Chevrolet Cobalt LTZ 1.8 - Estava fazendo falta

O sedã ganhou opção de motor mais potente e câmbio automático de seis velocidades, que combina melhor com o amplo espaço interno, tanto para pessoas quanto para bagagens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/10/2012 23:12 / atualizado em 11/10/2012 23:45 Eduardo Aquino /Estado de Minas

Por fora, o Cobalt 1.8 é praticamente o mesmo da versão 1.4 e as pequenas diferenças estão nos faróis com máscara negra e nas rodas de liga com desenho exclusivo  - Fotos: Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS Por fora, o Cobalt 1.8 é praticamente o mesmo da versão 1.4 e as pequenas diferenças estão nos faróis com máscara negra e nas rodas de liga com desenho exclusivo
Depois do caminho desbravado pelo Renault Logan no mercado brasileiro, o segmento dos sedãs compactos de visual simples e amplo espaço não parou de crescer, despertando a cobiça da concorrência. Na mesma balada vieram Nissan Versa, Fiat Grand Siena e Chevrolet Cobalt, que é fruto de uma arquitetura global que foi inteiramente desenvolvida no Centro Tecnológico da General Motors no Brasil. Para se ter uma ideia de como a GM levou essa fórmula a sério, o seu sedã tem mais espaço interno do que o seu irmão mais sofisticado (o Cruze). O modelo foi lançado com opção apenas do motor 1.4 (com potências de 97cv, com gasolina; e de 102cv, com etanol), mas a própria marca já sabia que um sedã desse porte merecia também um propulsor mais potente e aproveitou o próprio lançamento para fazer uma apresentação estática do modelo que avaliamos agora, com motor 1.8 e câmbio automático de seis velocidades.

 

-> Clique aqui e veja mais fotos do Chevrolet Cobalt LTZ 1.8!

 

ESTILO Para muitos, o design é um dos pontos fracos do Cobalt, que segue a mesma filosofia de estilo da marca, presente em modelos como Agile, Cruze, Montana, Malibu, entre outros. A crítica é que falta harmonia entre os grandes faróis com refletores e a grade dianteira em colmeia – com a gravatinha estampada na barra que a corta na parte de cima – e o resto do conjunto estilístico. Por outro lado, o perfil com a grande distância entre-eixos e a ausência de frios realça a robustez, a modernidade e a elegância, dando a impressão de um sedã de categoria superior. A traseira tem linhas simples e lanternas verticalizadas, com desenho em módulos retangulares. A LTZ 1.8 tem rodas de liga com desenho exclusivo e acabamento diamantado, faróis com máscara negra, defletor de ar na tampa traseira e lanternas traseiras com lentes transparentes.

 

HABITÁCULO Assim como as linhas externas, o acabamento interno também é simples. A cor marrom do painel, volante, console e painéis de porta contrasta um pouco com os detalhes em cinza imitando metal presentes no volante, base da alavanca de marchas e moldura do sistema de áudio e com os cromados das maçanetas internas, dos comandos do som e ar-condicionado, do pomo da alavanca de marchas e da lingueta da alavanca do freio de estacionamento. Os bancos são revestidos em tecido de toque agradável e prendem os corpos dos ocupantes, sendo que o do motorista regula em altura



DIGITAL O volante de três raios incorpora os comandos do som, Bluetooth e controle automático de velocidade. A buzina é difícil de ser acionada. No painel, somente o conta-giros é analógico. Os outros instrumentos são digitais e um pouco confusos, como o marcador do nível de combustível no tanque. Falta marcador de temperatura do motor. Freios ABS e airbag duplo são itens de série mas não há (nem como opcionais) apoio de cabeça nem cinto de três pontos para quem senta no meio do banco traseiro.

FOLGADO Mas o que vai atrair mesmo o cliente é o amplo espaço interno, proporcionado pela generosa medida entre-eixos (de 2,62m) e capaz de acomodar com conforto cinco adultos e toda a bagagem deles em uma viagem bem longa de férias. Na frente, motorista e passageiro viajam com muito conforto, e quem senta no banco de trás pode esticar com folga as pernas, mesmo se tiver estatura elevada. O porta-malas acomoda 563 litros (isso repreenta 100 litros a mais que a do Cruze), e caso o dono ache pouco, o banco traseiro rebate em 1/3 e 2/3, o que pode ampliar ainda mais esta capacidade. Por outro lado, faltam ganchos para a fixação da carga e rede para prender pequenos objetos, além de uma cobertura interna da tampa, o que contribuiria para melhorar a aparência.
As lanternas traseiras têm lentes transparentes e a tampa, um pequeno defletor - As lanternas traseiras têm lentes transparentes e a tampa, um pequeno defletor


