Tá quase!

Polo Track chega em 2023; como será o modelo de entrada da Volkswagen?

Polo Track substitui o Volkswagen Gol como o modelo de entrada da marca no Brasil. Confira o que esperar do veículo que chega em 2023

Teaser com a dianteira do Volkswagen Polo Track.
O Polo Track será o primeiro produto a ser lançado da nova família de compactos da Volkswagen Volkswagen/Divulgação

O Volkswagen Polo Track está cada vez mais próximo. A marca alemã anunciou que a atualização da fábrica de Taubaté (SP) já foi 90% concluída. É lá que o novo modelo de entrada da Volkswagen será produzido, substituindo o Gol, dando origem a uma família de veículos compactos do segmento de entrada.

O Polo Track é o primeiro produto a se materializar a partir do pacote de investimento de R$ 7 bilhões na América Latina até 2026. E a planta de Taubaté está sendo preparada para produzir veículos com a plataforma modular MQB, usada em modelos como o Polo (e o futuro Polo Track), Virtus, Nivus e T-Cross.

O uso da plataforma MQB no Polo Track é um marco importante. Ele significa que o modelo mais barato da Volkswagen terá uma arquitetura mais segura e moderna. Como se trata de um modelo de entrada, não se espera muita tecnologia embarcada.

Polo Track vai perder itens de segurança?

Mas, a marca deve manter o padrão de segurança atual do Polo. Assim, a Volkswagen não deve retirar os airbags laterais que equipam a versão de entrada. Os controles de tração e estabilidade também devem ser mantidos, já que em breve vão se tornar itens obrigatórios.

Quanto ao conteúdo, também não se sabe o que a marca vai retirar do modelo atual para deixar o Polo Track com um preço mais atraente. Direção elétrica e ar-condicionado serão mantidos, já que viraram itens básicos no mercado brasileiro.

Também, não há muito o que tirar do Polo de entrada. Talvez os vidros elétricos sejam apenas para as janelas dianteiras, e se perca o assistente de partida em rampa e o som, além de outra simplificações menos aparentes.

Versão de entrada não significa preço acessível

O visual do Polo Track não muda muito. O modelo basicamente ganha um novo para-choque. As maçanetas e os retrovisores serão em plástico sem pintura. O motor será o mesmo 1.0 flex, de três cilindros, com potências de 75cv (com gasolina) e 84cv (com etanol) e torques de 9,6kgfm (g) e 10,4kgfm (e). O câmbio é manual de cinco marchas.

Não é bom alimentar a ideia de que o Polo Track será bem mais barato que o Polo atual. Hoje, o Gol 1.0 MPI (versão única) custa R$ 75.490, enquanto o Polo 1.0 MPI é vendido por R$ 78.550. A diferença entre os dois modelos é de apenas R$ 3 mil, e, a despeito da imensa superioridade em vendas do Gol, não há sombra de dúvida que o Polo seja uma compra melhor.

Curte o mundo automotivo? Então, confira o canal do VRUM no Youtube

Enfim, nada indica que o Polo Track seja um carro realmente barato. Com sorte ele irá manter o preço atual da versão de entrada, enquanto o Polo reestilizado fique mais caro. Por esse motivo, talvez nem seja vantagem esperar por ele. Portanto, se o Polo estiver no seu “radar” de compra, considere pegá-lo agora mais “completinho”.