• (26) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Renault Duster 1.6 16V Dynamique - Opção pelo mais simples

Com tração dianteira e motor menos potente, o jipinho da marca francesa tem desempenho acanhado em relação à versão topo de linha, mas não decepciona. Espaço interno é bom


Enio Greco - Estado de Minas

Publicação: 21/01/2012 15:27 Atualização: 21/01/2012 15:29

Robustez é um dos pontos fortes do modelo Renault, que tem para-lamas salientes e grade cromada ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Robustez é um dos pontos fortes do modelo Renault, que tem para-lamas salientes e grade cromada

A distância que separa o Renault Duster 2.0 4x4 da versão 1.6 4x2 é significativa, mas não a ponto de condenar a segunda opção. Aqueles que não têm pretensões de colocar o carro na lama, mas que querem um jipinho urbano, mais alto e espaçoso, podem ver o Duster 1.6 16V como uma boa escolha. O desenho do modelo divide opiniões e o motor não chega a proporcionar desempenho empolgante, mas dá conta do recado. O câmbio é barulhento e a direção trepida quando se vira o volante até o fim do curso, porém as suspensões garantem equilíbrio entre conforto e estabilidade. Confira os detalhes do teste.

Clique aqui e veja mais fotos!

Seguindo a linha da família Logan, a Renault aposta suas fichas no Duster, um utilitário-esportivo compacto que tem presença de carro médio. Com acabamento simples e forte apelo no espaço interno, o modelo chama a atenção por suas linhas robustas, além de agradar pelo conjunto mecânico. A versão 1.6 16V, com tração dianteira, apresenta desempenho satisfatório, sem brilho, mas suficiente para as tarefas do dia a dia na cidade. Por ser mais alto, se sai bem também em estradas de terra irregulares, porém sem abusos.

ESTILO
Se comparado à versão 2.0 4x4, o Duster 1.6 16V Dynamique tem visual mais discreto, sem os adereços do aventureiro. A frente preserva a robustez natural do modelo, com faróis de linhas retas e duplo refletor, grade de barras cromadas e moldura discreta envolvendo a entrada de ar na parte inferior do para-choque. Retrovisores cromados e barras no teto quebram um pouco o aspecto espartano da versão. As laterais são limpas, com para-lamas salientes e beiral das portas com barra cromada. A traseira também tem detalhes cromados e pequenas lanternas verticais. Na versão Dynamique, as rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série.

Lanternas verticais ajudam a compor visual equilibrado na traseira ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Lanternas verticais ajudam a compor visual equilibrado na traseira


ESPAÇO Um dos principais atrativos do Renault Duster é sem dúvida o espaço interno. A começar pelo porta-malas, que é bem grande. Para o motorista e passageiros também há espaço de sobra, já que o utilitário é bem largo. O problema é que os bancos não são muito confortáveis e apenas o do motorista tem ajuste manual de altura. O banco traseiro também é espaçoso e apoia bem as pernas, porém o encosto não proporciona o melhor posicionamento, causando desconforto. Ali os passageiros contam com três apoios de cabeça, mas o cinto de segurança central é abdominal.

ACABAMENTO No quesito acabamento, o Duster segue a mesma política da família Logan, com o uso de materiais mais simples. O plástico do painel é razoável, assim como a montagem dos componentes. O couro que reveste os bancos, que é opcional, melhora um pouco o ambiente. O painel tem instrumentos com fundo preto e números na cor laranja. Os comandos estão bem localizados, exceto o do ajuste elétrico dos retrovisores externos, que fica sob a alavanca do freio de estacionamento.

DESEMPENHO Para um veículo com mais de 1.200 quilos, o motor 1.6 16V pode parecer pouco. Realmente, não é a melhor opção, mas também não decepciona. Com funcionamento áspero em rotações mais elevadas, o motor dá conta do recado, porém sem brilho. Com apenas o motorista e um passageiro, o Duster anda bem na cidade e na estrada, porém sem empolgar muito nas arrancadas e retomadas de velocidade. Carregado e com ar-condicionado ligado, o desempenho cai bem. Nessa condição é preciso fazer muitas trocas de marcha para melhor aproveitamento da força do motor. O câmbio tem bons engates e boa relação de marchas, mas é barulhento. O computador de bordo acusou consumo médio de 8,9km/l na cidade e 13,5km/l na estrada com gasolina. Já com etanol os números ficaram em 6km/l e 10km/l, respectivamente.

