Testamos o Toyota Corolla Altis Premium Hybrid, o primeiro híbrido flex

Toyota Corolla ganha visual mais moderno e passa a ser o primeiro híbrido do mundo a combinar motores flex e elétricos, com desempenho razoável e consumo baixo

Testamos o Toyota Corolla Altis Premium Hybrid, o primeiro híbrido flex Toyota Corolla ganha visual mais moderno e passa a ser o primeiro híbrido do mundo a combinar motores flex e elétricos, com desempenho razoável e consumo baixo
Avaliação:

Se você é daqueles que ainda enxerga o Toyota Corolla como carro de “tiozão”, chegou a hora de rever seus conceitos. O modelo que, realmente, manteve por décadas uma imagem de carro conservador, finalmente passou por transformação significativa. Ganhou visual bem mais moderno, além de acabamento mais refinado e uma lista de equipamentos mais recheada. Testamos a versão topo de linha com conjunto propulsor híbrido, o mesmo usado no Prius, porém com a vantagem de contar com motor a combustão flex. O desempenho não é ruim, mas não é o ponto forte do sedã, que agrada pelo baixo consumo de combustível.

O Toyota Corolla chega à sua 12ª geração no mercado brasileiro em grande estilo. Produzido na fábrica de Indaiatuba, no interior paulista, desde 1998, o sedã médio passa a ser construído sobre a plataforma GA-C TNGA, que traz reforços estruturais e possibilidade de aplicação de novas tecnologias. Mas as mudanças são perceptíveis a partir do novo visual do sedã, que sempre teve linhas conservadoras, responsáveis pelo pejorativo apelido de “carro de tiozão”.

Com estilo bem mais ousado, o novo Corolla ganhou frente impactante, com detalhes em forma de C nas extremidades do para-choque

VISUAL Mas agora a história é outra. A nova geração do Corolla ganhou uma frente mais impactante, com a parte superior da grade bem estreita, composta por frisos cromados que sugerem asas abertas, que seguem até os faróis de LED. A luz diurna e os faróis de neblina também são de LED. A parte inferior da grade é no mais autêntico estilo bocão, mas traz elementos em C nas extremidades, servindo de moldura para os faróis de neblina. O para-choque dianteiro tem uma discreta saia e é bem baixo, raspando facilmente em saídas de rampas.

A grade superior é mais estreita, com um friso que lembra asas abertas. Já a inferior é no mais autêntico estilo bocão

A versão híbrida é identificada pelo contorno azul na logo da marca e pela inscrição Hybrid nas laterais. A traseira mantém o estilo mais clássico, com lanternas horizontalizadas com LED. As rodas de liga leve de 10 raios e 17 polegadas são calçadas com pneus na medida 225/45, perfil mais baixo, pouco apropriado para nossas ruas cheias de buracos. Para auxiliar nas manobras, o sedã conta com câmera de ré com linhas direcionais, mas não tem os sensores de estacionamento, nem na frente, nem atrás.

Com distância entre-eixos de 2,70 e 4,63m de comprimento, o sedã médio tem bom espaço interno

O novo Toyota Corolla teve pequenas alterações nas dimensões e manteve o volume do porta-malas, de 470 litros de capacidade. É volume de compartimento de bagagem de sedã compacto, mas atende. A tampa do porta-malas tem alças do tipo pescoço de ganso, que rouba espaço, e falta revestimento na parte superior do compartimento.

ESPAÇO O espaço interno é bom, com bancos dianteiros confortáveis e anatomicamente corretos, pois têm assentos que apoiam bem as pernas e abas laterais no encosto. O banco do motorista conta com ajustes elétricos, mas não tem memória e nem regulagem lombar. O banco traseiro tem o acesso prejudicado pelo teto mais baixo, exigindo cuidado por parte de pessoas mais altas. Ali o conforto é limitado para duas pessoas, já que no meio o apoio de braço embutido no encosto atrapalha. O túnel central no assoalho é baixo, mas três pessoas ali ficam apertadas. O sedã tem todos os itens de segurança no banco traseiro, mas os apoios de cabeça laterais são fixos. Só o do meio é regulável. E quem senta atrás não conta com saídas do ar-condicionado e nem entrada USB. Existe uma dentro do pequeno compartimento no apoio de braço dianteiro, mas para recarga de baterias.

A traseira tem linhas mais clássicas, com lanternas horizontalizadas em LED e friso cromado

O acabamento do Corolla melhorou muito. A versão Altis Premium traz couro nas cores cinza escuro e bege no revestimento dos bancos e em detalhes dos painéis de portas. O painel principal é coberto por material emborrachado que imita couro, trazendo até uma costura, além de detalhes cromados, e conta com instrumentos analógicos e digitais, com o computador de bordo ao centro e diferentes configurações. Com os comandos todos à mão, o motorista consegue ativar ou desativar o sistema de manutenção de faixa e o alerta de colisão com frenagem de emergência.

