Peugeot 2008 1.6 THP voa baixo, sem exageros

SUV compacto tem toques de esportividade no visual e no conjunto mecânico, que conta com eficiente motor turbo. Mas é preciso pisar leve para não assustar

TESTE: Peugeot 2008 1.6 THP voa baixo, sem exageros SUV compacto da marca francesa, 2008 tem toques de esportividade no visual e no conjunto mecânico, que conta com eficiente motor turbo. Mas é preciso pisar leve para não assustar
Avaliação:

Não é nada fácil entrar em um segmento que tem modelos de peso, chancelados por marcas tradicionais. E esse foi o desafio que a Peugeot resolveu encarar ao colocar no mercado o 2008, um SUV compacto que está mais para crossover, já que não tem dimensões exageradas e o estilo sugere esportividade. Aliás, esta é a proposta desta versão Griffe THP, que sai de fábrica equipada com o versátil motor 1.6 16V turbo acoplado a um câmbio manual de seis marchas. O desempenho é tão bom que é preciso dosar a aceleração para a fera não pular. É um carro completo, mas, pelo preço, a Peugeot poderia ter se esmerado mais em alguns detalhes.

ESTILOSO Quando se fala em SUV, logo se imagina um carro de dimensões avantajadas, com formas robustas, típicas dos modelos habilitados a enfrentar dificuldades no fora de estrada. Mas, como boa parte das pessoas que compram esse tipo de carro trafegam mais no asfalto do que na terra, a Peugeot resolveu arriscar um visual mais descolado, com linhas aerodinâmicas, fugindo do convencional. Com os faróis espichados e o para-brisa bem inclinado, o 2008 chama a atenção pela modernidade. O teto panorâmico de vidro e as barras longitudinais dão um toque de sofisticação, e a linha de cintura elevada com a traseira mais robusta completam o conjunto de forma harmoniosa.

Apesar de o modelo produzido no Brasil ter a altura em relação ao solo um pouco superior ao 2008 feito na Europa (lá, são 16,5cm, e aqui, 20cm), ele não é dos mais altos do segmento. Mas tem bons ângulos de ataque e saída, o que facilita na hora de trafegar sobre pisos irregulares ou simplesmente transpor lombadas e saídas de rampas. As rodas de liga leve de 16 polegadas também têm desenho esportivo e os pneus de perfil 60 são mais adequados para a proposta do carro.

 

Assista ao vídeo do teste

POR DENTRO Como se trata de um SUV compacto, o Peugeot 2008 não faz mágica. Tem espaço interno ideal para quatro pessoas, com relativo conforto, e o porta-malas não é dos maiores. O banco traseiro conta até com cintos retráteis e apoios de cabeça para três pessoas, mas ali se acomodam melhor duas. Na frente, o motorista conta com ajuste de altura no banco e no volante, que também pode ser regulado em distância. Mas, como o volante é pequeno, se você subi-lo demais para chegar à posição ideal, corre o risco de cobrir os instrumentos do painel, que tem elementos digitais e analógicos. Fora isso, a posição de dirigir é boa e os comandos estão todos bem posicionados.

 

O interior tem alguns detalhes interessantes, como a alavanca do freio de estacionamento, que lembra um manche de aviação. No painel, uma central multimídia com tela de sete polegadas disponibiliza as informações sobre o carro, GPS, Bluetooth e do sistema de áudio. Tudo muito fácil de operar. No console, o motorista tem à disposição o Grip Control, que é um controle eletrônico de tração que ajusta o veículo para encarar diferentes tipos de terreno, como barro, areia, neve e asfalto. Basta girar o seletor. O acabamento interno do 2008 é benfeito, com boa qualidade nos encaixes das peças. Mas, pelo preço dessa versão, merecia materiais mais nobres no painel e menos plástico duro, para combinar com os bancos revestidos em tecido e couro.

 

DIRIGINDO Mas o grande barato do Peugeot 2008 está mesmo sob o capô. Trata-se do eficiente motor 1.6 16V THP, usado em outros modelos da marca e também da Citroën. Ele se encaixa bem em qualquer proposta e, como já era esperado, caiu como luva neste SUV compacto. Com 173cv quando alimentado com etanol, ele proporciona um desempenho empolgante. Tanto que é preciso dosar as acelerações nas arrancadas, pois, do contrário, o carro levanta a dianteira e puxa para o lado, como se fosse uma fera atacando. O câmbio manual não tem engates dos mais precisos e o curso da alavanca é um pouco longo, mas as relações das seis marchas foram muito bem definidas, permitindo o melhor aproveitamento da força do motor.