Interior tem acabamento razoável e pega do volante não é boa ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Interior tem acabamento razoável e pega do volante não é boa


VERSÁTIL Apesar de não ter o apelo aventureiro, o Duster 1.6 passa bem por estradas de terra sem tranqueiras. Tem boa altura do solo e bons ângulos de entrada e saída, superando com certa facilidade pisos irregulares. A posição de dirigir é elevada e o volante tem ajuste de altura, porém o aro é fino. A direção foi bem calibrada e tem diâmetro de giro razoável, mas ao ser levada até o fim do curso provoca estranha vibração, mesmo problema detectado na versão 2.0 4x4. As suspensões também foram bem calibradas, proporcionando bom equilíbrio entre conforto e estabilidade, com discreta inclinação da carroceria em curvas mais fechadas. Nesta versão o sistema de freios tem ABS de série e atuou de forma eficiente.

AVALIAÇÃO TÉCNICA
ACABAMENTO DA CARROCERIA

A pintura tem acabamento razoável. Os frisos emborrachados que encobrem a união do teto com as laterais não têm continuidade a partir da porta traseira, assim como a chapa inferior da base do para-brisa, que não tem acabamento plástico superior. As quatro portas têm pontos com desnivelamento entre si e a carroceria. A tampa traseira esta descentralizada, mas o capô tem montagem satisfatória. REGULAR

VÃO DO MOTOR

O motor e os componentes laterais preenchem bem o vão, limitando o acesso à manutenção de vários itens. O resultado da insonorização é razoável em relação ao habitáculo. REGULAR

Barras no teto conferem ao Duster um discreto ar de esportividade ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Barras no teto conferem ao Duster um discreto ar de esportividade


ALTURA DO SOLO

Toda a parte inferior do motopropulsor tem proteção por chapa em aço. Não houve interferências com o solo no percurso misto de provas. POSITIVO

CLIMATIZAÇÃO

Apresentou bom funcionamento. O tempo gasto para dar a sensação de conforto no habitáculo foi razoável. São quatro as velocidades da caixa de ar e cinco as de direcionamento do fluxo. Não tem difusor específico para os passageiros de trás nem regulagem individual de temperatura para condutor e passageiro. A caixa de ar está bem vedada. POSTIVO

FREIOS

Apresentaram bom comportamento dinâmico no uso misto e o ABS tem boa calibração. O freio de estacionamento atuou normal e o pedal de freio tem boa sensibilidade. POSITIVO

CÂMBIO

A embreagem é macia com boa progressividade. As relações de marchas/diferencial proporcionam dirigibilidade razoável no uso misto. A qualidade de engate é boa em precisão, maciez, curso e posicionamento da alavanca. POSITIVO

Clique aqui e veja mais fotos!

MOTOR

A performance é razoável, com aceleração e retomadas de velocidade aceitáveis em função do peso do veículo. As curvas de potência e torque são boas para a cilindrada, proporcionando uma dirigibilidade normal no uso misto. Com ar-condicionado ligado e carga útil de 400kg é ainda aceitável a sua condução, mas deve-se usar bem o câmbio. REGULAR

VEDAÇÃO

Boa contra água e poeira. POSITIVO

NÍVEL INTERNO DE RUÍDOS
Ao trafegar sobre pisos irregulares surgem vários ruídos no habitáculo. O efeito aerodinâmico inicia-se a 100km/h e é crescente com a velocidade. NEGATIVO


SUSPENSÃO

O conforto de marcha tem um acerto satisfatório assim como a estabilidade para o tipo de veículo e proposta de utilização. POSITIVO

DIREÇÃO

A coluna de direção tem ajuste angular em altura, com bom curso. Como ocorreu na versão 2.0, o sistema hidráulico da direção apresenta forte trepidação ao esterçar o volante em várias situações de giro. Aparentemente, parece ter uma restrição na linha de fluido ou a bomba apresenta-se com defeito/mal dimensionada. O diâmetro de giro é razoável e a velocidade do efeito-retorno agrada. NEGATIVO

Banco traseiro tem bom espaço, mas cinto central é abdominal ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Banco traseiro tem bom espaço, mas cinto central é abdominal


