• (6) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Grand Siena 1.6 Essence - Seguindo a receita

Sedã compacto cresce para fazer frente à concorrência de dimensões internas bem mais avantajadas. Modelo antigo permanece como versão de entrada com motorização 1.0 e 1.4


Paulo Eduardo - Estado de Minas

Publicação: 02/08/2012 13:50 Atualização: 02/08/2012 14:26

O Grand Siena é 13,4cm mais comprido do que o Siena. (Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
O Grand Siena é 13,4cm mais comprido do que o Siena.
 

Um dos lançamentos mais esperados do ano era o Siena anabolizado. Porém, as dimensões internas decepcionam em comparação aos concorrentes Logan, Cobalt e Versa. Esses têm espaço de carro maior (Civic, Focus, Corolla), o que não é o caso do Grand Siena. Em comparação com o Siena antigo, o sedã atual merece a alcunha. Porém, o carro tem de série em todas as versões ABS, freios, airbag duplo frontal e apoio de cabeça central com possibilidade de rebaixamento no assento central traseiro.

 

Clique e veja a galeria de fotos do Grand Siena 1.6 Essence!

 

 

O estilo frontal com faróis enormes e vincos na carroceria pode não empolgar de imediato, mas a Fiat manteve as lanternas bonitas no estilo Alfa Romeo, com ligeira alteração no desenho. O Grand Siena é 13,4cm mais comprido do que o Siena. É também 6,1cm mais largo, 5,3cm mais alto e a distância entre-eixos cresceu em 13,7cm, que é um dos determinantes do melhor aproveitamento do espaço interno junto com a medida de conforto, que ficou acrescida de 4cm – 1,86m do antigo contra 1,90m. Esses números podem parecer pouco, mas significam muito no interior. É inegável que o espaço interno do Grand Siena é muito bom, mas os concorrentes diretos têm habitáculo bem mais avantajado.

Traseira bem elevada dá aspecto elegante e parrudo ao carro (Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
Traseira bem elevada dá aspecto elegante e parrudo ao carro
 

O acabamento interno melhorou. Há muitos apliques de plástico transparente envolvendo painel e as saídas de ar. Uma faixa horizontal divide o painel. Os porta-objetos estão espalhados em diversos pontos no interior. Os comandos do rádio ficam no volante, que tem regulagem apenas de distância. No banco traseiro, o apoio de cabeça central é de série e pode ser rebaixado. O porta-malas manteve a capacidade, conforme nossa medição, e pode ser aberto pressionando-se o logotipo da marca no centro da tampa. Ou por meio de comando na chave.

Volante de três raios inclui comandos do sistema de som (Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
Volante de três raios inclui comandos do sistema de som

CONFORTO Não há dúvidas quanto ao maior espaço interno em relação ao Siena para pernas, cabeça e ombros. Os ocupantes têm melhor habitabilidade. A maioria dos itens tecnológicos está na lista de opcionais, como o rádio com MP3, Bluetooth, iPod e controle de velocidade. A calibragem da suspensão melhorou o conforto dos ocupantes com menor transferência das imperfeições do piso para dentro. Isso faz com que a estabilidade fique comprometida em superfícies irregulares, como as costelas no asfalto em que o carro fica instável direcionalmente. A direção está um pouco mais pesada, mas a falta de sensibilidade inicial faz com que o motorista movimente bruscamente o volante à espera de reação. Isso provoca desvio de trajetória. Mas depois se acostuma.

Comandos de vidros elétricos bem localizados no puxador da porta (Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
Comandos de vidros elétricos bem localizados no puxador da porta

DESEMPENHO O motor 1.6 tem bons números de potência e de torque, mas falta força abaixo de 2.000rpm. A partir daí o carro acorda e basta afundar o pé para obter desempenho satisfatório. Os engates do câmbio carecem de precisão em trocas rápidas e o curso da alavanca continua longo. A visibilidade lateral traseira melhorou com a terceira janela, eliminando em parte o ponto cego. Os retrovisores grandes têm ótimo campo de visão e é uma das boas alterações no carro. O consumo registrado no computador de bordo varia de 6km/l a 8,5km/l na cidade com gasolina e de 11km/l a 16km/l na estrada dentro dos limites de velocidade previstos pela lei. Com etanol, entre 10km/l e 11km/l na estrada e de 4,8km/l a 6km/l na cidade. Todas as medições foram feitas com o ar-condicionado desligado. Os trunfos do Grand Siena são o espaço interno aumentado e a ótima capacidade do porta-malas. 

