Fiat Punto T-Jet 1.4 16V - Arisco na alta, manso na baixa

O único hatch compacto esportivo fabricado no Brasil teve ligeira alteração de estilo da carroceria na linha 2013. O painel central é todo novo e há novidades na eletrônica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 21/11/2012 13:00 / atualizado em 04/01/2013 18:50 Paulo Eduardo /Estado de Minas
Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press


Assim pode se definir a versão esportiva (T-Jet) do Punto. Equipado com motor 1.4 turbo importado, o carro tem muito fôlego acima de 2.000rpm e é de fato um esportivo. Porém, abaixo disso o desempenho é semelhante ao de motor 1.0. O único hatch compacto esportivo nacional empolga bastante com o som do escape e a firmeza nas curvas.

Clique aqui e veja mais fotos do Punto T-Jet

Além das ligeiras alterações de estilo, como o novo para-choque, que parece ter ganhado um bigode, e o painel central, o Punto T-Jet tem seletor para definir o ritmo da tocada. Denominado de DNA – Dinâmico, Normal e Autonomia –, o comando está colocado no console central à frente da alavanca de marchas e atua sobre a curva do pedal do acelerador, que é eletrônico, determinando se a aceleração será suave, normal ou abrupta. O modo autonomia visa diminuir o consumo de combustível e no quadro de instrumentos são indicados os momentos de troca ideal, além da indicação em barras do desempenho da turbina, enquanto o dinâmico otimiza o desempenho por meio de acelerações mais abruptas porque a proporção entre o curso do pedal do acelerador e a abertura da borboleta é aumentada. À menor pressão no acelerador, o motor responde imediatamente. E o modo normal é o meio-termo: nem muita potência nem consumo excessivo.


O consumo do motor 1.4 depende fundamentalmente do ritmo imposto pelo motorista. Na cidade pode variar de 10km/l a 5km/l dependendo da topografia e principalmente do peso do pé sobre o pedal do acelerador. Na estrada é possível atingir tranquilamente a marca de 15km/l dentro dos limites estabelecidos por lei, mas se o entusiasmo do motorista prevalecer, o consumo fica até abaixo de 10km/l. Carro equipado com motor turbo de baixa cilindrada consome e emite pouco. Por isso, estão cada vez mais na ordem do dia em tempos de ar limpo e combustível caro.

Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press


CONFORTO O vermelho das fitas do cinto de segurança foi substituído pelo preto sóbrio, e as pinças de freio estão pintadas na cor vermelha, enfatizando a esportividade. Os bancos são esportivos e abraçam bem o motorista, mas carro esportivo não tem rodar macio nem confortável, ainda mais no piso nacional, com muitas imperfeições e ondulações. A suspensão enrijecida e os pneus de perfil baixo são imprescindíveis para manter o carro sempre colocado no chão. Assim, as imperfeições são transferidas com mais intensidade para o habitáculo e é preciso ter cuidado para não tocar a parte inferior do carro no piso irregular.

O Punto tem boa habitabilidade, mas o porta-malas é pequeno, exigindo paciência e criatividade na arrumação da bagagem de viagem. A visibilidade traseira não é das melhores devido à largura da coluna C.

Uma das novidades é o sinalizador de frenagem de emergência denominado ESS, que consiste no acionamento intermitente das luzes indicadoras de direção ao frear o veículo bruscamente. É um alerta aos motoristas da uma situação de emergência. Ele é acionado na desaceleração maior que 7m/s², velocidade igual ou maior que 50 km/h e pisca-alerta desligado. A função permanece ativa até que a desaceleração atinja 2,5 m/s². O Punto não está equipado com controles eletrônicos de tração e estabilidade, o que exige atenção especial por aqueles que não têm domínio total sobre a máquina.


Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press


AVALIAÇÃO TÉCNICA

Acabamento da carroceria
As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. O adesivo superior de acabamento da porta traseira direita está com bolhas. O acabamento da pintura é satisfatório. A tampa traseira está desnivelada no lado direito e o capô, descentralizado. A montagem dos recobrimentos plásticos que envolvem a curvatura dos para-lamas e soleiras está benfeita. Os faróis, lanternas, para-choques, retrovisores, pestanas dos vidros, faixas adesivas nas laterais da porta, spoiler têm boa montagem. REGULAR

Vão do motor

O motor 1.4 turbo importado preenche bem o pequeno vão e o acesso à manutenção é limitado a alguns componentes. O layout está racional, tem aspecto organizado e os itens de verificação permanente têm fácil identificação e manuseio. O resultado da insonorização do vão em relação ao habitáculo é boa. REGULAR

Altura do solo

Tem chapa em aço sob o conjunto motopropulsor. A altura do solo homologada para esta versão T-Jet está coerente pelo efeito estético estático e pelo ótimo comportamento dinâmico. Ocorreram poucas interferências com o solo no uso urbano. POSITIVO

Fiat Punto T-Jet: Luz de ré ao centro e de Led nas lanternas, saídas falsas de ar nas laterais e borracha no meio do para-choque são novidades - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Fiat Punto T-Jet: Luz de ré ao centro e de Led nas lanternas, saídas falsas de ar nas laterais e borracha no meio do para-choque são novidades


Climatização

O climatizador é automático. A vazão de ar e a angulação das aletas dos difusores do painel são boas. É aceitável o tempo para climatizar o habitáculo com sensação de conforto após meia hora trancado ao sol, apesar de o tipo de recobrimento do teto solar e vidro superior do teto ser perfurado, onde a incidência solar é evidente nas cabeças, além de excesso de claridade. A rumorosidade de funcionamento do conjunto e da vazão de ar é razoável. Não tem regulagem diferenciada de temperatura para condutor e passageiro nem difusor de ar específico para os passageiros de trás. Está bem vedado. REGULAR

Freios

O pedal de freio tem boa relação e sensibilidade. Com discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira e sistema ABS bem calibrado, apresentaram bom e seguro comportamento dinâmico. Não ocorreu superaquecimento e o freio de estacionamento atuou normalmente. POSITIVO

Câmbio

A alavanca de marchas tem altura esportiva, uma pega razoável mesmo com o inibidor de ré, mas o curso é longo e poderia ser mais curto nesta versão, favorecendo nas trocas rápidas e reduções. A qualidade de engate é razoável numa utilização normal, mas falta precisão e maciez nas trocas rápidas ascendentes e descendentes, numa condução bem esportiva. As relações de marchas/diferencial atendem bem a dinâmica. REGULAR

Fiat Punto T-Jet: Pinça vermelha e pneu de perfil baixo - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Fiat Punto T-Jet: Pinça vermelha e pneu de perfil baixo


Motor

A potência e torque gerados e a curva para sua cilindrada são ótimos. A aceleração é brilhante, rápida e com ótima progressividade do turbo. As retomadas de velocidade são notáveis e aceitáveis em baixa rotação em 3ª, 4ª e 5ª marchas. O ganho em dirigibilidade em baixa rotação, retomadas e aceleração no modo dinâmico é significativo. A rumorosidade de funcionamento é baixa. São três as opções de programação eletrônica na curva do pedal do acelerador: autonomia, normal e dinâmica. POSITIVO

Vedação

Boa contra poeira e água. POSITIVO

Clique aqui e veja mais fotos do Punto T-Jet

Nível interno de ruídos
Apresentou vários pequenos ruídos no habitáculo sobre paralelepípedo e asfalto ruim. O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. NEGATIVO

Suspensão

A estabilidade é brilhante, aliada a um conforto de marcha bem satisfatório para esta versão realmente esportiva com motor potenciado. Em frenagens fortes na entrada de curvas, o afundamento do eixo dianteiro é contido favorecendo a retomada da aceleração com manutenção da trajetória imposta em curvas de raios variados. Mesmo com pneus de perfil baixo (bastante vulneráveis a buracos e de alto custo de reposição), o conforto satisfaz bem, além do ganho no handling. No limite da aderência lateral em curvas de raio curto e médio, onde a inclinação da carroceria é um pouco evidente, tem também ótima precisão ajudado pela alta tração do eixo motriz dianteiro e reações da direção. POSITIVO

Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press


Direção

Não é do tipo direta, mas tem uma boa relação e sensibilidade. As cargas do sistema assistido poderiam ter calibração diferenciada favorecendo o conforto e maciez para o uso urbano e em manobras apertadas. O conjunto apresentou baixa rumorosidade em curvas sobre o piso irregular. O diâmetro de giro é grande (11,8 metros), o que dificulta as manobras, e a velocidade do efeito-retorno satisfaz. Em aceleração total em arrancada, mantém boa estabilidade direcional. REGULAR

Iluminação

Tem sensor crepuscular. O grupo óptico dianteiro, com parábola simples e lâmpadas halógenas, apresentou eficiência normal no baixo/alto. Tem auxílio de faróis de neblina, mas não há regulagem elétrica de altura em função da carga transportada. Existe luz de cortesia no porta-luvas, para-sóis e porta-malas. O quadro de instrumentos, console central e interruptores nos painéis de porta têm fácil identificação noturna. No teto há uma lanterna com duplo spot fixo junto ao retrovisor com resultado discreto em iluminação. REGULAR

Limpador do para-brisa

Tem sensor de chuva. Ao esguichar seis jatos de água no para-brisa, que tem boa vazão e abertura, palhetas de qualidade varrem uma área satisfatória. No vidro traseiro o sistema também é eficiente. É fácil a identificação e manuseio do reservatório d’água instalado no vão motor. POSITIVO

Estepe/ macaco

O estepe que tem a roda e pneu iguais aos de uso está instalado dentro do porta-malas, o que é muito prático e seguro no caso de uma possível troca do pneu/roda em rodovias. No kit de troca existe porca autoadaptadora antifurto. A operação de troca é normal. POSITIVO

Alarme

A chave de ignição do tipo canivete contém as teclas de travar e destravar as portas e é codificada com imobilizador do motor. Ao dar comando para travar as portas, os vidros sobem automaticamente e o sistema antiesmagamento funcionou bem. O veículo testado estava equipado com proteção volumétrica dentro do habitáculo contra a invasão pela quebra dos vidros e a perimétrica das partes móveis contra abertura forçada das portas, capô e tampa traseira. POSITIVO

Volume do porta-malas

O declarado pela fábrica é de 280 litros e o encontrado com o banco traseiro na posição normal e a tampa do bagagito fechada foi de 256 litros.




Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan
www.danieltecnodan.wordpress.com

Palavra de especialista
Diversão garantida
DANIEL RIBEIRO FILHO
ENGENHEIRO

É realmente um hatch esportivo e com a vantagem de ser fabricado no Brasil. Não tem concorrentes diretos no país e satisfaz plenamente pelo conjunto mecânico para um automóvel esporte com motor de baixa cilindrada. É muito agradável de dirigir (deve-se selecionar no modo dinâmico). Não tem controle eletrônico de tração e estabilidade, o que proporciona mais prazer para quem tem experiência e bom senso numa condução bem esportiva, sendo perigoso para amadores, mesmo contando com até seis airbags. É agradável o ruído (ronco) de funcionamento do motor, conjugado com filtro de ar e som da descarga, faltando apenas as ponteiras paralelas do silencioso serem chanfradas. As pinças de freio, agora pintadas de vermelho, dão o tempero certo no visual das rodas de 17 polegadas. O quadro de instrumentos com fundo branco seria o ideal para facilitar a leitura durante o dia, que é ruim, e melhorar o estilo. O tecido central dos bancos e botões decorativos destoam do bom gosto do conjunto do habitáculo. A qualidade do áudio é boa, e merecia ter cintos de segurança na cor vermelha, uma característica da Fiat, desde um Uno 1.5R, por ser um esportivo e não um Sporting.