O computador de bordo mostra os números de consumo e a melhor performance do motorista em cada trecho de condução. No console, a tecla Drive Mode tem as opções dos modos Eco, para privilegiar o baixo consumo de combustível, e PWR, que foca no desempenho e mantém o motor a combustão em evidência. Em outra tecla no console, a EV, o sistema prioriza o motor elétrico, condição ideal para o trânsito urbano em baixas velocidades. Mas se o motorista pisa mais fundo no acelerador, o motor flex assume o comando.

O acabamento interno é de boa qualidade e a central multimídia traz todas as informações necessárias

O modelo traz ainda o controle de estabilidade, que pode ser desativado. O volante, revestido em couro, conta com ajustes de altura e distância, além de trazer comandos para o sistema de som, controlador de velocidade, modos de condução e acesso ao celular.

O conjunto mecânico do Corolla híbrido conta combina um motor 1.8 flex 16V, de ciclo Atkinson, com dois elétricos instalados junto à transmissão. A potência combinada é de 123cv. A bateria que alimenta esses motores elétricos é de níquel-hidreto metálico, e fica instalada embaixo do banco traseiro, contribuindo para a redução do centro de gravidade. A transmissão Hybrid Transaxle é do tipo CVT, que permite redução ou progressão continuamente, de acordo com a pisada no acelerador. Para completar o sistema híbrido do Corolla, que não é plug-in, os freios são do tipo regenerativo, acumulando a energia cinética gerada pelas frenagens, que é transformada em energia elétrica, alimentando a bateria. Com isso, é possível aumentar a autonomia e reduzir o consumo de combustível.

Banco traseiro proporciona conforto somente para quem vai nas extremidades

DIRIGINDO É bem interessante dirigir o Corolla híbrido. Basta apertar o botão start e prestar atenção no painel para entender que o carro já está pronto para sair. É que nessa condição o sistema aciona apenas o motor elétrico, que não emite qualquer ruído. E se for mantida uma aceleração suave, o sedã segue silenciosamente e o único barulho que se escuta é o da rodagem dos pneus. Mas na primeira exigência maior, como uma subida, que pede mais aceleração, o motor a combustão entra em ação. A “dança” entre os motores pode ser observada em um infográfico exibido na tela do sistema multimídia ou no painel em frente o motorista.

Quando está rodando apenas com o motor 1.8, o Corolla não tem um desempenho muito empolgante. Os 123cv não são suficientes para proporcionar uma performance mais entusiasmada. E o câmbio do tipo CVT contribui para isso, proporcionando uma evolução mais lenta nas acelerações. Ele tem a posição B, que mantém em “marcha” mais reduzida, para situações de subidas íngremes. No nosso percurso de teste misto (cidade e estrada) o computador de bordo registrou consumo de 14km/l com gasolina.

Com 470 litros de capacidade, o porta-malas peca por não ser todo revestido

As suspensões do Corolla Hybrid tem ajuste mais firme, mas consegue equilíbrio entre conforto e estabilidade. A direção tem cargas bem definidas e bom diâmetro de giro, facilitando em manobras e garantindo segurança em velocidades mais altas. Os freios atuaram de forma eficiente. Atualmente, o Corolla Hybrid tem como principais concorrentes o seu “irmão” mais velho Prius (R$ 128.530), que não tem motor flex, e o Ford Fusion (R$ 182.990), que tem vendido cada vez menos. Com isso, o Corolla Hybrid deve surfar tranquilo no segmento, até surgir concorrência mais direta.

 

CONCORRENTE O Ford Fusion Hybrid, sedã de segmento superior, combina um motor 2.0 a gasolina com outro elétrico, que resultam em potência combinada de 190cv e torques de 17,8kgfm/24,5kgfm. Com esse conjunto, o Fusion acelera até 100km/h em 9,3 segundos, com máxima de 180km/h. O consumo, de acordo com o Inmetro, é de 16,6km/l na cidade e 15,1km/l na estrada. O sedã da Ford pesa 1.670 quilos e tem 4,87m de comprimento, 1,85m de largura, 1,48m de altura e 2,85m de distância entre-eixos. O porta-malas tem 392 litros de capacidade.

O motor 1.8 16V fornece 101cv e 14,5kgfm de torque quando abastecido com etanol

CONECTIVIDADE O Corolla Altis Premium traz de série sistema de áudio e central multimídia Toyota Play com tela tátil de oito polegadas, rádio AM/FM, função MP3, entrada USB, Bluetooth, conexão para smartphones e tablets com Android Auto, Apple CarPlay e SDL. O sistema traz teclas físicas para acesso a algumas funções, e na tela, além da imagem da câmera de ré com linhas direcionais, é possível ver o sistema híbrido em funcionamento. De acordo com a Toyota, o sistema de navegação “depende da disponibilidade de sinal da região e visão desobstruída do céu”. A montadora informa ainda que a recepção do sinal pode ser interrompida por películas protetoras nos vidros, telefones móveis ou dispositivos eletrônicos, rastreadores próximos ao GPS, árvores de grande porte, edifícios ou fiação elétrica. Se o cartão de memória SD Card não estiver inserido, o mapa do GPS não é exibido no sistema multimídia.