Porta-malas mantém a capacidade de 500 litros conforme medição (Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press)
Porta-malas mantém a capacidade de 500 litros conforme medição

No rumo certo

Confronte o Grand Siena com concorrentes diretos e saiba confira o desempenho

 

AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA

As portas do lado esquerdo têm montagem razoável, mas as outras estão desniveladas. A tampa do porta-malas está descentralizada e desalinhada próximo das lanternas do lado direito. O capô tem boa montagem e a pintura bom acabamento. REGULAR

VÃO DO MOTOR

O acesso à manutenção é razoável. O leiaute do vão tem aspecto organizado e os itens de verificação permanente fácil visualização e acesso. O resultado da insonorização é aceitável. POSITIVO

ALTURA DO SOLO

A parte inferior do motopropulsor tem proteção por chapa em aço. Não ocorreram interferências com o solo no percurso misto de provas, numa condução normal. POSITIVO

CLIMATIZAÇÃO

É por comando manual, sem opção de temperatura diferenciada para condutor e passageiro. No painel são seis os difusores de ar, sendo que os dois laterais de formato circular não giram 360°. Para os passageiros de trás não há difusor específico. Apresentou um bom funcionamento, está bem vedado, são quatro as velocidades da caixa de ar e cinco as opções de direcionamento do fluxo. A rumorosidade de funcionamento é razoável. POSITIVO

FREIOS

O ABS tem boa calibração e o pedal de freio sensibilidade satisfatória. Apresentaram reações balanceadas com boa desaceleração. Em frenagem de emergência simulada sobre asfalto seco e terra batida manteve a trajetória. Depois de uso mais severo é satisfatória a resistência térmica, e o freio de estacionamento atuou normal. POSITIVO

CÂMBIO

É manual com cinco marchas à frente. A qualidade de engate é razoável em precisão, maciez e pega no pomo, sendo baixo o ruído do trambulador, mas o curso da alavanca é longo. As relações de marchas/diferencial proporcionam uma dirigibilidade normal no uso na cidade e em rodovias, favorecido pela motorização. Apresentou pequena rumorosidade de funcionamento com transferência para o habitáculo. A embreagem apresentou-se progressiva, com baixo esforço e ausência de trepidação em arrancadas e marcha a ré sobre piso inclinado. REGULAR

MOTOR

O seu rendimento é bom, mas sem destaque esportivo. A sua curva de potência e torque são razoáveis, com força máxima somente a 4.500rpm, devido à arquitetura do cabeçote, e a de potência máxima a 5.500rpm. A performance é normal para a proposta dessa motorização. As retomadas de velocidade e aceleração atendem no uso misto. POSITIVO

VEDAÇÃO

Boa contra água e poeira. POSITIVO

NÍVEL DE RUÍDOS INTERNOS

O habitáculo não é silencioso quando se trafega sobre piso de terra, paralelepípedo e asfalto deteriorado. O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. NEGATIVO

SUSPENSÃO

A estabilidade é boa pela precisão com que consegue contornar curvas de raios variados em velocidade e inclinação moderada da carroceria, onde os pneus da marca Continental, pela primeira vez utilizados pela Fiat no Brasil, auxiliam bem. O conforto de marcha é aceitável, mas merecia uma melhor calibração, pois quando se trafega sobre piso misto com imperfeições usuais a transferência é evidente. REGULAR

DIREÇÃO

A coluna de direção tem ajuste somente em altura com bom curso. A precisão na reta e em curvas é boa. O diâmetro de giro e a velocidade do efeito retorno atendem. O conjunto apresentou ruído baixo em curvas sobre pisos irregulares. As cargas do sistema assistido têm boa calibração, mas o conjunto apresentou retardo de resposta inicial, mais conhecido tecnicamente como “vazio ao centro”. REGULAR

