Fiat Pulse: confira o desempenho do novo motor 1.0 turbo com até 130cv

Vendida por R$ 124 mil, versão de topo Impetus até oferece bom conteúdo, porém, faltam outros atributos para concorrer no segmento. Confira nosso teste

Fiat Pulse: confira o desempenho do novo motor 1.0 turbo com até 130cv Vendida por R$ 124 mil, versão de topo Impetus até oferece bom conteúdo, porém, faltam outros atributos para concorrer no segmento. Confira nosso teste
NOTA DO VRUM:
Nota VRUM

Demorou, mas a Fiat agora tem em sua linha um veículo que classificou como o seu primeiro SUV compacto. Porém, basta chegar perto do novo Pulse para ver que está longe de ser um utilitário-esportivo ou mesmo um crossover, e, sim, um hatchback altinho. Lançado a partir de R$ 80 mil, o modelo chamou a atenção por ser bem equipado de série. A lua de mel durou pouco, e, hoje, o estreante já tem preço inicial de R$ 88 mil.

Se esta versão de entrada perdeu atratividade, imagine o pacote de topo Impetus testado, que custa R$ 123.490 e também precisa rivalizar com SUVs de verdade? Com o compromisso de precisar se parecer com um utilitário-esportivo, o Pulse tem o porte genérico desse sub-segmento: dianteira alta, capô vincado e caixas de rodas com molduras para encorpar o compacto. Apesar do imenso spoiler tentar disfarçar, a traseira é de hatch compacto mesmo. Não é feio, mas falta personalidade. O vidro traseiro é pequeno, muito baixo, o que compromete a visibilidade.

Um dos destaques dessa versão são detalhes diferenciados, como pintura bicolor. O Impetus é o único pacote a trazer o teto em preto ou cinza combinados com a carroceria com nove opções de cores. Nessa versão de topo, os adereços são os mais caprichados possível, com rodas de 17 polegadas, faróis de neblina e alguns elementos cromados. Os faróis em LED estão disponíveis desde a versão de entrada. Valia ter um teto solar!

PLATAFORMA O Pulse usa a plataforma MLA, derivada do Argo, que deixa no ar sua performance em testes de colisão. É diferente do que o ocorre com a Volkswagen, que usa em sua linha de veículos mais novos (do Polo para cima) a plataforma modular MQB, a mesma utilizada na Europa. Não por acaso, essa linha da Volkswagen – Polo, Virtus e T-Cross – tem nota máxima de segurança no Latin NCAP, enquanto o Argo e o Cronos obtiveram a nota mínima.

DENTRO O painel dessa versão de entrada pode encher os olhos, já que conta com quadro de instrumentos digital de sete polegadas e sistema multimídia com tela de 10 polegadas. De forma geral, o acabamento e a montagem são bons, com uma ou outra mancada, mas a qualidade dos materiais poderia ser melhor. Existe um excesso de plástico, o que é comum entre os concorrentes, mas pesa mais nessa versão de R$ 124 mil. O couro reveste os bancos, volante e está presente também em pequenos apliques nos painéis de porta dianteiros. O console central é pequeno, mas já é uma evolução em relação ao Argo.

O Pulse tem apenas um centímetro a mais de distância entre-eixos que o Argo. Apesar disso, o espaço interno é bom para um compacto, mas às custas de algumas velhas malandragens, como os assentos curtos, que podem ser bem desconfortáveis em viagens longas. Por este motivo, o banco traseiro oferece bom espaço para as pernas. O porta-malas de 370 litros tem bom volume para um hatch compacto, mas é pequeno para um SUV. Mas, o próprio formato do porta-malas é típico de um hatch.

TURBO A Fiat escolheu o Pulse para fazer a estreia do seu motor 1.0 turbo, que é o mais potente do nosso mercado, com até 130cv de potência e 20,4kgfm de torque (usando etanol). O adversário que chega mais próximo é o 1.0 turbo da Volkswagen, que entrega até 128cv e 20,4kgfm (também com etanol).

Com tecnologias como injeção direta de combustível, turbo de baixa inércia e comando variável das válvulas de admissão, a Fiat solucionou o maior temor dos motores turbo, que é o chamado tubolag, aquele atraso na resposta do motor quando você acelera. Assim, o motor está sempre “cheio”, mesmo com rotações bastante baixas, pronto para enfrentar uma subida íngreme, fazer uma rápida retomada de velocidade ou uma ultrapassagem mais segura.

É surpreendente ver a performance do Pulse sabendo que o motor está atrelado a um câmbio automático tipo CVT, que antes era caracterizado por um comportamento monotonamente gradual, mas agora evoluiu e simula sete marchas geridas com agilidade. E, se o motorista quiser abreviar esse desempenho, existe uma opção esportiva no câmbio e até possibilidade de trocas manuais por aletas. Mas isso tudo tem um preço e o Pulse “paga” por seu bom desempenho com um consumo de combustível pouco mais elevado que os demais propulsores 1.0 turbo.

