Chevrolet Sonic Sedan LTZ 1.6 16V - Um coreano gravatinha

Equipado com o mesmo motor, o sedã não tem um design tão atraente quanto o do hatch, mas o porta-malas é compatível com o de um compacto. Suspensão não oferece conforto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 12/09/2012 09:30 / atualizado em 12/09/2012 10:37 Eduardo Aquino /Estado de Minas

Marlos Ney Vidal/EM
 

Renovação. Essa é a palavra de ordem que a General Motors vem adotando para desenvolver seus produtos voltados para o mercado brasileiro. O processo de atualização incluiu nos últimos anos o Cruze sedã e hatch, o Cobalt, a picape S10 e o monovolume Spin. Para tentar ser mais competitiva no segmento dos compactos premium, a GM trouxe da Coreia do Sul o Chevrolet Sonic, também nas opções de dois e três volumes. A solução pode ser temporária, pois existe a possibilidade de o modelo passar a ser fabricado no México e, dependendo do rumo que o regime de cotas tomar, até ser produzido no Brasil. Avaliamos o sedã na versão mais cara da linha, a LTZ, equipada com câmbio automático.



Clique e veja a galeria de fotos Chevrolet Sonic Sedan LTZ 1.6 16V !

 

 

LINHAS Mesmo não tendo a harmonia das linhas do hatch, já que a traseira destoa um pouco do conjunto estilístico, o Sonic Sedan tem um visual que transmite também esportividade, modernidade e sensação de movimento. A frente, que é a mesma do dois volumes, tem como destaque os faróis de duplo refletor e com máscara negra. Mas o efeito dos “olhos esbugalhados” é um pouco diferente quando a cor da carroceria é preta: os faróis (incluindo os de neblina) ficam ainda mais evidentes. A grade frontal segue a mesma filosofia de estilo da marca, com a barra central ostentando a gravatinha dourada. Também chama a atenção o vinco acentuado e em forma de U no capô.

ASCENDENTE
Na lateral, os detalhes de design que mais chamam a atenção são: a linha de cintura ascendente, o vinco que começa no para-lama dianteiro e termina na lanterna traseira, a ausência de frisos, os detalhes cromados nas maçanetas das portas, o formato em arco do teto e o desenho esportivo das rodas de liga leve. Ao contrário do hatch, as linhas da traseira destoam um pouco do restante. A barra cromada acima da placa dá um toque de elegância ao modelo. As lanternas traseiras têm elementos circulares e incorpora apenas uma luz de ré. Os sensores de estacionamento no porta-malas ajudam bastante nas manobras em marcha a ré, já que a visibilidade traseira não é das melhores.

Na traseira destaque para os elementos circulares das lanternas e barra cromada - Marlos Ney Vidal/EM Na traseira destaque para os elementos circulares das lanternas e barra cromada

INTERIOR
A versão LTZ com câmbio automático inclui o revestimento dos bancos em couro, além de controle automático de velocidade. O nível de acabamento, que mistura a cor preta com detalhes em plástico cinza, é compatível com o de um carro desse segmento. Mas o que se destaca quando se entra no Sonic é o painel inspirado em motos, que tem iluminação azul e abriga um conta-giros analógico e o restante dos instrumentos digitais. Duas falhas que incomodam: falta termômetro do motor (importante em um país tropical) e a marcação digital do nível de tanque de combustível não é muito precisa. O volante é o mesmo do Cruze, tem boa pega e abriga os comandos do som, do sistema Bluetooth e do controle de velocidade. Com as regulagens de altura do banco e da coluna de direção (que também pode ser ajustada em distância), o motorista encontra facilmente uma boa posição de dirigir.

