Honda CB 1000R ganha versão Black Edition, com preço sugerido de R$ 76.750

Naked estilo retrô moderno tem novo pacote com pintura e decoração em preto, além de atualizações técnicas

Honda CB 1000R ganha versão Black Edition, com preço sugerido de R$ 76.750 Naked estilo retrô moderno tem novo pacote com pintura e decoração em preto, além de atualizações técnicas

O modelo CB 1000R faz parte do conceito NSC, New Sport Café. Motos despojadas, sem supérfluos, mas, com altas doses de tecnologia embargada. Uma releitura modernizada do estilo Café Racer, criado na Inglaterra a partir dos anos 1950, quando a galera se reunia nos cafés para acelerar em “rachas”. Para tanto, as motos eram depenadas e mexidas, aumentando o desempenho. A CB 1000R modelo 2022 reforça estas características, com a nova versão Black Edition, com novo acabamento e decoração, além de componentes mecânicos exclusivos, como o câmbio com sistema quickshifter de troca de marchas.

O modelo CB 1000R Black Edition 2022 chega com preço sugerido de R$ 76.750 na cor preto perolizado, enquanto o modelo 2022 “normal” custa R$ 69 mil nas cores vermelho metálico e prata metálico. A versão Black Edition se diferencia com a capa de série (removível) do assento do passageiro em preto Graphite. Além disso, quase tudo no modelo é preto: farol cônico e sua carenagem, suspensão dianteira, molduras do radiador, tampas da caixa de filtro de ar e sistema de escapamento. Outros detalhes são em alumínio usinado, como balança da suspensão traseira e tampa do motor.

Customização A versão Black Edition é uma espécie de customização de fábrica. Porém, a ciclística e o motor são os mesmos da versão de entrada. O farol de formato arredondado em LED, com luz de posição, ficou mais inclinado e o motor de quatro cilindros em linha, herdado da superesportiva CBR 1000RR Fireblade de gerações anteriores, recebeu ajustes na injeção eletrônica, nova caixa de filtro de ar, dutos de admissão e câmara de combustão, resultando em melhor aceleração e retomadas de velocidade. O propulsor DOHC de 998cm³ de cilindrada, com pistões de alumínio forjado, entrega 142,8cv a 10.500rpm e um torque de 10,2kgfm a 8.250rpm.

A eletrônica oferece três mapas de motor padronizados – Standard, Rain e Sport – e também o modo User, em que o piloto pode configurar os parâmetros conforme sua preferência. São três níveis de entrega de potência, de freio motor e de controle de tração, que também pode ser desligado. O modo Standard ajusta potência, freio motor e controle de tração intermediariamente. O modo Rain usa potência baixa, freio motor médio e controle de tração alto. O modo Sport libera toda potência e minimiza controle de tração e freio motor. Toda a seleção é realizada no punho esquerdo do guidão.

Ciclística O quadro é do tipo Diamond (com o motor fazendo parte da estrutura), em viga única de aço, proporcionando uma distância entre-eixos de 1.452mm, com distribuição de peso de 48,5% para a roda dianteira e 51,5% para a roda traseira. O triângulo formado entre o banco a 830mm do solo, pedaleiras mais recuadas e guidão em alumínio mais largo, deixam a posição de pilotagem levemente esportiva e inclinada para frente. O tanque de combustível, com capacidade para 16,1 litros tem recortes para acomodar os joelhos, deixando o piloto mais integrado. O peso a seco na versão Black Edition é de 201 quilos.

A suspensão dianteira Showa tem garfo com tubos de 43mm e funções separadas, com 109mm de curso. A suspensão traseira do tipo mono ancorada em monobraço, Showa, tem 120mm de curso e regulagens na pré-carga. O freio dianteiro conta com duplo disco de 310mm com pinças Tokico radiais de quatro pistões. Ambos com ABS. O freio traseiro tem disco único de 256mm. O painel é um dos destaques. Em tela TFT colorida de 5 polegadas, tem quatro tipos de visualização e luz shift light que indica a hora de trocar as marchas. Além disso, conta com o sistema Roadsync, que permite conexão via Bluetooth com o celular, controlados por comando de voz.