RODANDO Se olharmos apenas os valores de potência, dá até para pensar que a mudança do motor 1.4 para o 1.8 não foi muita coisa, pois o primeiro rende 102cv com etanol, enquanto o segundo gera 108cv com o mesmo combustível. Mas, na prática, a diferença de 6cv e (mais importante ainda) de mais de 4kgfm no torque (falando apenas de etanol) faz muita diferença na hora de empurrar um sedã que pesa mais de 1.100 quilos. A diferença é sensível, principalmente quando o carro está carregado e se liga o ar-condicionado. Mas o câmbio automático de seis velocidades demora um pouco para reagir aos comandos do acelerador, mesmo usando o kick-down (pressionado o pedal até o fundo para a redução de marchas); e as trocas manuais são feitas por meio de botão na alavanca de marchas, o que não é muito prático. Para um carro com essa proposta, a suspensão deveria ser menos barulhenta e absorver melhor as imperfeições do piso. A direção está bem calibrada para manobras e altas velocidades e os freios são muito eficientes. A visibilidade traseira ruim é compensada pelos sensores de estacionamento traseiro, que ajudam bastante na hora de estacionar.

 

Sedã em revista


 

Ficha técnica
MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.796cm³ de cilindrada, oito válvulas, desenvolve potências máximas de 106cv (gasolina) e 108cv (etanol) a 5.400rpm e torques máximos de 16,4kgfm (gasolina) e de 17,1kgfm (etanol) a 3.200rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, câmbio automático de seis marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira independente, do tipo McPherson, com braço de controle ligado a haste tensora e barra estabilizadora; e traseira semi-independente, com eixo de torção e barra estabilizadora / 6 x 15 polegadas, em liga leve / 195/65 R15



DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS
A discos ventilados na frente e tambor na traseira, com sistema ABS e EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem)

CAPACIDADES
Do tanque, 54 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 471 quilos

 

Confira o teste feito por Emílio Camanzi:

 

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE
Conforto/conveniência: abertura por controle remoto da tampa do porta-malas na chave do tipo canivete, acionamento elétrico de vidros, retrovisores e travas, ar-condicionado, desembaçador do vidro traseiro, direção hidráulica, coluna de direção com regulagem de altura, sensor de estacionamento traseiro, rádio com CD player com MP3, entradas auxiliar e USB e Bluetooth.

Segurança: protetor de cárter, alarme antifurto, airbags frontais para motorista e passageiro, freios ABS com EBD e faróis e luzes de neblina.

Aparência: vidros verdes, maçanetas externas e retrovisores na cor da carroceria, aerofólio na tampa traseira, acabamento em tecido aveludado nos painéis de porta, faróis e lanternas escurecidas, barra cromada na traseira e rodas em liga leve de 15 polegadas.

OPCIONAIS
Câmbio automático e controle automático de velocidade.

NOTAS (0 A 10)
Desempenho 8
Espaço interno 9
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 7
Itens de série/opcionais 8
Segurança 7
Estilo 8
Consumo 7
Tecnologia 7
Acabamento 7
Custo/benefício 8

QUANTO CUSTA
A versão topo de linha (LTZ) com motor 1.8 e câmbio manual tem preço básico sugerido de R$ 46.990. Com câmbio automático, pintura metálica e controle automático de velocidade, sobe para R$ 50.950. A versão de entrada, a
LT 1.8 manual, parte de R$ 43.690.


AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA
A qualidade final da pintura não é boa, apresentando alguns pontos com impurezas e imperfeições no verniz. A tampa do porta-malas tem montagem razoável. O capô está desnivelado na união com as bases das colunas A e as quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. As portas incorporam friso protetor. As quatro extremidades dos para-choques estão desalinhadas em relação à carroceria. NEGATIVO

VÃO DO MOTOR
O capô tem ótimo ângulo de abertura e é sustentado por vareta manual. Para essa motorização, o resultado do isolamento acústico é discreto em relação ao habitáculo. O acesso à manutenção é satisfatório. A sistematização dos vários componentes está bem feita e o acesso aos itens de verificação constante é fácil. POSITIVO

ALTURA DO SOLO
Não foram observadas interferências com o solo. Existe chapa protetora em aço para toda a zona inferior do conjunto motopropulsor. POSITIVO

CLIMATIZAÇÃO
Sistema não tem opção de regulagem diferenciada de temperatura para condutor e passageiro, nem difusor de ar no final do console central para os passageiros de trás. O conjunto apresentou um bom funcionamento e está bem vedado. POSITIVO

FREIOS
Apresentaram um bom comportamento dinâmico e o ABS está bem calibrado. O pedal de freio tem boa sensibilidade. Em frenagem de emergência simulada sobre asfalto seco e terra batida, a desaceleração com manutenção da trajetória foi boa. O freio de estacionamento atuou normalmente. POSITIVO