ILUMINAÇÃO

Não tem sensor crepuscular e há luz de cortesia no porta-luvas e porta-malas. No teto há somente uma lanterna junto ao retrovisor, com a opção de spot fixo para passageiro, sendo ruim o resultado em iluminação. Os faróis têm duplo refletor e auxílio de faróis de neblina com bom resultado em iluminação no baixo/alto. Não tem regulagem elétrica da altura em função da carga transportada. O quadro de instrumentos e console central têm boa leitura/iluminação. Porém, não há iluminação para os interruptores elétricos nos painéis de porta. REGULAR

ESTEPE/MACACO

O estepe tem a roda em aço, mas o pneu é igual aos de uso. Está instalado abaixo do assoalho do porta-malas, do lado de fora, em suporte metálico basculável com acionamento feito por mecanismo dentro do porta-malas. A operação de troca é cansativa e não limpa. NEGATIVO

LIMPADOR DO PARA-BRISA

Não tem sensor de chuva. As áreas varridas no para-brisa e vidro traseiro por palhetas de qualidade satisfazem, assim como a atuação dos esguichos. O reservatório de água instalado dentro do vão do motor tem fácil acesso, mas a tampa poderia ser azul. POSITIVO

ALARME

A chave de ignição é codificada e tem proteção perimétrica das partes móveis. Não tem a volumétrica contra a invasão pela da quebra dos vidros nem a função um toque. Ao dar comando para travar as portas, os vidros não sobem automaticamente. REGULAR

VOLUME DO PORTA-MALAS

O declarado pela fábrica é de 475 litros e o encontrado com a cortina superior esticada e banco traseiro na posição normal
foi 495 litros.

Rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série nessa versão ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Rodas de liga leve aro 16 polegadas são de série nessa versão


Avaliações do engenheiro Daniel Ribeiro Filho, da Tecnodan

Palavra de especialista
"Sem pedigree"


DANIEL RIBEIRO FILHO
ENGENHEIRO

Em relação ao Duster 2.0 4x4, é outro veículo. A versão testada apresentou comportamento dinâmico inferior em relação ao 2.0. Com o motor 1.6 e caixa com cinco marchas sem opção de tração, a sua dirigibilidade é razoável na cidade e em estradas asfaltadas/terra batida (seca), com poucas subidas. A Renault apresenta neste novo modelo duas opções de pavimento na traseira. A versão 2.0 tem o estepe dentro do porta-malas, mais prático, e na 1.6 fica do lado de fora em suporte basculável, pela diferença de construção da suspensão traseira, que é mais moderna e sofisticada no 2.0. Em relação ao seu concorrente direto, o Ford EcoSport com motor 1.6, a proposta de utilização e dirigibilidade são equivalentes.


FICHA TÉCNICA


MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.598cm³ de cilindrada, que desenvolve 110cv (gasolina)/115cv (etanol) de potências máximas a 5.750rpm e torques máximos de 15,1kgfm (gasolina) e 15,5kgfm(etanol) a 3.750rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com triângulos inferiores e subchassi; e traseira, semi-independente com barra estabilizadora / 7 x 16 polegadas, em liga leve / 215/65 R16

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência hidráulica

FREIOS
A disco ventilado na dianteira e tambores na traseira, com ABS

TANQUE DE COMBUSTÍVEL
50 litros 

EQUIPAMENTOS DE SÉRIE
APARÊNCIA – Para-choques e maçanetas externas na cor do veículo, painéis das portas com inserto em tecido, barras longitudinais cromadas no teto, estribos laterais na cor da carroceria e com face superior em alumínio, molduras de saídas de ar cromadas, rodas de liga leve aro 16 polegadas, retrovisores cromados, vidros verdes, volante e manopla do câmbio revestidos em couro.

CONFORTO/CONVENIÊNCIA – Direção hidráulica, ar-condicionado, vidros elétricos, para-sóis com espelho, banco do motorista e volante com regulagem de altura, retrovisores externos com ajuste elétrico, iluminação no porta-luvas e porta-malas, alarme sonoro de advertência de luzes acesas, computador de bordo, travas elétricas nas portas e no porta-malas com comando a distância por radiofrequência, rádio CD Player MP3 com conexão USB/iPod e entrada auxiliar, bluetooth e comando satélite na coluna de direção e bancos traseiro rebatíveis (1/3 e 2/3).
SEGURANÇA – Airbag duplo frontal, freios ABS, trava para crianças nas portas traseiras, faróis de neblina, três apoios de cabeça no banco traseiro reguláveis em altura, travamento automático das portas a 6km/h.