CONFORTO
Quatro adultos viajam bem no Sonic Sedan, cujo porta-malas (de 477 litros) acomoda bagagem de viagem longa desses ocupantes. O compartimento tem ganchos e rede para pequenos objetos. Caso não esteja sendo ocupado, o banco traseiro pode ser rebatido em 1/3, 2/3 ou integralmente, melhorando essa capacidade. Outro ponto positivo do modelo é a quantidade de porta-objetos no interior, incluindo porta-óculos, porta-garrafas e bandeja sob o banco do passageiro da frente. O pacote de segurança contempla airbags frontais, freios ABS e locais para fixar cadeiras infantis, mas deixa de fora itens importantes como a regulagem interna de altura dos fachos dos faróis e cinto de três pontos e apoio de cabeça para o passageiro que senta no meio do banco traseiro.
Volante incorpora comandos do áudio e do controle de velocidade - Marlos Ney Vidal/EM Volante incorpora comandos do áudio e do controle de velocidade

POR AÍ
Inédito no Brasil, o motor 1.6 16V não é brilhante em termos de economia e tem bom fôlego em baixas rotações (90% da força já está disponível a partir das 2.200rpm). Mas o bom desempenho acaba sendo comprometido pelo câmbio automático, que parece não estar bem afinado com o propulsor. Mesmo recorrendo ao kick-down (quando se pressiona o pedal do acelerador até o fundo para reduzir as marchas), ele demora a reagir, tornando as retomadas de velocidade um pouco lentas. A situação melhora quando se opta pelas trocas manuais, mas a posição do botão de mudança (na manopla da alavanca) não é muito prática. Em algumas subidas, o sistema fica bastante indeciso, com troca constantes e desconfortáveis. Assim como no hatch, o conjunto da suspensão fica devendo em conforto, pois não absorve bem as irregularidades do piso. Por outro lado, a estabilidade é boa em qualquer condição. A direção também tem boa calibragem, tanto em manobras como em velocidades elevadas.

Família compacta

Saiba quais são os principais concorrentes, os detalhes e equipamentos do Sonic Sedan LTZ 1.6

FICHA TÉCNICA

 

MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.598cm³ de cilindrada, que desenvolve potências máximas de 116cv (gasolina) e de 120cv (etanol) a 6.000rpm e torques máximos de 15,8kgfm (gasolina) e de 16,3kgfm (etanol) a 4.000rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio automático de seis velocidades

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS
A disco na dianteira e a tambor na traseira, com sistema ABS (de série)

SUSPENSÕES/RODAS/PNEUS
Dianteira independente, do tipo McPherson, com barra de torção; e traseira semi-independente, com eixo de torção e barra estabilizadora / 6 x 16 polegadas, em liga leve / 205/55 R16

CAPACIDADES
Do tanque, 46 litros; de carga (bagagens e passageiros), 420 quilos

EQUIPAMENTOS

Faltam cinto de três pontos e apoio de cabeça para o passageiro que senta no meio - Marlos Ney Vidal/EM Faltam cinto de três pontos e apoio de cabeça para o passageiro que senta no meio

DE SÉRIE
Conforto/conveniência – Ar-condicionado, direção hidráulica, computador de bordo, comando elétrico para vidros, retrovisores e travas, desembaçador do vidro traseiro, sensor de estacionamento, descansa-braço central, controles para o rádio no volante e rede para pequenos objetos no porta-malas.

Aparência – Rodas em liga leve de 16 polegadas, apliques cromados nas maçanetas internas e friso lateral cromado.

Segurança
– Airbag duplo frontal, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem) e faróis de neblina.

OPCIONAIS
Câmbio automático de seis velocidades, controle automático de velocidade e revestimento em couro dos bancos.

QUANTO CUSTA?

 

O Chevrolet Sonic Sedan na versão LT tem preço básico sugerido de R$ 49.100. A opção LTZ (topo de linha), com câmbio manual, custa R$ 51.500; e completa, com transmissão automática, custa R$ 56.100.