ILUMINAÇÃO

Há sensor crepuscular. Não tem ajuste elétrico de altura no facho, mas é fácil a alteração manual e acesso atrás do corpo dos faróis, que. têm duplo refletor e auxilio de faróis de neblina embutidos no para-choque, sendo boa a eficiência no baixo/alto. O habitáculo tem uma lanterna com dois spots fixos na frente e duas lanternas nas laterais traseiras, sendo positivo o resultado em iluminação. O quadro de instrumentos, console central e interruptores elétricos instalados no painel de porta têm boa identificação e leitura. POSITIVO

ESTEPE/MACACO

As válvulas dos pneus (bicos) instalados nas rodas de liga leve são curtas e nem todos os calibradores as atenderão. O estepe é do tipo temporário com roda em aço e pneu (Novo Pirelli P1) diferente dos de uso e indicado 80km/h de velocidade máxima. O conjunto de uso, quando danificado, cabe perfeitamente no assoalho dentro do porta-malas sem alterar o nivelamento do plano superior. A operação de troca é normal e existe porca autoadaptadora antifurto. NEGATIVO

LIMPADOR DE PARA-BRISA

Tem sensor de chuva. O campo de visão é razoável e as palhetas apresentaram uma boa qualidade. São seis os esguichos no para-brisa, que têm boa vazão e abertura. O acesso ao reservatório d’água instalado dentro do vão motor é apenas aceitável pelo seu posicionamento e diâmetro do gargalo. POSITIVO

ALARME

O sistema é completo. A chave de ignição é codificada, do tipo canivete, e há acessórios Fiat na proteção perimétrica e volumétrica. Ao dar comando para travar as portas, os vidros sobem automaticamente e têm função um toque para descer/subir nas quatro portas, além de sistema antiesmagamento eficiente. POSITIVO

VOLUME DO PORTA-MALAS

O declarado é 520 litros, e o encontrado foi 500, prejudicado pelo sistema de sustentação da tampa e molas a gás.

Palavra de especialista:
Questão de espaço e estilo
Daniel Ribeiro Filho

 

Está muito bem situado em estilo e mecânica em relação aos seus concorrentes diretos, o Colbat, Logan e Versa, que perdem em design de carroceria. É notório o ganho em handling (veículo em prova equipado com pneus 195/55 R16) em relação ao projeto anterior. O carro está mais na mão, com maior estabilidade, menos inclinação da carroceria e uma direção mais firme. O ganho na distância entre-eixos dá algum sentido na designação “Grand”. Se os bancos tivessem uma construção diferenciada com menor espessura dos assentos (que deveriam ter regulagem de altura) e encostos, principalmente os dianteiros, com manutenção em conforto e segurança, os ganhos em habitabilidade seriam bem mais significativos. Curiosamente, nenhuma montadora do Brasil explora essa opção de melhorar o conforto e espaço a bordo sem ter que investir em novas plataformas. As linhas da carroceria agradam, mas não têm puro estilo italiano. O painel em geral, quadro de instrumentos e tecido dos bancos têm gosto duvidoso, assim como o desenho das rodas. É notório e incomoda bem (dia/noite) a projeção do reflexo dos difusores superiores centrais do painel no para-brisa, pelo material plástico brilhante. A economia de não colocar o estepe nas medidas dos de uso (opcional aro 16) deveria ser revista. A Fiat manteve a versão Tetra Fuel, que é prejudicada pela falta de mais postos para o gás.
 

FICHA TÉCNICA
MOTOR

Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.598cm³ de cilindrada, que desenvolve potências máximas de 115cv (gasolina) e 117cv (etanol) a 5.500rpm e torques máximos de 16,2kgfm (gasolina) e 16,8kgfm (etanol) a 4.000rpm

TRANSMISSÃO

Tração dianteira com câmbio manual de cinco velocidades

DIREÇÃO

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS

A disco na dianteira e a tambor na traseira, com ABS (de série)

SUSPENSÕES/RODAS/PNEUS

Dianteira independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, eixo de torção / 6 x 16 polegadas, em liga leve (de série) / 195/55 R16