OPCIONAL
Forração em couro e pintura metálica.

O jipinho tem porta-malas digno de uma perua, com volume de sobra ( Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O jipinho tem porta-malas digno de uma perua, com volume de sobra


NOTAS
Desempenho    7
Espaço interno    8
Porta-malas    9
Suspensão/direção    8
Conforto/ergonomia    7
Itens de série/opcionais    8
Segurança    8
Estilo    7
Consumo    8
Tecnologia    7
Acabamento    6
Custo/benefício    8

QUANTO CUSTA
O Renault Duster Dynamique 1.6 16V 4x2 tem preço sugerido de R$ 57.800 e com o revestimento em couro, R$ 60.490.

Esta matéria tem: (26) comentários

Autor: Ladio Freiria
Pessoal, eu tou vendo muita gente falando mal da Renault . . . Primeiramente a Renault não fábrica sua primeira linha no Brasil pois os impostos deste pais mediocre não deixão. Em relação a peças e manutenção hoje em dia está muito diferente do que foi no passado, pois tudo é fabricado no Brasil. | Denuncie |

Autor: Vivaldo CAMARA
Adquiri meu Renaut Duster Dynamique com os bancos em tecido, porque os fornecidos pela fábrica não são de couro natural e custam mais de R$ 3.000,00 enquanto que na Tapeçaria do Alemão o jogo completo, incluindo laterais das portas sai por menos de R$ 1.100,00 | Denuncie |

Autor: Vivaldo CAMARA
Adquiri uma Duster Dynamique 1.6 no final de 2012. Fica a desejar os botões de acionamento dos vidros elétricos, que deveriam ter luzes, sem as quais à noite é difícil de acioná-los, recurso de valor ínfimo. Regra geral, estou satisfeito. | Denuncie |

Autor: marcos marcos
Outro fator interessante, é que na EUROPA você compra carro no ano que fabrica o mesmo pagando o ano de fabrico e não este desrespeito que se pratica no Brasil de se pagar em MARÇO de 2012 o novo modelo de 2013. Temos de ser muito bobos mesmo. | Denuncie |

Autor: marcos marcos
Só queria dizer que o veiculo em questão se fosse na Europa custaria pouco mais de 16000 euros e poucos comprariam pôr se tratar de um DACIA que é uma subsidiária da RENAULT | Denuncie |

Autor: Tallys Ribeiro
Independente do modelo do veiculo, nao comprem carro zero este ano de 2012. Vamos tentar pressionar de alguma forma. Se as fabricas nao venderem, terao que repensar suas politicas de preços e ganhos. | Denuncie |

Autor: Adão Ribeiro
A indústria automobilística nacional continua desrespeitando o consumidor brasileiro. Hoje começa à ser lançado no mercado uma nova gama de carros com a falsa pretenção de preço baixo e maior número de ítens de sére. Para se ter uma idéia em 92 o Swift da Suzuki completasso custava U$ 7.000 no Japão | Denuncie |

Autor: marco americo
Alem de caro, este cargo be be muito, acho mais bonito que a ecosporte, sempre gostei de carros com este estilo,mas sin to saudade da ecosport que fazia 10,5 com 1 litro de gasolina, o duster fas 6 km com gasolina e motor 1.6... pense bem... | Denuncie |

Autor: Jorge Tocafundo
Mas Amô, você espalhou comentários na vrum mostrando que os carros devem mudar e progredir, que detesta carro velho e agora prefere comprar uma tracker SEMI NOVA é muito mais jogo? ps: escrever 'SEMINOVA' é ERRADO sabia professor? caiu no buraco que cavou novamente? rsss 2 vezes só aqui? kkkrss | Denuncie |

Autor: André Amorim
Soriiiaaaaaaa! Você está na Bahiiiiiia, meu bem! Argh! Melhor comprar uma Tracker seminova. Muito mais jogo. | Denuncie |

Autor: Leonardo Guimarães
A Renault afirmou que vai investir no Brasil porque aqui é o segundo maior mercado da marca. Eu também investiria, já que é só fabricar lixo a preço de luxo que vende. Por que não fabricam aqui os veículos da Renault francesa ao invés da romena Dacia? | Denuncie |