As rodas são de liga leve de 17 polegadas, calçadas com pneus na medida 225/45 R17

 

FICHA TÉCNICA

MOTOR/HÍBRIDO (*)
Combustão interna: dianteiro, transversal, flex, quatro cilindros em linha, 1.798cm³ de cilindrada, com potências máximas de 98cv (gasolina) e 101cv (etanol) a 5.200rpm e torque máximo de 14,5kgfm a 3.600rpm. Dois motores elétricos: potência máxima de 72cv e torque máximo de 16,6kgfm. Potência combinada de 123cv

TRANSMISSÃO (*)
Tração dianteira e câmbio automático CVT

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS (*)
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira independente, do tipo duplo A e barra estabilizadora/liga leve, de 7×17 polegadas / 225/45 R17

DIREÇÃO (*)
Do tipo pinhão e cremalheira, eletroassistida progressiva (EPS)

FREIOS (*)
A discos ventilados nas rodas dianteiras e sólidos nas traseiras, com ABS e distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e sistema de assistência à frenagem (BAS)

CAPACIDADES (*)
Peso, 1.440 quilos; porta-malas, 470 litros; tanque, 43 litros; de carga (passageiros e bagagem), 400kg

DUIMENSÕES (*)
Comprimento, 4,63m; largura, 1,78m; altura, 1,45m; distância entre-eixos, 2,70m

PERFORMANCE (*)
Velocidade máxima de 180km/h e aceleração até 100km/h em 12 segundos

CONSUMO (**)
Na cidade: 16,3km/l(g)/10,9km/l(e)
Na estrada: 14,5km/l(g)/9,9km/l(e)

(*) Dados dos fabricantes
(**) Dados do Inmetro

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE Acabamento Black Piano na grade inferior dianteira e cromado na moldura superior dos vidros, retrovisores externos com indicadores de direção e regulagem elétrica, rodas de liga leve aro 17 polegadas com acabamento em preto brilhante, painel central em Black Piano, retrovisor interno com antiofuscamento eletrocrômico, assistente de pré-colisão (PCS) com alertas sonoro e visual, além de frenagem automática, sete airbags (dois de cortina, um de joelho para motorista, dois frontais e dois laterais), controle eletrônico de estabilidade (VSC), controle eletrônico de tração (TRC), assistente de subida em rampa (HAC), sistema de alerta de mudança de faixa (LDA), controle de velocidade de cruzeiro adaptativo (ACC), sistema de alarme volumétrico e perimétrico, acendimento automático de faróis e lanternas em LED e luzes diurnas (DRL) nas lanternas dianteiras, farol alto automático (AHB), computador de bordo com visor multifunção e tela TFT de sete polegadas digital e colorida, indicador de direção econômica no painel de instrumentos (Hybrid System), start button/push start, ar-condicionado, direção eletroassistida progressiva (EPS), vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico por um toque e função antiesmagamento, sistema de áudio central multimídia Toyota Play com tela sensível ao toque de oito polegadas, rádio AM/FM, função MP3, entrada USB, Bluetooth, conexão para smartphones e tablets com Android Auto, Apple CarPlay e SDL, freios ABS com BAS e EBD, câmera de ré com linhas de distância com projeção na central multimídia, sistema ISOFIX para fixação de cadeirinhas, sistema de destravamento das portas por sensores na chave (Smart Entry), faróis de neblina dianteiros em LED.

OPCIONAIS Ar-condicionado automático Dual Zone com sistema S-Flow, banco do motorista com regulagem elétrica para oito ajustes (altura, distância, inclinação ou altura com distância), espelhos retrovisores externos eletro-retráteis com regulagem elétrica e rebatimento automático ao fechar o veículo, teto solar elétrico, limpador do pára-brisa com sensor de chuva e faróis e lanternas traseiras em LED

NOTAS
Desempenho 8
Espaço interno 8
Porta-malas 9
Suspensão/direção 9
Conforto/ergonomia 9
Itens de série/opcionais 9
Segurança 9
Estilo 9
Consumo 8
Tecnologia 9
Acabamento 8
Custo/benefício 8

QUANTO CUSTA?
O Toyota Corolla Altis Hybrid tem preço sugerido de R$ 124.990. Já a versão testada, mais completa, a Altis Hybrid Premium, tem preço de R$ 130.990.