UAI
Duas Rodas

Mundo das motos: confira algumas novidades do setor das duas rodas

De lançamento da BMW e da Honda a curso para formação de jovens pilotos, e o retorno da SWM

Publicidade
SIGA NO google-news-logo
BMW R 12 Nine T e R 12 Cruiser
BMW R 12 Nine T e R 12 Cruiser Fotos: BMW/Divulgação

Duas novas motos foram lançadas mundialmente pela BMW. A R 12 Nine T, classificada como roadster, e a R 12, classificada como cruiser clássica, com escape de saída dupla. As duas motos estão equipadas com a motorização boxer da geração anterior com 1.170cm³, porém, com ajustes diferentes. Na BMW R 12 Nine T entrega 109cv, e na BMW R 12, 95cv. A caixa do filtro de ar é nova e fica sob o assento, mudando também o quadro.

As motos haviam sido mostradas nas comemorações dos 100 anos da marca. Entretanto, agora estão confirmadas para 2024. O curioso é que a moto R Nine T 1200 já esteve na linha BMW no Brasil, lançada em 2014, justamente em comemoração aos 90 anos da marca. A sucessora, BMW R 12 Nine T, lançada agora, também poderá desembarcar aqui, juntamente com a irmã R 12.

Yamaha

A exemplo do que faz com a Copa R3 e R15 de Motovelocidade (R3 e R15 bLU cRU Latin America) para formação de jovens pilotos do asfalto, a Yamaha lançou um programa semelhante para os pilotos iniciantes no motocross entre 11 e 16 anos, e mulheres de até 17 anos do Brasil e demais países da América Latina. O YZ 125 bLU cRU Cup. A nova categoria terá início em 2024 com a chancela da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), e da FIM Latin America, Federação Internacional de Motociclismo Latino-Americana.

Yamaha curso novos pilotos de motocross com a Copa YZ 125 homem dando bandeirada e moto pulando
Yamaha oferece curso para novos pilotos de motocross participarem da Copa YZ 125 Foto: Yamaha/Divulgação

Os jovens pilotos terão a moto YZ 125 pronta para a corrida, incluindo pneus, combustível, suporte mecânico, equipamento de segurança e estrutura de box. O campeão da temporada de 2024 participará da Superfinale YZ 125 bLU cRU MXGP das Nações de Motocross (desde que tenha a idade exigida) e participará do time oficial Yamaha na categoria MX2Jr na disputa do Campeonato Brasileiro de Motocross, temporada 2025.

Honda

O modelo Honda NC 700X foi lançado no Brasil em 2012. Em 2015, a moto passou por modernização, ganhando motor de 750cm³ e outros aperfeiçoamentos. Em 2022, o modelo NC (New Concept) 750X passou por outra reforma, ganhando a versão com o câmbio de dupla embreagem Dual Clutch Transmission (DCT ). A partir deste mês, a fábrica da Honda de Manaus passará a produzir também o câmbio automatizado.

O Brasil é o único país que produz este câmbio de dupla embreagem fora do Japão. A NC 750X tem também a versão de câmbio convencional (manual) e outra característica incomum. O motor de dois cilindros em linha com 58,6cv de potência fica inclinado para frente em 62 graus, abrindo espaço para um porta-objetos no lugar do falso tanque, com capacidade para um capacete fechado. Igualmente tem três modos de pilotagem e iluminação em LED.

Honda NC 750X vermelha e prata com câmbio DCT em movimento de frente no asfalto
Honda NC 750X Foto: Honda/Divulgação

Antecipa

A Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) lançou a ferramenta de consulta Antecipa, Tráfego Inteligente. Um mapeamento dinâmico de áreas de alto risco em municípios e rodovias que utilizam a tecnologia. Desenvolvido em parceria entre o Senatran, Ambev e Falconi, com base no Registro Nacional de Sinistros e Estatísticas de Trânsito (Renaest), oferece uma previsão de locais e horários mais suscetíveis a acidentes.

A inteligência artificial e algoritmos com o cruzamento de dados locais e regionais aumenta ainda mais a precisão. O programa oferece mapas com índices de baixos e altos riscos, possibilitando a escolha do melhor roteiro para deslocamento. Por enquanto, o uso é dos gestores de trânsito e os testes estão sendo feitos nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte e na BR-230, região de João Pessoa (PB).

Norton

A marca inglesa Norton, fundada em 1898, em Birmingham, por James Norton, passou por muitos altos e baixos. Também investiu nas competições e, nos anos 1960, apresentou o modelo Norton Commando com muita performance e grande sucesso comercial. A moto se tornou um ícone mundial, inclusive de colecionadores. Porém, a partir dos anos 1970, com a entrada das motos japonesas, afundou em declínio, até fechar nos anos 1980.

Norton Commando 961 Energette e o modelo original de 1902 comemoração 125 anos da marca
Norton Commando 961 Energette e o modelo original de 1902, em comemoração 125 anos da marca Foto: Norton/Divulgação

No final dos anos 1990, fãs da marca, especializados em reconstruir as Norton Commando, passaram a produzir novas motos. O complexo fabril foi para Donington Park, revivendo a paixão pelas Norton. Para comemorar os 125 anos, a marca lançou seis modelos especiais com 125 unidades cada, de modelos clássicos de sua história. Entre eles, a Commando 961 LE Energette, em homenagem à Energette de 1902, com motor de 142cm³ (a primeira) e a mesma cor amarela original. A Commando 961 tem suspensões Ohlins, freios Brembo, guidão alto e nenhuma eletrônica no motor de dois cilindros em linha de 961cm³ e 77cv.

SWM

A marca italiana nascida em 1971, na cidade de Biandronno, Lombardia (perto do Milão) pelos fundadores Fausto Vergani e Piero Sironi, era especializada em motos fora de estrada com tecnologia Husqvarna de gerações passadas. O nome é a fusão de Sironi, Vergani, Vimercato (formando o duplo V ou W), além de Milano. Em 2015, foi vendida para a chinesa Shineray, fundada em 1997, que por sua vez significa Raio de Sol (Shine-Ray).

A Shineray está estabelecida no Brasil desde 2006, no complexo industrial de Suape, Pernambuco. É a única fabricante em escala fora de Manaus, especializada em motos de baixa cilindrada. Entretanto, a Shineray anunciou que vai explorar segmentos de maior cilindrada e produzir no Brasil o modelo SWM Gran Milano 500, lançado exatamente no Salão de Milão deste ano.

SWM Gran Milano 500 verde de lateral estática no estande será produzida no Brasil pela Shineray
SWM Gran Milano 500 será produzida no Brasil pela Shineray Foto: Shineray/Divulgação

A moto será testada e homologada em 2024 e deve chegar ao mercado em 2005. A SWM Gran Milano 500 tem motor de dois cilindros paralelos, 494cm³, arrefecimento líquido que entrega 47,6cv. As suspensões são Kayaba, invertida na dianteira com 41mm, e mono na traseira, Ambas ajustáveis, Os freios são ABS, com duplo disco de 296mm na dianteira, com pinças radiais de quatro pistões, J.Juan, subsidiária da Brembo.

Confira os vídeos do VRUM nos canais do YouTube e Dailymotion: lançamentos, testes e dicas