Toyota fechará fábrica no ABC Paulista depois de 60 anos de produção

A montadora pretende transferir a operação industrial para outras unidades fabris em Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz, e estuda o que fará da fábrica fechada

Toyota fechará fábrica no ABC Paulista depois de 60 anos de produção A montadora pretende transferir a operação industrial para outras unidades fabris em Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz, e estuda o que fará da fábrica fechada

 

Mais uma montadora decide fechar uma fábrica no Brasil em meio aos efeitos da pandemia da COVID-19, que afetou a produção de veículos por falta de componentes. Depois de Mercedes-Benz, Ford e Troller, agora foi a vez da Toyota anunciar o fechamento da unidade fabril de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, a primeira da marca fora do Japão, onde durante anos foi produzido o lendário jipe Bandeirante.

O anúncio foi feito pela Toyota do Brasil depois de reunião com o Sindicato dos Metalúrgicos. Na ocasião, a empresa reiterou sua decisão de transferir a operação industrial de São Bernardo do Campo para as cidades onde já atua – Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz – no interior de São Paulo. De acordo com a montadora, a ideia é “buscar mais sinergia entre suas unidades produtivas, com vistas a aumentar sua competitividade frente aos desafios do mercado brasileiro e da sustentabilidade de seus negócios no país”.

O presidente da Toyota do Brasil, Rafael Chang, garantiu que serão mantidos 100% dos empregos dos colaboradores que atualmente trabalham na fábrica do ABC Paulista. A empresa informou que dará suporte à mudança dos colaboradores, além de outros benefícios.

A diretoria da montadora se reuniu com o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, e se comprometeu a discutir alternativas para o uso do espaço onde está localizada a unidade fabril da empresa. Ficou acertado que será criada uma comissão para ampliar o debate e buscar soluções. “Respeitamos a história de São Bernardo do Campo e queremos contribuir para que a cidade encontre novos caminhos para gerar negócios e empregos”, afirmou Rafael Chang.

Atualmente, a fábrica de São Bernardo do Campo está focada na produção de componentes para modelos feitos no Brasil, Argentina e Estados Unidos. A Toyota informou que a unidade será desativada gradadivamente durante este ano, e garantiu que os 550 colaboradores não serão demitidos.

A história da fábrica da Toyota em São Bernardo do Campo começou em 1962, e trazia a responsabilidade de ser a primeira unidade fabril da marca instalada fora do Japão. Durante quase 40 anos, o Toyota Bandeirante foi produzido ali, deixando a linha de montagem com mais de 100 mil unidades vendidas em 2001.