Fiat Punto T-Jet: Painel bicolor é todo novo e uma das principais alterações de estilo do Punto - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Fiat Punto T-Jet: Painel bicolor é todo novo e uma das principais alterações de estilo do Punto


DE OLHO NOS EQUIPAMENTOS

Ficha técnica
Motor
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.368cm³ de cilindrada, 16 válvulas, a gasolina, que desenvolve potência de 152cv a 5.500rpm e torque máximo de 21,1kgfm de 2.250rpm a 4.500rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas

Direção
Pinhão e cremalheira com assistência hidráulica

Suspensões/Rodas/Pneus
Dianteira, independente, McPherson, com braços oscilantes fixados ao subchassi, com barra estabilizadora; traseira, semi-independente, travessa de torção de seção aberta e barra estabilizadora/6,5 x 17 polegadas (liga leve) / 205/50 R17

Freios
Discos dianteiros ventilados e traseiros sólidos, com ABS

Peso
1.263 quilos

Capacidades (litros)
Tanque, 60; porta-malas,
280 (**)/256(***)

Dimensões (A x B x C xD x E) (m) (*)
4,03 x 1,68 x 1,50 x 2,51 x 1,90

Desempenho
Velocidade máxima (km/h) (**) 203; aceleração até 100 km/h (s) (**) 8,4

Consumo (km/l) (**) cidade 12,3;
estrada 16,4

(*) A: comprimento; B: largura; C: altura; D: entre-eixos; E: medida de conforto (distância entre o pedal do freio e o encosto do banco traseiro)
(**) Dados do fabricante
(***) Medição caderno Vrum

Fiat Punto T-Jet: Quadro de instrumentos tem fundo preto - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Fiat Punto T-Jet: Quadro de instrumentos tem fundo preto


Equipamentos

SÉRIE
Aparência – Faróis com máscara negra, spoiler bicolor na tampa traseira, pedaleira de alumínio, rodas de liga leve, vidros verdes.

Conforto/conveniência – Alerta de velocidade e manutenção programada; ar-condicionado e para-brisa degradê; banco do motorista com regulagem de altura; Blue&Me (sistema baseado no Windows Mobile, operado por comandos de voz, com entrada USB e viva-voz bluetooth. Inclui volante de couro com comandos do rádio e telefone – 8 botões + EcoDrive); comandos internos de abertura do porta-malas e do tanque de combustível; computador de bordo; controle automático de velocidade; direção hidráulica, retrovisores externos elétricos; temporizador de faróis com chave desligada (Follow me home); limpador e lavador do vidro traseiro com acionamento automático a ré; My Car Fiat; controlador de velocidade (piloto automático); rádio CD/MP3 integrado ao painel com entrada USB e conexão iPod; sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico; chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas; travas elétricas nas portas + travamento automático das portas a 20km/h; vidros elétricos dianteiros e traseiros com sistema one touch e antiesmagamento, volante com em altura e distância.

Segurança – Terceira luz de freio; faróis de neblina; Fiat Code (imobilizador eletrônico de motor); airbag duplo; freios ABS; sinalização de frenagem de emergência; freios a disco nas quatro rodas; kit parafusos antifurto (um por roda).

Opcionais
Alarme antifurto, ar-condicionado automático digital, Blue&Me NAV, side bags dianteiros, windows bags, antiwhiplash para os apoios de cabeça dianteiros e teto solar elétrico Skydome.

Notas (0 a 10)

  • Desempenho 9
  • Espaço interno 7
  • Porta-malas 6
  • Suspensão/direção 8
  • Conforto/ergonomia 7
  • Itens de série/opcionais 9
  • Segurança 9
  • Estilo 8
  • Consumo 8
  • Tecnologia 8
  • Acabamento 7
  • Custo/benefício 9


Quanto custa
O Punto T-Jet tem preço sugerido de R$ 55.740, e com todos os opcionais, R$ 65.600.


Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Jose
Jose - 21 de Novembro às 13:24
Bakana o carrinho, mas eu não compraria. Gosto mais de sedans ou então um SUV. Abraço a todos.
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
14 de novembro de 2015
07 de novembro de 2015
04 de novembro de 2015
24 de agosto de 2015