Kasinski CRZ 150 - Do céu ao inferno

Consumidor compra motocicleta Kasinski zero quilômetro atraído pelo preço, mas série de problemas ocorridos com baixa quilometragem faz marca trocar o produto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 08/06/2011 16:18 Bruno Freitas /Estado de Minas

Vazamento de gasolina e freio traseiro ineficaz foram alguns dos defeitos relacionados - Jair Amaral/EM/D.A PRESS Vazamento de gasolina e freio traseiro ineficaz foram alguns dos defeitos relacionados

Carenagem arrojada, aptidão fora de estrada e motor de 150cm³. Esses foram alguns dos atributos que levaram Marcelo Oliveira a comprar uma Kasinski CRZ 150 em setembro do ano passado. A motocicleta, que era para ser prática no cotidiano, se tornou uma intensa dor de cabeça na vida do assistente de atendimento. Desde que comprou o modelo, zero quilômetro, Oliveira reclama que passou por diferentes problemas. “Fechei negócio em Conselheiro Lafaiete, Região Central do estado, porque só na concessionária local tinham a moto da cor que eu queria, vermelha. Entregaram a CRZ no meu escritório, em Belo Horizonte, mas com duas semanas de uso começou a vazar gasolina”, relata.

Oliveira então procurou a concessionária New Motos na capital, onde a assistência técnica apontou uma falha na bomba de combustível, substituída por uma peça nova. “Bastou uma semana para que a gasolina voltasse a vazar. Retornei à autorizada, que, dessa vez, constatou que o tanque de combustível de plástico havia trincado”, conta. Neste segundo serviço, o tanque foi trocado. “Depois disso, foi a vez de o marcador de combustível começar a falhar, funcionando só quando eu acelerava a moto.” A New Motos, pela terceira vez, consertou a motocicleta. “Consertaram o marcador, mas num prazo de um mês a peça deixou de funcionar. Fiquei quatro dias sem a moto, parada na assistência técnica da autorizada”, acrescenta.

SEM FREIO Atualmente, a CRZ 150, ano 2010, está com cerca de 6.500 quilômetros rodados, que coincide com o mais grave dos problemas apontados por Oliveira: o freio traseiro deixou de funcionar. “Na primeira vez, o cabo do fluido de freio encostou no escapamento e furou. Entrei em contato com o SAC e um dos diretores da Kasinski, e a moto ficou parada 30 dias até a chegada de uma nova peça. Há duas semanas, o freio deixou de funcionar mais uma vez numa avenida de tráfego intenso. Voltei à New Motos e asseguraram que o cilindro do freio havia estourado”, revela Oliveira, que teria recebido da autorizada prazo de 30 dias para resolver o problema. Cansado de esperar, ele registrou um boletim de ocorrência. “O problema no freio é sério e, apesar de a concessionária e a fábrica terem me atendido, estou insatisfeito. Coloquei a moto à venda, pois foi o pior negócio que fiz na vida”, assegura.

De acordo com a New Motos, todas as solicitações feitas por Marcelo Oliveira foram prontamente verificadas e realizadas em atendimento.

MOTO ZERO Já a Kasinski afirma que fez todos os atendimentos solicitados por Marcelo, sendo o último em 29 de abril de 2010, e que o produto está em perfeitas condições de uso e à disposição do cliente. No entanto, a própria marca ofereceu a troca da CRZ 150 ano 2010 defeituosa por um modelo zero quilômetro, fato confirmado pelo proprietário da moto. “Informamos que estamos em tratativas de acordo com o cliente, na qual serão medidos esforços para que seja alcançado o maior grau de satisfação dele”, informa a resposta enviada pela Kasinski.

Tags: moto

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
mauro
mauro - 09 de Junho às 16:43
Daqui um aparece uns jac motors aqui deixando os compradores a ver navios e containers cheios de jacus
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Ultimas Notícias

ver todas
17 de julho de 2017
12 de julho de 2017