NOTAS
(0 a 10)
Desempenho 8
Espaço interno 7
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 9
Itens de série/opcionais 8
Segurança 7
Estilo 7
Consumo 7
Tecnologia 8
Acabamento 8
Custo/benefício 7

AVALIAÇÃO TÉCNICA

O formato em arco do teto dá um ar de cupê ao Sonic Sedan - Marlos Ney Vidal/EM O formato em arco do teto dá um ar de cupê ao Sonic Sedan
 

ACABAMENTO DA CARROCERIA
O acabamento da pintura é bom. As portas do lado esquerdo têm montagem razoável, mas as do lado direito têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. A tampa do porta-malas está descentralizada. O capô tem boa montagem, assim como para-choques, lanternas, faróis, retrovisores e pestanas dos vidros. REGULAR

VÃO DO MOTOR
O resultado do isolamento acústico é discreto com o motor em alta rotação. O vão é pequeno e o motor o preenche bem, limitando o acesso à manutenção de vários componentes. O leiaute tem aspecto organizado e os itens de verificação constante têm fácil identificação e manuseio. O reservatório de gasolina para partida a frio está instalado dentro do vão (com tampa) do painel de fogo. REGULAR

ALTURA DO SOLO
Numa condução normal, rodando sobre piso misto com pequenas imperfeições e saídas de garagem com desnível, ocorreram leves interferências com o solo. Existe chapa em aço vazada para proteger toda a parte inferior do conjunto motopropulsor. REGULAR

CLIMATIZAÇÃO
Sistema é acionado por comando manual. Existem dois difusores centrais fixos e dois de formato circular no painel, que giram 360° nas laterais e apresentam boa vazão. Não tem opção de regulagem de temperatura diferenciada para condutor e passageiro e falta também difusor de ar específico para os passageiros de trás. O nível de ruído de funcionamento é satisfatório. O sistema está bem vedado e os comandos são fáceis de operar. A parte superior do vidro traseiro (mais ou menos um terço) é encoberta por serigrafia pontilhada, para minimizar a incidência de raios solares sobre as cabeças dos ocupantes do banco traseiro. POSITIVO

FREIOS
O pedal tem ótima sensibilidade. O sistema ABS está bem calibrado e atua com eficiência. O freio de estacionamento funciona normalmente. O conjunto apresentou bom comportamento dinâmico em geral, com relações balanceadas nos dois eixos. A desaceleração é eficiente, sem alterar a trajetória, mesmo em frenagens de emergência. É boa a resistência térmica depois de uso mais severo. POSITIVO

CÂMBIO
É automático com função manual sequencial. Com a alavanca na posição M, as trocas são efetuadas por meio de uma tecla instalada na lateral do pomo. As mudanças são automáticas quando o motor atinge a rotação máxima preestabelecida. As relações de marchas/diferencial atendem bem à dirigibilidade no uso misto, além de proporcionar conforto ao condutor. O quadro de instrumentos tem display de bom tamanho e fácil visualização que informa a marcha selecionada. A resposta em kickdown (ato de reduzir as marchas pressionando o pedal do acelerador até o fundo) é razoável. POSITIVO

MOTOR
A performance agrada bem em função da cilindrada e do peso. O efeito da falta de força em baixas rotações é pouco sentido. Há um ganho razoável de rendimento com somente etanol no tanque. A aceleração e retomadas de velocidade satisfazem e o câmbio contribui muito para a dinâmica, mas sem brilho esportivo. O nível de ruídos de funcionamento é aceitável devido à arquitetura do cabeçote 16V. O sistema flex funcionou bem. POSITIVO

VEDAÇÃO
Boa contra água e poeira. POSITIVO

RUÍDOS INTERNOS
O nível é muito alto quando se trafega sobre paralelepípedo, terra e asfalto ruim. O efeito aerodinâmico inicia-se a 110km/h e é crescente com a velocidade. NEGATIVO

SUSPENSÃO
O conforto de marcha não está bem definido devido ao nível de transferência das imperfeições do solo para dentro. A estabilidade é boa e contorna com rapidez e precisão curvas de raios variados, com inclinação moderada da carroceria. REGULAR