O carro anda muito, é gostoso de dirigir e responde rápido também nas retomadas de velocidade. E o consumo é bem satisfatório, levando-se em conta o desempenho proporcionado. Ele merecia um câmbio automatizado de dupla embreagem, mas, por enquanto, a Peugeot só disponibiliza a transmissão automática de quatro marchas para as outras versões equipadas com o motor 1.6 aspirado. No THP, só a manual. Além disso, o 2008 tem as suspensões bem calibradas, garantindo o equilíbrio entre conforto e boa estabilidade. A direção tem assistência variável, que garante facilidade em manobras e segurança em velocidades mais elevadas. Ele traz ainda o Hill Assist, que segura o carro nas arrancadas em subidas. E o sistema de freios atuou de forma precisa.

 

NA BALANÇA Trata-se de uma proposta diferente para quem quer ter um SUV na garagem de casa. Ele pode não fazer estripulias no fora de estrada, mas vai bem em pisos irregulares menos radicais e tem total desenvoltura no asfalto e trânsito urbano. É um modelo que se impõe pelo visual e que convence pelo desempenho que proporciona. Tem um pacote de itens de série bem recheado, com ênfase para a segurança, mas o preço é um pouco salgado. Mais ou menos igual aos da concorrência.

 

FICHA TÉCNICA

MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, turbo, de 1.589cm³ de cilindrada, com potências máximas de 165cv (gasolina)/173cv (etanol) a 6.000rpm e torque máximo de 24,5kgfm (g/e) a 1.750rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio manual de seis marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira pseudo-McPherson, independente, com barra estabilizadora; e traseira com travessa deformável e barra estabilizadora/liga leve, de 16 polegadas/ 205/60 R16

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica variável

FREIOS
Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS

CAPACIDADES
Peso, 1.231 quilos; tanque, 55 litros; de carga (passageiros e bagagem), 400kg

EQUIPAMENTOS DE SÉRIE
Rodas de liga leve, lanternas traseiras com LEDs, barras no teto, aerofólio, pedaleiras esportivas, seis airbags (frontais, laterais e de cortina), freios ABS com REF (distribuição eletrônica de frenagem), controle eletrônico de estabilidade (ESP), faróis com luz diurna, com LED, faróis de neblina, acendimento automático das luzes de emergência após frenagem brusca, sensores crepuscular e de chuva, Grip Control (controle de tração), sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, regulador e limitador de velocidade, ar-condicionado automático digital, teto solar panorâmico, bancos esportivos revestidos com couro e tecido, volante revestido em couro, direção elétrica com assistência variável, volante com regulagem de distância e altura, banco do motorista com regulagem de altura, auxílio de partida em subida (Hill Assist), porta-luvas refrigerado, central multimídia touchscreen, GPS, rádio com MP3 player, Bluetooth,

OPCIONAIS
Não tem

 

NOTAS (0 A 10)
Desempenho 10
Espaço interno 7
Porta-malas 7
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 10
Segurança 9
Estilo 9
Consumo 8
Tecnologia 9
Acabamento 8
Custo/benefício 7

QUANTO CUSTA
O Peugeot 2008 é vendido na versão de entrada, Allure 1.6, com câmbio manual, por R$ 67.190, e na Griffe 1.6 automática, por R$ 71.290. Já a versão testada, Griffe 1.6 16V THP flex, tem preço de R$ 79.590.

PEUGEOT 2008 x CONCORRENTES

Peugeot 2008 1.6 THP Honda HR-V LX 1.8 Jeep Renegade Sport 1.8
Potência (cv) 165(g)/173(e) 140(g)/139(e) 130(g)/132(e)
Torque (kgfm) 24,5(g/e) 17,3(g)/17,4(e) 18,6(g)/19,1(e)
Dimensões (A x B x C) (m) (*) 4,15×1,73×1,58 4,30×1,77×1,59 4,23×1,80×1,67
(DxE) (m) (*) 2,54×0,20 2,61×0,177 2,57×0,177
Ângulos de ataque/saída 22°/29° ND 20,4/29,4
Peso (kg) 1.231 1.265 1.393
Porta-malas (litros) (**) 355/355(***) 437/NA 260/NA
Velocidade máxima (km/h) (**) 206 (g)/209 (e) ND/180(e) 180(g)/182(e)
Aceleração até 100 km/h (s) (**) 8,3 (g)/8,1 (e) ND/10,6(e) 10,8(g)/10,2(e)
Consumo cidade (km/l) (****) 10,7 (g)/7,1 (e) 10(g)/6,7(e) 9,6(g)/6,7(e)
Consumo estrada (km/l) (****) 12,4 (g)/8,5 (e) 12,5(g)/8,6(e) 10,7(g)/7,4(e)
Preço R$ 79.590 R$ 71.900 R$ 69.900

(*) A: comprimento; B: largura; C: altura; D: entre-eixos; E; altura do solo
(**) Dados dos fabricantes
(***) Medição do caderno Vrum
(****) Medição do Inmetro
NA: Não aferido
ND: Não disponível

AVALIAÇÃO TÉCNICA

Acabamento da carroceria
Pintura contém vários pontos com impurezas. As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. O capô e a tampa traseira têm montagem razoável. REGULAR