CAPACIDADES
Tanque, 48 litros; e de carga (ocupantes e bagagem), 400 quilos

EQUIPAMENTOS
DE SÉRIE

Conforto/conveniência – Alerta de limite de velocidade e manutenção programada, apoio de pé para o motorista, ar-condicionado, abertura interna do porta-malas, banco do motorista com regulagem de altura, chave canivete com telecomando, computador de bordo A e B, porta-objetos móvel, porta-óculos, direção hidráulica, desembaçador traseiro com temporizador, coluna de direção com regulagem de altura, luz de leitura tipo spot na dianteira com dimmer, tampa de combustível com abertura interna, indicador de temperatura externa, trava elétrica das portas e porta-malas com comando a distância, encosto traseiro bipartido, comando elétrico para os vidros dianteiros com sistema um toque e antiesmagamento, travamento automático das portas a 20km/h e tomada de 12 volts.

Aparência – Para-choques, maçanetas, frisos laterais e retrovisores na cor da carroceria, vidros verdes, rodas de liga leve aro 16, para-brisa degradê, detalhes internos cromados e frisos laterais cromados.


Segurança – Airbag duplo frontal, imobilizador eletrônico de motor, três cintos de segurança traseiros de três pontos, freios ABS com EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem), faróis de neblina, alarme antifurto perimétrico, pontos de ancoragem para cadeiras infantis (Isofix).

OPCIONAIS
Airbags laterais dianteiros, sensores de estacionamento, crepuscular e de chuva, retrovisor interno eletrocrômico, retrovisores externos com comando elétrico, vidros traseiros elétricos com sistema um toque e antiesmagamento, apoia-braço para o banco do motorista, kit de parafusos antifurto nas rodas, rádio CD player com MP3 + Bluetooth + USB + iPod, volante em couro com comandos de rádio (seis botões), controle de velocidade, painel bicolor e acabamento interno em tecido.


QUANTO CUSTA
O Grand Siena 1.6 16V Essence tem preço sugerido de R$ 40.420 e com todos os opcionais de R$ 45.578.



NOTAS (0 a 10)
Desempenho    8
Espaço interno        7    
Suspensão/direção    6
Conforto/ergonomia    7
Itens de série/opcionais    8
Segurança    8
Estilo    7
Consumo    7
Tecnologia    7    
Acabamento    7
Custo-benefício    8   

Esta matéria tem: (6) comentários

Autor: Paulo Gonçalves
Boa tarde gostaria de saber se a fiat ja acertou o problema dos trancos neste motor do grand siena ficou tudo resolvido, aguardo comentarios. | Denuncie |

Autor: Ricardo santos
Na boa, só quem pode fazer comentarios em relação ao grandsiena é quem comprou ele, tem muita gente invejosa que n tem condições de ter um desse e sai fazendo comentarios infelizes do que nâo sabem, isso é veridico. | Denuncie |

Autor: Ark Souza
Não entendi porque a FIAT não lançou nenhuma versão do SIENA com motor e-torq 1.8 16v anda mais e consume quase a mesma coisa que o e-torq 1.6 16v até o punto tem versão com motor 1.8...como diz o Daniel Ribeiro... o acabamento interno tem gosto duvidoso... tecidos dos bancos é bem feio... | Denuncie |

Autor: Sergio Canuto
Ja tivemos um Siena aqui em casa 2006,e agora pegamos um Grand Siena 1.6,como esse.O carro é muito bom,otimo preço pelo q tem.Pelo custo x beneficio vale a pena!Estamos satisfeitos,mas o carro é meio lerdo na baixa,e o consumo não sae da media de 10,2km/l.Ainda está c/5mil km,será q ele vai melhorar? | Denuncie |

Autor: Antonio Fonseca de Oliveira
Se vc estiver na dúvida entre o Fuckswagen Voyage e um Siena, opte pelo Fiat, muito mais tecnologia, estilo, potência, interatividade, etc. Mas o New Fiesta Sedan é a melhor opção da categoria. Muito mais robusto, melhor mecânica, custo benefício mais atraente, garantia, pós venda da Ford, etc. | Denuncie |

Autor: mario martins ferraz
O carro até que é bonito com itens de segurança mais importantes de série,porem consome muito e meio caro.Se o brasileiro ñ fizer fila pra comprar o preço cai.Fui | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas em destaque