CÂMBIO
O conjunto é automático, com seis marchas. As trocas são suaves e as respostas em kick-down, razoáveis. O quadro de instrumentos tem display informando o modo selecionado e a marcha. Existe opção de uso manual sequencial, colocando-se a alavanca em M. As trocas são feitas por meio de tecla instalada no pomo. POSITIVO

MOTOR
É o antigo 1.8 8V, com algumas melhorias. Apresentou um bom rendimento e uma dirigibilidade agradável no uso misto (estrada/trânsito urbano), mas sem destaque dinâmico. O funcionamento com o novo câmbio automático de seis velocidades é positivo. A aceleração e retomadas de velocidade satisfazem para a proposta desta versão. Rende um pouco melhor quando se usa somente etanol. O sistema Flex funcionou bem. POSITIVO

VEDAÇÃO
Boa contra água e poeira. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS
O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h, mas é aceitável em alta velocidade. O habitáculo não é silencioso quando se trafega sobre piso de paralelepípedo, terra e asfalto ruim. REGULAR


SUSPENSÃO
O conforto de marcha está mal definido, assim como a pressão homologada dos pneus, pelo nível das transferências das imperfeições do solo para dentro. A estabilidade é boa e contorna curvas com precisão satisfatória e inclinação moderada da carroceria. REGULAR

DIREÇÃO
Apresentou boa precisão em reta e curvas e as cargas do sistema assistido estão bem definidas. O diâmetro de giro é longo e o efeito retorno tem boa velocidade. A GM homologou em 35 libras a pressão dos quatro pneus, esteja o veículo com apenas o condutor ou com carga máxima. REGULAR

ILUMINAÇÃO
Falta sensor crepuscular. Existe luz de cortesia no porta-malas e porta-luvas. Os faróis têm refletor único e o motorista tem auxílio de faróis de neblina embutidos no para-choque, mas não há ajuste interno para a altura dos fachos. O conjunto apresentou eficiência normal no baixo e no alto. No habitáculo há uma lanterna simples pequena, com dois spots fixos na zona frontal do teto e outra na posterior, com resultado razoável para a área interna. O quadro de instrumentos tem iluminação permanente, mas os interruptores elétricos nos painéis de porta não têm identificação noturna nem com os faróis ligados. REGULAR

ESTEPE/MACACO
O estepe é temporário e específico para pequenos deslocamentos, com velocidade máxima limitada a 80km/h. Ele está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. O kit de troca está encaixado abaixo do aro e a operação de troca é normal. NEGATIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA
O sistema de limpeza tem palhetas eficientes e bons esguichos. A área varrida no para-brisa é bem ampla. O acesso ao reservatório d’água, instalado dentro do vão do motor, é fácil. Não tem sensor de chuva. POSITIVO

FERRAMENTAS
Tem uma chave de fenda combinada com Phillips. POSITIVO

ALARME
A chave de ignição é codificada e tem proteção perimétrica das partes móveis, mas falta a volumétrica (dentro do habitáculo) contra invasão através da quebra dos vidros. O sistema não tem função “um toque” nos vidros, que não sobem automaticamente quando se aciona o comando para travar as portas. REGULAR

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado pela fabrica é 563 litros, o mesmo encontrado na nossa medição.

Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

www.danieltecnodan.wordpress.com

Quem senta no meio não tem apoio de cabeça e nem cinto de segurança de três pontos - Quem senta no meio não tem apoio de cabeça e nem cinto de segurança de três pontos

Palavra de especialista
Sangue novo
DANIEL RIBEIRO FILHO
ENGENHEIRO
Quando se fala em comportamento dinâmico, o Cobalt com motor 1.8 e câmbio automático de seis marchas é outro automóvel, quando comparado com a versão 1.4. O ganho no torque é expressivo com o acréscimo de 4,1kgfm (atuando a 3.200rpm), e o de potência máxima, nem tanto (105cv no 1.4 e 108cv no 1.8 usando apenas etanol). A sua condução é prazerosa e traz conforto para o condutor. O rendimento é bom com ar- condicionado ligado e quatro adultos. Mas o consumo não é baixo, principalmente com etanol. O estilo da carroceria tem gosto duvidoso e as novas lanternas traseiras e o desenho das rodas de liga leve não contribuem para a harmonia do conjunto. Não tem sentido técnico a adoção de estepe temporário no Brasil, devido à cultura do brasileiro e à baixa qualidade de ruas e rodovias. O ótimo volume do porta-malas não é prejudicado quando o conjunto de uso roda/pneu danificado é colocado no local específico dentro do porta-malas.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
rafael
rafael - 12 de Outubro às 08:40
eu compraria um desse. :D
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
29 de junho de 2015
31 de maio de 2015
26 de maio de 2015
12 de maio de 2015
29 de abril de 2015