Internacional

Após fracasso inicial, Tesla relança carros com ‘piloto automático’

Equipamento é chamariz dos produtos da marca, mas já apresentou falhas e até causou acidentes

Publicidade
Foto: Mark Ralston/AFP
Empresa já teve vários problemas com o equipamento Placa de concessionária com o logotipo da Tesla em primeiro plano, com carro vermelho da marca visto de lado mais ao fundo

Alguns dos maiores chamarizes dos carros da Tesla são os sistemas de piloto automático. Na prática, os veículos podem se movimentar de maneira autônoma, sem qualquer intervenção do motorista. O equipamento, porém, apresentou falhas: ocorreram, inclusive, acidentes fatais. Uma das versões desse dispositivo acabou saindo do catálogo nos Estados Unidos, mas, agora, volta após um hiato de 3 anos.

De acordo com a Tesla, o Enhanced Autopilot (EAP) recebeu aprimoramentos, para evitar que as falhas do passado voltem a ocorrer. Nos Estados Unidos, já houve, por exemplo, uma ocorrência de um carro da marca que “confundiu” uma lua cheia no céu com uma luz amarela de semáforo.

Ainda é cedo para saber se o piloto automático da Tesla realmente ficou mais eficiente. Porém, os consumidores dos Estados Unidos já estão reclamando a respeito de um dos aspectos do sistema: o preço, que é de US$ 6.000, valor correspondente a cerca de R$ 31,5 mil. O equipamento é opcional em veículos novos, mas também ser instalado, via download, em alguns modelos já em uso.

Vale destacar que a Tesla oferece várias versões do piloto automático em diferentes países do mundo. O EAP é um sistema intermediário: a opção mais completa chama-se Full-Self Driving (FSD) e consegue conduzir o veículo de maneira totalmente autônoma em vias urbanas e pará-lo automaticamente em sinais de trânsito.

Tesla enfrenta problemas

A Tesla voltou a oferecer o piloto automático EAP na mesma semana em que o presidente da empresa, Elon Musk, reclamou de prejuízos. O executivo afirmou, em uma entrevista, que as fábricas da multinacional localizadas em Austin, nos Estados Unidos, e de Berlim, na Alemanha, estão “queimando dinheiro”.

De acordo com Musk, as duas unidades industriais acumulam prejuízos bilionários devido a problemas de fornecimento de autopeças. O maior gargalo é de baterias, que vêm da China.

Qual a sensação de dirigir um Tesla? A gente guiou e te conta: assista ao vídeo!