todo o mundo, inclusive no Brasil, onde desembarcou oficialmente em 2004.

TROFÉUS

Considerada nacional, já que é montada em Manaus, Amazonas, embora com peças de várias partes do mundo, foi intitulada a primeira motocicleta Honda brasileira equipada com injeção eletrônica, para logo depois também ganhar outros troféus. O Brasil tornou-se simplesmente o maior mercado mundial do modelo, superando todos os demais países onde é comercializado. A preferência da freguesia nacional foi também acompanhada na mesma velocidade do apreço pelos amigos do alheio, fazendo disparar o preço do seguro e a insegurança do fiel consumidor. Para minimizar este indesejável título, a Honda adotou um pacote de medidas administrativas adicionais.

Estabeleceu uma cesta de peças com preços incentivados na rede de concessionárias, para desestimular o possível comércio de peças no mercado negro, fruto de desmanches de motos roubadas. Além disso, negociou com seguradoras a redução no preço do seguro, possibilitada também pela redução do preço sugerido, em cerca de R$ 3 mil. A moto ficou mais atualizada, as peças e seguro com preços mais módicos e ainda por cima cerca de 10% mais barata. Qual seria a mágica? Seria a queda do dólar? Na verdade, trata-se de uma espécie de contra-ataque para combater a concorrência que vem avançando no segmento, com modelos de qualidade, além de explorar exatamente estas deficiências, até então inexistentes em suas motos.

A Hornet 600 modelo 2012 é oferecida em duas versões: Standard e equipada com freios C-ABS. Este tipo de freio, além de impedir o travamento das rodas, interligando-as e distribuindo a carga de frenagem automaticamente. O sistema acrescenta cinco quilos ao peso final da moto, que passa de 188kg a seco para 193kg. O curioso é que a ficha técnica acusa um desproporcional e indesejado aumento no peso, em relação ao modelo anterior, justamente quando as montadoras fazem de tudo para emagrecer seus modelos, proporcionando maior dirigibilidade e economia. A versão 2012 ficou nada menos do que 15 quilos mais obesa no modelo Standard e 16 quilos no modelo equipado com freios C-ABS.

Além disso, o modelo nacional, diferentemente do europeu, não conta com suspensão dianteira regulável, explicando um pouco mais a mágica na redução do preço sugerido. O garfo tem bengalas com tubos de 41mm de diâmetro e 120mm de curso. A suspensão traseira é do tipo mono, regulável, com 128mm de curso. Os freios dianteiros contam com duplo disco de 296mm de diâmetro e o traseiro com disco simples de 240mm de diâmetro. O escape conservou a saída baixa e curta, rebaixando as massas. As rodas, com aros de 17 polegadas, são em liga leve, assim como quadro com trave central. O câmbio tem seis velocidades e as cores oferecidas são o preto e o verde metálico. O preço sugerido, sem frete e seguro, é de R$ 30.800 para o modelo Standard, e R$ 33.800 para o equipado com freios C-ABS.