Honda CB 300R 2022 recebe melhorias e deve compor linha NSC no Brasil

Modelo New Sport Cafe foi modernizado, incluindo nova suspensão dianteira, embreagem, painel e banco, mas mantendo o motor de um cilindro

Honda CB 300R 2022 recebe melhorias e deve compor linha NSC no Brasil Modelo New Sport Cafe foi modernizado, incluindo nova suspensão dianteira, embreagem, painel e banco, mas mantendo o motor de um cilindro

A linha Honda NSC (New Sport Cafe) é composta pelos modelos naked CB 1000R, CB 650R (ambas já comercializadas no Brasil), CB 300R e CB125R. As duas últimas, ainda fora do mercado nacional. Porém, a CB 300R na versão 2022 foi modernizada e também pode entrar para o time NSC brasileiro. A história da CB 300 no Brasil é curiosa. Lançada em 2009 para substituir a falecida CB 250 Twister, saiu de linha em 2015 para ser substituída exatamente pela CB Twister 250 que ressuscitou reciclada e continua em linha até hoje.

A nova CB 300R, apresentada na Europa em janeiro de 2022, conservou o estilo New Sport Cafe, definido como neoclássico, com visual retrô-vintage, combinado com tecnologias modernas. O farol redondo é uma das assinaturas, como nos modelos das décadas de 1950 e 1960. Porém, tem iluminação em LED com dupla barra. Na parte superior a luz baixa e na parte inferior a luz alta. Na traseira curta e afilada, lanterna ovalada também em LED. O motor fica exposto, sem carenagens, como na receita naked. A Honda também produz a semelhante CB 250R para outros mercados.

As modernizações mecânicas incluem a nova suspensão dianteira, Showa com sistema SFF-BP (Function Front Fork-Big Piston). Um tubo tem a função de amortecimento e o outro de retorno. Com funções separadas, o pistão interno também pode ser maior. A suspensão tem 41mm de diâmetro e 130mm de curso. Outro ajuste foi a adoção de embreagem assistida e deslizante, proporcionando menor esforço no acionamento do câmbio de seis marchas e eliminando o possível travamento da roda traseira nas reduções mais radicais.

A suspensão traseira é do tipo mono, com 107mm de curso e cinco regulagens na pré-carga. O motor continua sem alterações, embora, atenda às normas de emissões EURO 5, com mudanças no catalizador e escape. Com um cilindro e 286cm³ de cilindrada, tem comando DOHC, quatro válvulas e arrefecimento líquido. A potência atinge 31,1cv a 9.000rpm e o torque 2,81kgfm a 7.750rpm. O quadro é em tubos de aço, do tipo diamond (diamante), com o motor fazendo parte da estrutura e tem uma proteção inferior, estilo limpa trilhos.

O painel em tela LCD, além das funções de velocidade, conta-giros e nível do tanque de combustível com capacidade para 10 litros, conta com indicador de marcha engatada. Na ergonomia, guidão em aço cônico, pedaleiras em alumínio e novo revestimento e espessura do banco em dois níveis com 799mm de altura. Os freios contam com sistema ABS. Na dianteira, disco de 296mm de diâmetro, com pinça Nissin com montagem radial de quatro pistões. Na traseira disco de 220mm de diâmetro com pinça de pistão único.

O peso em ordem de marcha, já abastecida é de 144 quilos. As rodas são em liga leve com aros de 17 polegadas, calçadas com pneus 110/70 na dianteira e 150/60 na traseira. O possível desembarque da CB 300R aqui, teria de conviver com a CB 250 Twister, com quem já revezou no line-up da marca. Porém, a Yamaha, por exemplo, tem em sua linha os modelos FZ 25 Fazer 250 (249cm³) e também a naked MT-03 (321cm³ e dois cilindros), provando ser possível uma convivência semelhante. Outra concorrente seria a BMW G 310R, embora, com estilo on-off.