Na hora de transpôr um pequeno trecho de lama, o Pulse mostrou que não tem nenhuma habilidade para o fora de estrada. O sistema E-Locker, que transfere a força da roda sem aderência para a outra, em nada colaborou para desatolar o veículo. Isso prova que a boa altura em relação ao solo e os ângulos de entrada e saída servem mesmo para transpôs os obstáculos urbanos. Para se dar bem fora do asfalto é preciso ter um bom sistema de tração.

CONTEÚDO O destaque dessa versão de topo Impetus parece estar mesmo na parte visual e no interior com bancos revestidos em couro, quadro de instrumentos digital e a telinha de 10 polegadas do sistema multimídia. É que seus itens mais tecnológicos – como frenagem autônoma de emergência, alerta de mudança involuntária de faixa e comutação automática do farol alto – também estão disponíveis na versão de baixo, Audace, que custa R$ 11 mil a menos.

CONECTIVIDADE A unidade testada trazia como opcional o Fiat Connect Me, que é a conexão do carro à internet por meio de um chip de celular. O opcional custa R$ 2.700 e permite, por exemplo, controlar recursos do veículo por meio do smartphone, como ligar o ar-condicionado remotamente. O aplicativo também recebe notificações, como a velocidade do veículo ou se ele ultrapassou o perímetro estabelecido de rodagem, caso o carro seja conduzido por outra pessoa. Em casos de acidentes, a central telefônica da marca é informada, podendo até acionar o serviço de socorro. Com o Connect Me, a central fornece uma rede Wi-Fi para os passageiros se conectarem à internet.

CONCORRENTES O concorrente mais parecido com o Pulse é o Volkswagen Nivus, que em sua versão de topo Highline repete motor 1.0 turbo com câmbio automático, rodas de 17 polegadas, bancos revestidos em couro, multimídia conectado com tela de 10 polegadas, carregador sem fio para celular e faróis de neblina. Vendido por R$ 131.990, o modelo da Volkswagen oferece a mais ar-condicionado para o banco traseiro, airbag de cortina que protege os passageiros de trás, controle de cruzeiro adaptativo e sensor de pós-colisão. Em compensação, o modelo fica devendo para o Pulse comutação de farol alto, assistente de faixa de rodagem e navegação embarcada.


FICHA TÉCNICA

MOTOR
Dianteiro, transversal, três cilindros em linha, 12 válvulas, 999cm³ de cilindrada, flex, com injeção direta de combustível, turbo, que desenvolve potências máximas de 125cv (gasolina) e 130cv (etanol) a 5.750rpm e torque máximo de 20,4kgfm (g/e) a 1.750rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio automático tipo CVT que simula sete marchas e tem opção de trocas manuais

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, semi-independente, com eixo de torção/de liga leve de 6 x 17 polegadas/205/50 R17

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

FREIOS
Com discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS

CAPACIDADES
Do porta-malas,370 litros; do tanque de combustível, 47 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 400 quilos

DIMENSÕES
Comprimento, 4,09m; largura, 1,77m; altura, 1,57m; distância entre-eixos, 2,53m; altura livre do solo, 19,6cm

PESO
1.237 quilos

DESEMPENHO
Velocidade máxima de 189km/h (e)
Aceleração até 100km/h em 9,4 segundos (e)

CONSUMO (*)
Cidade: 12km/l (g) e 8,5km/l (e)
Estrada: 14,6km/l (g) e 10,2km/l (e)

Dados dos fabricantes
(*) Medição do Inmetro
(g): gasolina
(e): etanol

EQUIPAMENTOS

DE SÉRIE
Airbags frontais e laterais (tórax e cabeça); controle eletrônico de tração e estabilidade; Electronic Locker; frenagem autônoma de emergência; alerta de mudança involuntária de faixa; comutação automática de farol alto; câmera traseira; sensores de estacionamento dianteiros e traseiros; assistente de partida em rampa; sensor de pressão dos pneus; Isofix; sinalização de frenagem de emergência; retrovisor interno eletrocrômico; sensores de chuva e crepuscular; banco do motorista com regulagem de altura; bancos revestidos em couro; volante com regulagem de altura e distância; banco traseiro bipartido; retrovisores com rebatimento elétrico, regulagem elétrica e função Tilt Down; faróis, lanternas e luz diurna em LED; repetidores de seta laterais; faróis de neblina com função cornering; luz de cortesia nos retrovisores; teto bicolor; barras longitudinais no teto; ar-condicionado automático digital; console central; tapetes em carpete; quadro de instrumentos digital; piloto automático, computador de bordo; partida remota via chave canivete; chave presencial; central multimídia com tela tátil de 10,1 polegadas com navegação embarcada; carregador do celular por indução.

OPCIONAIS
Pintura metálica (R$ 2 mil), azul Amalfi com teto preto Vulcano; Pack Connect Me (R$ 2.700)

QUANTO CUSTA?
Testamos o Fiat Pulse na versão Impetus Turbo 200 AT, a topo de linha, que tem preço sugerido de R$ 123.490. Com os opcionais listados, a unidade testada custa R$ 128.190.