Vão do motor
O capô é sustentado aberto por vareta manual e o ângulo de abertura é bom. O resultado da insonorização em relação ao habitáculo é satisfatório. O vão tem área pequena e o motor o preenche bem, limitando bastante o acesso a manutenção de vários componentes. Itens de verificação constante têm fácil visualização e manuseio. REGULAR

Altura do solo
Com 400kg de carga útil, não foram reveladas interferências significativas com o solo. Por prevenção, tem chapa de aço vazado englobando toda a zona inferior do motopropulsor. REGULAR

Climatização
É automático digital e tem a opção de ajuste da temperatura individual para condutor e passageiro. Não tem difusor de ar específico para os passageiros de trás e no painel são quatro que têm vazão e angulação satisfatórias. A caixa de ar tem oito velocidades e são cinco as opções de direcionamento do fluxo. Apresentou bom funcionamento em geral, mas tem perda na estabilização da temperatura, principalmente nas cabeças de todos os ocupantes, com o sol alto, devido ao recobrimento tipo cortina clara. REGULAR

Freios
Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso misto e está equipado com o sistema Hill Holder. As reações foram balanceadas nos dois eixos e o ABS atuou com eficiência. Com o veículo em velocidade elevada, apresentou desaceleração satisfatória e sem alteração da trajetória, inclusive em frenagem de emergência. O freio de estacionamento atuou normalmente. POSITIVO

Câmbio
As relações de diferencial e marchas atendem bem na dirigibilidade no uso urbano e em rodovias, independentemente do peso a bordo. Em 6ª marcha, a 110km/h, o motor gira a 2.400rpm. POSITIVO

Motor
Apresentou funcionamento com baixo ruído e boa elasticidade. As retomadas de velocidade são bem dinâmicas e progressivas, com destaque quando em 4ª, 5ª e 6ª marchas, pela ótima resposta. A aceleração é brilhante e rápida, favorecido por estar acoplado a um câmbio manual. POSITIVO

Vedação
Boa contra água e poeira. POSITIVO

Nível interno de ruídos
O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. Ao trafegar sobre pisos irregulares, surgem vários ruídos no habitáculo. NEGATIVO

Suspensão
A estabilidade agrada bem pelo handling proporcionado. Contorna curvas de baixa, média e alta com boa precisão e manutenção da velocidade, além de inclinação moderada da carroceria. No limite da aderência lateral, entra em ação o controle eletrônico de estabilidade. O conforto de marcha é satisfatório, passando a razoável quando o veículo está carregado e com a pressão dos pneus para essa condição. POSITIVO

Direção
O Grip Control, que auxilia na antipatinagem, tem opções de escolha em função do tipo de piso (neve, areia, lama, off-road e normal), acionado por meio de botão giratório instalado no console central. O diâmetro de giro e a velocidade do efeito retorno são bons. A precisão na reta e em curvas é boa. A coluna de direção tem ajuste de altura e distância, mas, ao optar por colocá-la toda para cima (o que é comum para o condutor de estatura média/alta), o aro do volante, que tem o diâmetro externo pequeno, encobre bastante e dificulta a leitura no quadro de instrumentos. A assistência é elétrica com cargas que priorizam o conforto e leveza no uso urbano/garagem, sendo mais firme em velocidade mais alta, com reações homogêneas. REGULAR

Iluminação
Tem sensor crepuscular. Os faróis têm duplo refletor e contam com os auxiliares de neblina, sendo bom o resultado em iluminação no baixo/alto. Não tem regulagem elétrica de altura em função da carga transportada, mas é fácil a alteração do facho por meio de chaveta acoplada atrás do corpo dos faróis. Tem luz de cortesia somente no porta-luvas e porta-malas. No teto, tem somente uma pequena lanterna junto ao retrovisor, com resultado discreto em iluminação em função da área do habitáculo, em locais escuros, onde o amplo teto de cristal não auxilia. REGULAR

Estepe/macaco
O estepe está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. A roda é em aço e o pneu (185/60R15), diferente dos de uso (205/60R16). A operação de troca é normal. Ao ter que utilizar o estepe, numa viagem, no eixo dianteiro, principalmente, ocorrerá alteração no comportamento dinâmico do automóvel. REGULAR

Limpador de para-brisa
As palhetas apresentaram boa qualidade, mas a área varrida do lado do condutor deixa grande faixa junto à coluna A sem limpar, diminuindo o campo de visão. Tem sensor de chuva e os esguichos do tipo spray em V são eficientes. O sistema de limpeza no vidro traseiro é satisfatório. REGULAR

Alarme
A chave de ignição é do tipo canivete e codificada. Somente o vidro da porta do condutor tem função um toque para descer/subir, além de sistema antiesmagamento. Tem proteção perimétrica das partes móveis e a volumétrica dentro do habitáculo. Ao dar comando, por meio de controle remoto inserido na chave de ignição para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente. REGULAR

Volume do porta-malas
O declarado é 355 litros, o mesmo encontrado na nossa medição.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan
www.danieltecnodan.com.br