Tarados por carro: Jorge Filho revela sua paixão pelo Farus

Um clássico não nasce clássico. É só no fim da vida que um carro dá a pinta de que merece essa alcunha. Mas, até lá, detalhes da história podem ter se perdido no tempo. É por isso que a gente precisa de tarados por carros como o Jorge.

Um clássico não nasce clássico. É só no fim da vida que um carro dá a pinta de que merece essa alcunha. Mas, até lá, detalhes da história podem ter se perdido no tempo. É por isso que a gente precisa de tarados por carros como o Jorge.