DIREÇÃO

A coluna de direção tem ajuste em altura e distância, com bom curso. A pega do volante é boa. A assistência hidráulica está muito bem definida, com cargas que proporcionam conforto e leveza no trânsito urbano e em manobras de garagem e firmeza e confiabilildade em rodovias, rodando em velocidades mais altas. A relação é do tipo direta, com resposta imediata. A precisão na reta e em curvas é excelente. O diâmetro de giro e a velocidade do efeito retorno satisfazem. O conjunto apresentou nível baixo de ruídos em curvas sobre piso irregular. REGULAR

ILUMINAÇÃO
Não tem sensor crepuscular e há luz de cortesia somente no porta-malas. O quadro de instrumentos, que é bem pequeno, tem iluminação permanente. Os faróis têm duplo refletor (do tipo canhão), sem cobertura integral e os auxiliares de neblina estão inseridos no para-choque. O conjunto apresentou boa eficiência no baixo e no alto, mas falta ajuste elétrico de altura em função da carga transportada. No teto há uma pequena lanterna, que fica próxima ao retrovisor, com iluminação no habitáculo. REGULAR

ESTEPE/MACACO
O estepe é do tipo temporário e está instalado dentro do porta-malas, no fundo do assoalho. A operação de troca é normal. Existem quatro prisioneiros fixos por cubo (porcas) e não parafusos, como indica o manual do proprietário. Quando danificado, o conjunto de uso roda/pneu cabe perfeitamente no local específico, sem desnivelar o assoalho. Mas falta lugar para o calço plástico, que fica em cima do estepe com o kit de troca inserido nele. NEGATIVO

LIMPADOR DO PARA-BRISA

Não tem sensor de chuva. Os seis esguichos no para-brisa têm jatos bem direcionados, com boa vazão. Quando ativados, eles acionam automaticamente o sistema de limpeza, feita por palhetas eficientes, que proporcionam um amplo campo de visão. O acesso ao reservatório d’água dentro do vão do motor é fácil. POSITIVO

ALARME
A chave de ignição é do tipo canivete, codificada e tem proteção perimétrica das partes móveis. Mas falta a volumétrica, no habitáculo. Ao dar comando para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente. Somente a porta do condutor tem função um toque, na qual o sistema antiesmagamento atuou bem. REGULAR

Porta-malas acomoda a bagagem de quatro adultos - Marlos Ney Vidal/EM Porta-malas acomoda a bagagem de quatro adultos

VOLUME DO PORTA-MALAS
O declarado é 477 litros, o mesmo encontrado.


(*) Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan.
www.danieltecnodan.wordpress.com


PALAVRA DE ESPECIALISTA
DANIEL RIBEIRO FILHO

 

Vai ocupar o seu espaço
Fabricado na Coreia do Sul, o novo automóvel GM agrada pelo conjunto. A mecânica está bem desenvolvida e o motor 1.6 e o câmbio automático proporcionam uma boa dinâmica e dirigibilidade agradável e segura. O sistema de direção e freios está muito bem calibrado e dimensionado, o mesmo não acontecendo no quesito conforto de marcha das suspensões. O acabamento interno é razoável e o estilo da carroceria interessante, com faróis bem diferentes. A qualidade do áudio é muito boa para esse segmento de mercado e o volume do porta-malas satisfaz bem. A cultura do estepe temporário não funciona no Brasil devido às péssimas condições de nossas vias, principalmente em viagens mais longas, pelo transtorno que irá causar.

 

Tags: teste

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Lucio
Lucio - 12 de Setembro às 15:31
O problema continua..... por uma carroça dessas pagamos o preço de um carro de verdade. Viva o povo brasileiro !!!!
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
29 de junho de 2015
31 de maio de 2015
26 de maio de 2015
12 de maio de 2015
29 de abril de 2015