Autor: manofarias farias
Este carro é muito simples para a fortuna que estão cobrando. Eu vou optar mesmo por um outro carro usado nessa faixa de preço. Aliás 2012 é ano de não comprar carro zero não é? | Denuncie |

Autor: André Rodrigues
então compra um carro com design atualizado, tem o novo Uno, Novo Palio etc e etc. mas que não vão ter dar a mesma segurança e o conforto que um Duster dar. abraço. | Denuncie |

Autor: Paulo FS
Ok entao bacana, compra um carro que ja sai de fabrica parecendo que tem 10 anos de mercado! Desing nao é tudo, mas a renault estragou esse carro! | Denuncie |

Autor: André Rodrigues
tem alguns comentários aqui que realmente são inuteis, ta certo que o design divide opniões mas brasileiro só compra carro pela beleza é? tem que comprar aquele carro que realmente vai te atender no dia dia, ter itens de segurança, conforto, espaço etc etc... e o Duster é um prato cheio nisto. | Denuncie |

Autor: Antonio Ferreira
Nos lançamentos deste ano a mesma constatação, o preço aqui no Brasil é muito maior que em outro país onde o mesmo modelo é vendido, vamos nos mobilizar, em 2012 NÃO COMPREM CARRO ZERO. | Denuncie |

Autor: Luiz Carvalho
O carro é bacana. Mas é vendido na Argentina por R$ 38 mil. Aqui vai custar R$ 60 enquanto a gente for bobo e comprar. Ford baixou no R$ 3,5 mil no New Fiesta, Fiat baixou o R$ 25 mil no 500, porquê não vendeu. Veja a campanha Abaixo ao Lucro Brasil no Facebook. Não compre carro zero em 2012! Chega! | Denuncie |

Autor: Paulo FS
Me desculpem as pessoas que ja compraram esse carro, mas vai ter mal gosto la na...! Carro feio demais pelo preço! Com as novas tendencias de design a renault foi lançar esse carro!! O nome mesmo diz, fica na poeira!! | Denuncie |

Autor: Brasileiro Brasil
Tenho 1,86 m e dirijo sem problemas. Basta regular a altura do banco e a distancia para o volante. Sem qualquer problema. | Denuncie |

Autor: Brasileiro Brasil
A Renault esperava vender 5000 veículos em nov e dez. Vendeu 9500 nos 2 meses. Está faltando no mercado. Comprei um 4x4 motor 2.0, muito melhor que o Eco. Conheço os 2 e posso dizer. Quem não conhece critica. Agora um conselho: não compre o 1.6. O motor é fraco para o peso do veículo. | Denuncie |

Autor: Abigailde Moreira dos Santos Santos
Com varios problemas. O carro dele com 20.000 km ja trocou Bomba D'agua, Rolamento diantanteiro, Caixa do cambio, Caixa direçao. Pelo que eu percebi o carro dele quando comprou era ZERO. Mas com tanto problema fiquei assutado. Ele publicou esse video com problema de falha.http://www.youtube.com/watch | Denuncie |

Autor: Abigailde Moreira dos Santos Santos
Sinceramente, ainda não sei como a RENAULT fabrica carro nesse pais chamando Brasil. São tantas insatisfações, todos os casos semelhantes. Despreparo do SAC da montadora. Depto manuntenção sem conhecimento algum. Essa semana descobri um caso que fiquei arrepiado. Um proprietario de um Renault | Denuncie |

Autor: Celso de Oliveira Silva
ESTE CARRO É MUITO CARO!!!! ESSE PESSOAL DA RENAULT DEVE TÁ FATURANDO MUITO!!!!!! PENSO QUE PODERIA SER MAIS BARATO. 45 MIL REAIS TALVEZ. | Denuncie |

Autor: Flavio Leite Nascif
O carro possui um bom espaço interno, lateralmente. Atenção: motoristas com mais de 1,80 metros de altura e que tem algum problema de joelho e necessidade de dirigir com a perna direita (acelerador) mais estendida, terá dificuldade pois o recuo do banco é insuficiente para extensão total da perna. | Denuncie |

Autor: Leandro Batista
Esse carro é muito feio. Parece aqueles carros da antiga URSS, leste europeu, lada e cia... | Denuncie |

Autor: Humberto Humberto
Estranho fazer tantas ressalvas em vermelho. Parece que não querem "queimar" o carro em relação ao ecosport. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro, Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »


ofertas em destaque